terça-feira, 26 de novembro de 2019

Cenário 26/11/2019

A agenda de eventos e indicadores desta terça-feira traz em destaque a divulgação do relatório da dívida pública federal, referente a outubro. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o presidente do BC, Roberto Campos Neto, participam de evento sobre o cenário para 2020, em Brasília. No exterior, são esperados a balança comercial dos EUA e o lucro industrial da China.

As ações do Alibaba tiveram uma promissora estreia na Bolsa de Hong Kong nesta terça-feira, após o gigante chinês do comércio online completar a maior listagem global deste ano.

No encerramento dos negócios, os papéis do Alibaba estavam em 187,60 dólares de Hong Kong, alta de 6,59% em relação ao preço de 176 dólares de Hong Kong estabelecido na oferta das ações.

O Alibaba levantou US$ 11,2 bilhões com a listagem secundária, embora o valor possa subir para cerca de US$ 13 bilhões se bancos que coordenaram a operação exercerem a opção de comprar um lote adicional de ações até meados de dezembro.

A empresa chinesa já é negociada em Nova York, onde sua oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de ações atingiu o recorde de US$ 25 bilhões em 2014.

A Marisa Lojas anuncia uma oferta de ações (follow on) do tipo primária, ou seja, com emissão de novos papéis, e com distribuição restrita, para um determinado número de investidores (Instrução CVM 476).

Contando lotes extras, a oferta pode girar até R$ 654 milhões ao preço do fechamento de ontem, de R$ 10,65. Serão inicialmente 46.875.000 ações, mais lote adicional de até 20% (9.375.000) e suplementar de até 11% (5.208.333). O preço da ação na oferta será definido em procedimento de coleta de intenções (bookbulding) que tem início hoje e se encerra no dia 4 de dezembro. Os acionistas que aderirem exclusivamente à Oferta Prioritária não participarão do procedimento de bookbuilding. O encerramento do período de subscrição prioritária é 2 de dezembro.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, na China, fechou em baixa de 1,78% nesta terça-feira, cotado a US$ 89,30 a tonelada. Já o contrato futuro do minério de ferro para janeiro negociados na bolsa de Dalian caiu 0,38%, cotado a US$ 92,97.

O Índice de Confiança da Construção (ICST) subiu 1,5 ponto em novembro, para 89,0 pontos, atingindo maior nível desde setembro de 2014 (89,9), informou há pouco a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em médias móveis trimestrais, o índice registrou alta de 0,5 ponto, mantendo a tendência ascendente iniciada em junho deste ano.

O avanço foi influenciado pelo Índice de Situação Atual (ISA-CST), que teve alta de 2,4 pontos, atingindo 81,3 pontos. Em seis meses, o indicador acumula ganho de 8,9 pontos. Também houve aceleração no Índice de Expectativas (IE-CST), de 0,5 ponto, passando a 97 pontos. Conforme a FGV, o desempenho compensou a perda apresentada anteriormente. O resultado, informa, foi puxado pela dinâmica dos negócios nos próximos seis meses, cujo indicador subiu 1,3 ponto, para 96,9 pontos.

Já o Nível de Utilização da Capacidade (Nuci) do setor registrou elevação de 0,4 ponto porcentual, para 70,5%. O Nuci para Máquinas e Equipamentos mostrou alta de 0,3 ponto porcentual, enquanto o Nuci para Mão de Obra cresceu 0,5 ponto.

O Banco Central vendeu US$ 175,0 milhões em leilão à vista de dólares realizado há pouco. A oferta total era de US$ 785,0 milhões. O resultado da operação foi de um diferencial de corte de -0,000183 em relação à taxa de venda da ptax do fechamento de hoje.

Pelas regras do leilão, cada dealer de câmbio pode enviar até três propostas que contém o volume de compra pretendido e o diferencial, com até seis casas decimais, a ser adicionado ou diminuído da taxa de venda da ptax do dia de hoje. O BC aceitou as propostas cujo diferencial foi superior ou igual ao divulgado no resultado.

Entre 1º e 28 de novembro, o BC realiza diariamente leilões de dólar à vista. Simultaneamente, faz leilão de swap cambial reverso no mesmo montante. Há pouco, o BC também anunciou que vendeu 3.500 contratos (US$ 175,0 milhões) de swap reverso.

Sempre que não vender a totalidade da oferta de moeda à vista, o BC voltará ao mercado com operação de swap cambial tradicional no valor que não foi colocado. Hoje, como o mercado não absorveu toda a oferta de US$ 785,0 milhões em dólar à vista, o BC voltará ao mercado com leilão de 12.200 contratos (US$ 610,0 milhões) de swap cambial tradicional.

O objetivo destes três leilões diários é rolar o vencimento de swaps de janeiro ou trocá-lo por moeda à vista. Estão programados para vencer em janeiro um total de 226.200 contratos de swap cambial tradicional (US$ 11,31 bilhões).

O gráfico diário do IBOV faz um movimento técnico e citado no informe de ontem como provável, sendo esse o teste do eixo do "W" como suporte, a fim de testar a maturidade e resiliência da compra nesse momento.

O ponto exato seria 107.520, mas podemos entender como uma região aproximada, pela importância da figura no curto prazo.

Vale destacar a média móvel de 5 períodos colada no preço e a média móvel de 21 períodos logo abaixo.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário