segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

Cenário 10/02/2020

O setor de previdência privada aberta conseguiu mudar de rota em 2019, ancorado no debate e na aprovação da reforma nas regras da aposentadoria e também no aumento da concorrência, que pressionou as taxas de administração para baixo. Além de adicionar cerca de 400 mil novos participantes, o segmento inverteu a trajetória da captação de recursos, que cresceu tanto no comparativo bruto quanto no líquido - considerando resgates, o que empurrou as reservas para o patamar histórico de quase R$ 1 trilhão.

No ano passado, os novos depósitos em planos de previdência privada aberta somaram R$ 126,4 bilhões, expansão de 16,9% frente a 2018. A captação líquida, que considera os resgates realizados no período, foi de R$ 55,5 bilhões, consolidando uma expansão de 40,4% - ante uma queda anual de mais de 30% em 2018, na mesma base de comparação.

As bolsas da Ásia e do Pacífico encerraram o pregão desta segunda-feira majoritariamente em baixa, com os investidores mantendo a cautela em meio à epidemia de coronavírus. As chinesas, por outro lado, avançaram à medida que Pequim começou a suspender restrições hoje, ajudando empresas a retomar os negócios.

O índice Nikkei caiu 0,60% em Tóquio, a 23.685,98 pontos, na véspera de um feriado no Japão que vai manter os mercados locais fechados, enquanto o Hang Seng recuou 0,59% em Hong Kong, a 27.241,34 pontos, o sul-coreano Kospi cedeu 0,49% em Seul, a 2.201,07 pontos, e o Taiex apresentou queda de 0,33% em Taiwan, a 11.574,07 pontos.

O coronavírus já matou mais de 900 pessoas na China, sendo que a maioria dos novos óbitos foi registrada na cidade de Wuhan, epicentro do surto. Casos da doença também foram registrados em mais de 20 outros países.

Para tentar conter a propagação do coronavírus, o governo chinês tomou uma série de medidas restritivas, que incluíram a interrupção da manufatura, o fechamento de escolas e o cancelamento de voos. Nesta segunda, porém, trabalhadores na China começaram a voltar para as fábricas e escritórios, embora haja a expectativa de que muitas empresas permaneçam fechadas e que funcionários continuem a trabalhar de casa.

Na China continental, o Xangai Composto subiu 0,51% hoje, a 2.890,49 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,21%, a 1.757,26 pontos.

No âmbito econômico, o coronavírus e o feriado do ano-novo lunar ajudaram a impulsionar os preços na China para o maior nível em mais de oito anos. Dados oficiais mostraram que a inflação anual ao consumidor chinês acelerou de 4,5% em dezembro para 5,4% em janeiro, atingindo o maior nível desde outubro de 2011.

Na Oceania, a bolsa da Austrália ficou no vermelho, com baixa de 0,14% do S&P/ASX 200, a 7.012,50 pontos.

A BB Seguridade encerrou o quarto trimestre do ano passado com lucro líquido ajustado de R$ 1,132 bilhão, representando um aumento de 34,9% em relação ao mesmo intervalo de 2018 e alta de 4,8% frente ao resultado do terceiro trimestre. Em 2019, o lucro líquido foi de R$ 4,3 bilhões, 21,3% superior ao lucro de 2018.

De acordo com o release de resultado, o desempenho foi puxado pelo resultado financeiro da Brasilprev, beneficiado por uma dinâmica favorável dos índices de inflação que atualizam os ativos e passivos dos planos de benefício definido; pelo aumento nos prêmios ganhos e pela melhora do índice combinado da Brasilseg; e pelo efeito base de comparação resultante do desinvestimento do segmento de seguros patrimoniais e automóvel, concluído em novembro de 2018, já que no período outubro a novembro de 2018 tal investimento havia apresentado resultado negativo.

No ano, a BB Seguridade informa que o crescimento das receitas de corretagem e melhora da margem operacional da BB Corretora influenciaram positivamente o resultado, somado à uma dinâmica favorável dos índices de inflação; pelo crescimento de prêmios ganhos e melhora da sinistralidade na Brasilseg; e pela redução da alíquota efetiva de impostos nas empresas Brasilseg, Brasilprev e Brasilcap, em razão do término do período previsto em que o porcentual de contribuição social sobre o lucro líquido dessas empresas ficou majorado.

Os economistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para a Selic (a taxa básica da economia) no fim de 2020. O Relatório de Mercado Focus trouxe hoje que a mediana das previsões para a Selic neste ano seguiu em 4,25% ao ano. Há um mês, estava em 4,50% ao ano.

Já a projeção para a Selic no fim de 2021 seguiu em 6,00% ao ano, ante 6,25% de quatro semanas atrás. No caso de 2022, a projeção seguiu em 6,50%, igual a um mês antes. Para 2022, permaneceu em 6,50%, mesmo porcentual de quatro semanas atrás.

Na semana passada, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC cortou a Selic em 0,25 ponto porcentual, de 4,50% para 4,25% ao ano. Foi o quinto corte consecutivo da taxa básica. No comunicado sobre a decisão, o BC deixou claro que não pretende promover novo corte no encontro marcado para março. “Considerando os efeitos defasados do ciclo de afrouxamento iniciado em julho de 2019, o Comitê vê como adequada a interrupção do processo de flexibilização monetária”, registrou o BC no comunicado da decisão.

No grupo dos analistas que mais acertam as projeções (Top 5) de médio prazo no Focus, a mediana da taxa básica em 2020 seguiu em 4,25% ao ano, igual a um mês antes. No caso de 2021, permaneceu em 6,25% ao ano, o mesmo porcentual de quatro semanas atrás.

A projeção para o fim de 2022 no Top 5 seguiu em 6,25%. Há um mês, estava no mesmo patamar. No caso de 2023, permaneceu em 6,25%, igual a quatro semanas antes.

A expectativa de crescimento da economia em 2020 permaneceu em 2,30%, conforme o Relatório de Mercado Focus, divulgado hoje pelo Banco Central. Há quatro semanas, a estimativa de alta era a mesma.

Para 2021, o mercado financeiro manteve a previsão de alta do Produto Interno Bruto (PIB), de 2,50%. Quatro semanas atrás, estava no mesmo patamar.

Em dezembro, o BC atualizou, por meio do Relatório Trimestral de Inflação (RTI), sua projeção para o PIB em 2020, de alta de 1,8% para elevação de 2,2%.

No Focus de hoje, a projeção para a produção industrial de 2020 foi de alta de 2,21% para 2,33%. Há um mês, estava em 2,10%. No caso de 2021, a estimativa de crescimento da produção industrial permaneceu em 2,50%, igual a quatro semanas antes.

A pesquisa Focus mostrou ainda que a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2020 permaneceu em 56,90%. Há um mês, estava em 57,90%. Para 2021, a expectativa seguiu em 58,00%, ante 58,30% de um mês atrás.
O gráfico diário do IBOV traz consigo uma movimentação dominada pela venda, após o desenho de uma estrela cadente gerada pela falha ao romper 117.000 pontos.

Ainda é possível admitir um OCOI (ombro-cabeça-ombro-invertido), porém essa configuração perde força, à medida que o segundo ombro seria formado bem abaixo do primeiro, sem contar o forte volume que a venda imprimiu nas duas últimas sessões.

Um teste de 112.825 poderia originar um fundo duplo.

Por outro lado, caso esse ponto nem mesmo seja testado, creio que seria um sinal de força e esboço de um pivot de alta em potencial, com o segundo fundo mais alto que o primeiro.


Um ótimo pregão.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário