sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

Cenário 10/01/2020

A Caixa Econômica Federal pretende diminuir a taxa do cheque especial para até 2% ao mês. Para que isso se torne possível, o presidente da instituição, Pedro Guimarães, diz em entrevista exclusiva, esperar redução na taxa de inadimplência e na ampliação da base de clientes. O banco ainda quer fazer uma 'revolução' no financiamento habitacional no País.
A alta do dia é pequena, de 0,07%, mas leva o índice MSCI World à maior marca de todos os tempos. O benchmark chegou a 2.383,22 pontos mais cedo, um patamar nunca visto antes, e há pouco estava em 2.381,52 pontos. O MSCI World Index é formado por 1.646 ações de empresas de médio e grande portes de 23 países desenvolvidos. Segundo a companhia responsável pelo indicador, isso significa a cobertura de cerca de 85% da capitalização de mercado ajustada por flutuação livre em cada país.

Mesmo sendo pequena a elevação desta sexta-feira, o indicador é beneficiado pelo resultado do ano passado, quando o MSCI World registrou uma elevação de 26,60%, a maior desde 2009 (34,63%). Naquele ano, o mercado acionário recuperou parte da forte queda de 2008 (-42,19%), causada pela crise financeira internacional. Desde então, o indicador registrou baixas em três anos: 2011 (-7,35%), 2015 (-2,36%) e 2018 (-9,41%). Outras altas significativas no período foram vistas também em 2013 (22,80%) e 2017 (23,97%).

Na comparação de desempenho de índices da MSCI em relação ao retorno líquido do fim de 2000 até o encerramento do ano passado, o MSCI World apresentou elevação de 5,52% enquanto o benchmark dos Mercados Emergentes saltou 9,14%. Por país, o MSCI World tem forte participação de companhias americanas (63,33%), seguidas pelas japonesas (8,17%), britânicas (5,48%), francesas (3,8%), canadenses (3,38%) e de outros (15,84%). Por setor, o maior peso é de tecnologia da informação (17,37%). Na sequência, entre os principais, estão financeiro (15,7%), saúde (13,01%), industrial (10,98%), consumo (10,28%) e serviços de comunicação (8,4%).

Entre os 10 maiores componentes do indicador, nove são americanos e um, suíço. São eles: Apple (2,97%), Microsoft (2,56%), Amazon (1,74%), Facebook (1,11%), JPMorgan (1,00%), Alphabet C (0,94%), Alphabet A (0,90%), Johnson & Johnson (0,86%), Visa (0,73%) e Nestlé (0,72%).

O choque de preços das carnes impulsionou a inflação oficial no País tanto em dezembro quanto no fechamento do ano. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA encerrou dezembro com taxa de 1,15%, mas essa variação teria sido de 0,64% se não tivesse ocorrido a pressão das carnes. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No fechamento de 2019, o IPCA subiu 4,31%, mas essa alta teria sido de 3,54% se neutralizada a pressão das carnes.

Em dezembro, as carnes ficaram 18,06% mais caras, item de maior impacto individual na inflação do mês, o equivalente a uma contribuição de 0,52 ponto porcentual. O avanço pressionou a demanda e, consequentemente, os preços também de outras proteínas: o frango inteiro subiu 5,08%, enquanto os pescados aumentaram 2,37%.

"Tem um efeito substituição, então outras proteínas acabam sendo afetadas. A pessoa vê que a carne está cara, ela procura outras proteínas. Isso aumenta a demanda por essas outras proteínas, e aumenta o preço também", explicou Pedro Kislanov, gerente do Sistema Nacional de Índices de Preços do IBGE.

O custo da alimentação no domicílio cresceu 4,69% em dezembro. As famílias também pagaram mais pelo feijão carioca (23,35%) e tomate (21,69%). Por outro lado, ficaram mais baratos a cebola (-8,76%) e o pão francês (-0,68%), ambos com contribuição de -0,01 ponto porcentual para a inflação do mês.

A alimentação fora do domicílio subiu 1,04% em dezembro, após uma alta de 0,21% no mês anterior. A refeição ficou 1,31% mais cara em dezembro, enquanto lanche aumentou 0,94%.

"Muito provavelmente é inflação de custos. Como teve aumento nas carnes, provavelmente influenciou na refeição e lanche fora. E tem um componente sazonal também do mês de dezembro", explicou Kislanov.

O gasto das famílias com Alimentação e bebidas teve uma elevação de 3,38% em dezembro, respondendo por 0,83 ponto porcentual do IPCA do mês. A taxa do grupo foi a mais elevada desde dezembro de 2002, quando os preços dos alimentos subiram 3,91%.

No ano, o grupo Alimentação e bebidas avançou 6,37%, maior impacto de grupo no IPCA, o equivalente a 1,57 ponto porcentual. As carnes ficaram 32,40% mais caras no ano, maior impacto individual na inflação, de 0,86 ponto porcentual.

O fluxo de veículos nas estradas com pedágio caiu 1% em dezembro ante novembro, em cálculo com ajuste sazonal, aponta o índice ABCR, medido pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) e pela Tendências Consultoria Integrada.

A Linx, líder e especialista em tecnologia para varejo, anunciou nesta sexta-feira parceria com o PicPay para integração com o QR Linx. Com isso, o varejista terá acesso à conciliação integrada e aos processos financeiros em apenas uma interface, sem exigência de um QR code em seu balcão para cada carteira digital.

Segundo a companhia, o QR Linx age como um hub de wallets centralizando todas as plataformas de meios de pagamento em uma única ferramenta, além de evitar fraudes.
O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Vadym Prystaiko, afirmou que ele e o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, se reuniram hoje com a chefe da embaixada dos Estados Unidos no país, Christina Quinn, e obtiveram "dados importantes" sobre a queda de um avião em Teerã na última terça-feira, que matou 176 pessoas.

Em rápido comentário no Twitter, Prystaiko não deu detalhes, mas disse que os dados seriam "processados por nossos especialistas".

Também hoje, Zelenskiy pediu que "todos os parceiros internacionais", entre EUA, Reino Unido e Canadá, compartilhem informações relevantes sobre o acidente do avião ucraniano. O presidente ucraniano também anunciou planos para discutir a investigação com o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, na tarde de sexta-feira.

Talvez tenhamos "algo novo" no benchmark, dependendo do fechamento dessa sexta-feira, que naturalmente impactará na formação do candle semanal.

O diário mostra uma aproximação entre o preço e a média móvel de 21 períodos, algo natural e de algum modo esperado, após a escalada recente.

Vale destacar a importância de 115.600, que segurou a baixa na primeira batida, pelo menos.

Houve talvez um rompimento falso da região como suporte.

O fechamento de hoje será uma espécie de mapa do tesouro.


Um ótimo pregão.

Tenha um excelente final de semana.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário