quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Cenário 28/11/2019

O Supremo Tribunal Federal (STF) vai formar maioria nesta quinta-feira (28) a favor do compartilhamento amplo de informações da Receita Federal, sem necessidade de prévia autorização judicial. Até agora, cinco ministros já votaram no sentido de que a Receita não pode ser privada de encaminhar ao Ministério Público informações detalhadas que são importantes para a deflagração de investigações criminais, como extratos bancários e declaração de imposto de renda. Segundo o Estado apurou, ao menos mais um integrante da Corte vai se somar a essa corrente, aberta pelo ministro Alexandre de Moraes.

Ainda permanece em aberto, contudo, se a decisão final vai também incluir a atuação do antigo Coaf, rebatizado de Unidade de Inteligência Financeira (UIF). Essa questão só deve ser esclarecida depois que todos os ministros concluírem a leitura dos seus votos e se debruçarem sobre a fixação de uma tese. Ainda faltam votar cinco magistrados - há o risco de o julgamento só ser concluído na próxima semana.

O caso analisado pelo plenário gira em torno de um processo de sonegação fiscal envolvendo donos de um posto de gasolina em Americana (SP). A defesa dos empresários acusa a Receita de extrapolar suas funções ao passar dados sigilosos sem aval da Justiça. O processo ganhou repercussão geral, ou seja, o entendimento firmado pelo Supremo deve ser aplicado para outros casos nos diversos tribunais do País.

Por decisão do presidente do STF, ministro Dias Toffoli, o escopo do julgamento foi ampliado, incluindo também o Coaf, Banco Central e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o que lhe rendeu críticas. Em julho, Toffoli determinou a suspensão nacional de todos os processos em andamento sobre compartilhamento de dados fiscais sem autorização judicial, beneficiando o senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro. O julgamento no STF tem sido acompanhado pelo advogado do parlamentar, Frederick Wassef.

A Petrobrás anunciou ontem, 27, o reajuste de 4% da gasolina na refinaria, que passa a valer a partir de hoje. O preço do óleo diesel permanece inalterado. De acordo com uma fonte, o aumento foi de R$ 0,074.

A estatal só informa o porcentual de reajuste. Com essa alta, o valor de entrega passa a variar de R$ 1,750, em Goiás, a R$ 2,312, no Rio de Janeiro.

A Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom) reclama de defasagem em relação ao mercado internacional, principalmente, do preço do diesel. A maior pressão, segundo o presidente da entidade, Sérgio Araújo, parte do câmbio. “O aumento não foi suficiente para chegar na paridade internacional e o diesel, que já estava muito defasado, agora está ainda mais, com a alta do dólar. A expectativa era que ele também sofresse aumento. Como não aconteceu, a importação continua inviabilizada.”

O varejo deve movimentar R$ 3,67 bilhões em vendas na Black Friday deste ano, o maior faturamento em uma década, calculou a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Se confirmada a previsão, as vendas terão aumento de 10,5%, o que representa 6,8% a mais em relação ao ano passado, descontada a inflação do período.

Os produtos com as maiores chances de descontos efetivos são calças masculinas, fornos de micro-ondas, pulseiras smartbands, guarda-roupas e telefones celulares ou smartphones, porque são itens que registraram a menor elevação de preços nos últimos 40 dias de pesquisa da CNC - encerrada no último dia 15. Para chegar ao resultado, foram coletados diariamente mais de dois mil preços em sites de busca.

Os eletroeletrônicos e itens de utilidades domésticas deverão ser os destaques, com R$ 929,4 milhões em vendas no período de liquidações, seguidos pelos ramos de hiper e supermercados (R$ 899,3 milhões) e de móveis e eletrodomésticos (R$ 845,5 milhões).

Segundo um levantamento da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), 89% dos entrevistados estavam dispostos a gastar mais dinheiro neste ano do que na edição de 2018. O tíquete médio também subiu: a intenção média de gastos é de R$ 1.334, quase R$ 50 a mais que em 2018 (R$ 1.283).

O Banco do Brasil fará uma reorganização societária após aprovação pelo Banco Central de cisão parcial do patrimônio do BB Banco de Investimento referente a participação acionária na Cielo, que será transferida à BB Elo Cartões Participações S.A.

A reorganização envolve aporte de capital de R$ 895 milhões do BB no BB BI; cisão da fatia detida na Cielo pelo BB BI e incorporação na BB Elo.

"Estimamos que o aporte a ser realizado pelo BB não impacta o resultado do Conglomerado BB e o impacto no capital é residual", diz em comunicado na noite desta quarta-feira.

A intenção de realizar a cisão parcial havia sido informada em janeiro deste ano. Agora, com a aprovação pelo BC, ocorrida no último dia 21 e publicada ontem (27) no Diário Oficial da União, o BB vai centralizar as participações em empresas do segmento de meios de pagamento sob uma holding, a BB Elo.

O índice de sentimento econômico da zona do euro, que mede a confiança de setores corporativos e dos consumidores, subiu de 100,8 em outubro - que havia sido o menor nível desde janeiro de 2015 - para 101,3 em novembro, segundo dados publicados hoje pela Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia. O resultado deste mês superou a expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam alta marginal do indicador a 101.

Apenas a confiança do consumidor avançou de -7,6 em outubro para -7,2 em novembro, confirmando estimativa prévia e em linha com a previsão de analistas, enquanto a da indústria aumentou de -9,5 para -9,2 no mesmo período e a de serviços subiu de +9,0 para +9,3.

O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) subiu 0,30% em novembro, informou há pouco a Fundação Getulio Vargas (FGV). A taxa representa desaceleração frente a outubro, quando o indicador oscilou 0,68%. Com o resultado, o IPG-M acumula variação de 5,11% em 2019 e de 3,97% nos 12 meses encerrados em novembro.

O resultado da margem foi superior à mediana das expectativas apurada pelo levantamento Projeções Broadcast, que indicava alta de 0,13% para o IGP-M de novembro, mas ficou dentro do intervalo de 0,11% a 0,32%. A taxa acumulada em 12 meses também ficou levemente superior à mediana das projeções (3,79%), mas compatível com o intervalo de 3,54% a 4,01%.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) subiu 0,36% no mês, apresentando desaceleração na comparação com a alta de 1,02% de outubro. No ano, o IPA tem elevação de 6,07% e, nos 12 meses até novembro, de 4,30%. Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) acelerou na margem, com crescimento de 0,20% após uma retração de 0,05% na divulgação anterior. A taxa acumulada do indicador em 2019 é de 2,93% e, em 12 meses, de 2,97%.

O Índice Nacional de Custos da Construção (INCC), divulgado pela FGV na terça-feira (26), avançou 0,15% em novembro ante 0,12% em outubro. Em 2019, acumula alta de 3,99% e, em 12 meses, de 4,12%.

O gráfico diário do IBOV traz consigo uma movimentação discreta, porém de suma importância: marcou mínima sobre a média móvel de 21 períodos e está superando 107.520 (eixo) e também a média móvel de 5 períodos.

O desafio será manter a toada em dia de menor liquidez, devido ao feriado norte-americano.

Se fechar daí pra cima os touros avançam e marcam território, abrindo a expectativa de uma fechamento favorável no semanal.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Cenário 27/11/2019

O lucro das grandes empresas industriais da China caiu 9,9% em outubro, na comparação anual, após ter recuado 5,3% em setembro, informou nesta terça-feira o Escritório Nacional de Estatísticas (NBS, na sigla em inglês).

Ao longo dos dez primeiros meses do ano, o lucro industrial chinês caiu 2,9% em relação ao mesmo período de 2018.

A Black Friday, programada para a sexta-feira, 29, no varejo de todo o País, foi adiantada no Congresso para esta quarta-feira, 27. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), pautou para as 10 horas uma sessão conjunta de deputados e senadores para apreciar 11 vetos presidenciais e 24 projetos que abrem crédito extra no Orçamento.

A análise dos projetos estava sendo adiada em meio a uma insatisfação de parlamentares com a liberação de emendas prometidas pelo governo na votação da reforma da Previdência. A gestão Bolsonaro pretende liquidar todas as votações nesta quarta. "Vai ser a Black Friday", disse o líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO).

Entre as propostas, os parlamentares analisam os vetos do presidente Jair Bolsonaro à minirreforma eleitoral, aprovada pela Câmara em setembro. Pelo menos seis vetos à proposta devem ser derrubados. Dos pontos que podem ser retomados pelos congressistas, está o que abre brecha para um aumento do fundo eleitoral a critério dos parlamentares.

O Congresso precisa limpar a pauta para votar o Orçamento de 2020. Os deputados e senadores correm para aprovar a proposta e permitir a destinação de emendas parlamentares diretamente para Estados e municípios no ano que vem, sem vinculação com programas federais, conforme antecipado pelo Broadcast Político.

Mais cedo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou a líderes partidários que, a partir de semana que vem, haverá votações às segundas-feiras para limpar a pauta do Legislativo.

Para esta quarta, Alcolumbre determinou o cancelamento de todas as comissões na Câmara e no Senado enquanto durar a sessão conjunta do Congresso Nacional.

No Senado, uma sessão será realizará nesta quarta após a do Congresso. Os senadores deverão votar a medida provisória do programa Médicos pelo Brasil, que foi discutida na Câmara nesta terça-feira, 26. Se a votação não for concluída, a MP caduca na sexta, impossibilitando o lançamento do edital elaborado pelo governo.

Após o estresse de ontem com a escalada do dólar para perto de R$ 4,28, as atenções nesta quarta-feira seguem no câmbio e na possibilidade de mais atuações extraordinárias do Banco Central. O presidente do BC, Roberto Campos Neto, já avisou que se entender que “o câmbio está disfuncional, voltaremos a intervir”. 

Ontem, a autoridade monetária fez dois leilões de venda à vista de dólares, que não estavam programados, e o dólar à vista acabou fechando em R$ 4,240. A necessidade de acalmar o mercado e conter a desvalorização do real veio depois de o ministro da Economia, Paulo Guedes, dizer um dia antes não estar preocupado com o dólar acima de R$ 4,20 e que seria "bom se acostumar com o câmbio mais alto e juro mais baixo por um bom tempo”. 

Por enquanto estão mantidas as três operações cambiais que vem ocorrendo diariamente, de venda à vista de dólares, venda de contratos de swap cambial reverso e venda de contratos de swap cambial tradicional. A véspera do feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos e a agenda local fraca podem amenizar os movimentos dos ativos e deve já começar a reduzir a liquidez nos mercados em geral. No exterior, os mercados mostram bom humor diante de sinais de que possa haver um desfecho positivo nas negociações comerciais entre Estados Unidos e China. O presidente dos EUA, Donald Trump, disse ontem que Washington e Pequim estão próximos de selar um acordo comercial preliminar. 

Na agenda internacional, os destaques são o Livro Bege e a segunda leitura do PIB do 3º trimestre dos EUA. No Congresso Nacional, o dia será movimentado. 

No radar hoje está ainda o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), que pode anular a sentença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do sítio de Atibaia ou manter a condenação de 12 anos e 11 meses de prisão. Ontem o vice-presidente do TRF-4, desembargador Luís Alberto d’Azevedo Aurvalle, suspendeu a súmula que previa aos juízes do Sul do País a possibilidade de determinar a execução de pena após condenação em segunda instância. A decisão ainda será referendada pelo colegiado do tribunal.

A Gerdau anuncia a compra da Silat. A operação se deu por meio de sua controlada Gerdau Aços Longos em acordo com a Hierros Añón, S.A. e Gallega de Mallas, S.L.

A companhia pagará pela fatia de 96,35% das ações da siderúrgica localizada em Caucaia, região
metropolitana de Fortaleza (CE), o valor de US$ 110,8 milhões, sujeito a ajustes. A Silat (Siderúrgica Latino-Americana S.A.) tem capacidade instalada de 600 mil toneladas de laminação.

"Essa aquisição faz parte da estratégia da Gerdau de atender cada vez melhor seus clientes no mercado brasileiro", diz em comunicado, há pouco.

A conclusão da transação está sujeita à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e outras condições.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, na China, fechou em baixa de 1,95% nesta quarta-feira, a segunda queda forte consecutiva, cotado a US$ 87,56 a tonelada.

Já o contrato futuro do minério de ferro para janeiro negociados na bolsa de Dalian caiu 2,14%, cotado a US$ 91,33.

Segundo especialista do mercado, a retração reflete a baixa de 9,9% no lucro das grandes empresas industriais da China em outubro, na comparação anual, após ter recuado 5,3% em setembro, atingindo o menor nível em oito meses, pressionado pela queda nos preços e exportações de produtos.

O gráfico diário do IBOV mostra o benchmark operando sobre a média móvel de 21 períodos, região também da retração de 50% de Fibonacci entre o fundo duplo e o topo mais recente.

No meu entendimento, somente acima do eixo do "W" (107.520 poderemos ter confiança na alta, caso contrário ficará mais para voo de galinha.

Destaque para a média móvel de 5 períodos, que está colada com o eixo supra citado.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

terça-feira, 26 de novembro de 2019

Cenário 26/11/2019

A agenda de eventos e indicadores desta terça-feira traz em destaque a divulgação do relatório da dívida pública federal, referente a outubro. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o presidente do BC, Roberto Campos Neto, participam de evento sobre o cenário para 2020, em Brasília. No exterior, são esperados a balança comercial dos EUA e o lucro industrial da China.

As ações do Alibaba tiveram uma promissora estreia na Bolsa de Hong Kong nesta terça-feira, após o gigante chinês do comércio online completar a maior listagem global deste ano.

No encerramento dos negócios, os papéis do Alibaba estavam em 187,60 dólares de Hong Kong, alta de 6,59% em relação ao preço de 176 dólares de Hong Kong estabelecido na oferta das ações.

O Alibaba levantou US$ 11,2 bilhões com a listagem secundária, embora o valor possa subir para cerca de US$ 13 bilhões se bancos que coordenaram a operação exercerem a opção de comprar um lote adicional de ações até meados de dezembro.

A empresa chinesa já é negociada em Nova York, onde sua oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de ações atingiu o recorde de US$ 25 bilhões em 2014.

A Marisa Lojas anuncia uma oferta de ações (follow on) do tipo primária, ou seja, com emissão de novos papéis, e com distribuição restrita, para um determinado número de investidores (Instrução CVM 476).

Contando lotes extras, a oferta pode girar até R$ 654 milhões ao preço do fechamento de ontem, de R$ 10,65. Serão inicialmente 46.875.000 ações, mais lote adicional de até 20% (9.375.000) e suplementar de até 11% (5.208.333). O preço da ação na oferta será definido em procedimento de coleta de intenções (bookbulding) que tem início hoje e se encerra no dia 4 de dezembro. Os acionistas que aderirem exclusivamente à Oferta Prioritária não participarão do procedimento de bookbuilding. O encerramento do período de subscrição prioritária é 2 de dezembro.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, na China, fechou em baixa de 1,78% nesta terça-feira, cotado a US$ 89,30 a tonelada. Já o contrato futuro do minério de ferro para janeiro negociados na bolsa de Dalian caiu 0,38%, cotado a US$ 92,97.

O Índice de Confiança da Construção (ICST) subiu 1,5 ponto em novembro, para 89,0 pontos, atingindo maior nível desde setembro de 2014 (89,9), informou há pouco a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em médias móveis trimestrais, o índice registrou alta de 0,5 ponto, mantendo a tendência ascendente iniciada em junho deste ano.

O avanço foi influenciado pelo Índice de Situação Atual (ISA-CST), que teve alta de 2,4 pontos, atingindo 81,3 pontos. Em seis meses, o indicador acumula ganho de 8,9 pontos. Também houve aceleração no Índice de Expectativas (IE-CST), de 0,5 ponto, passando a 97 pontos. Conforme a FGV, o desempenho compensou a perda apresentada anteriormente. O resultado, informa, foi puxado pela dinâmica dos negócios nos próximos seis meses, cujo indicador subiu 1,3 ponto, para 96,9 pontos.

Já o Nível de Utilização da Capacidade (Nuci) do setor registrou elevação de 0,4 ponto porcentual, para 70,5%. O Nuci para Máquinas e Equipamentos mostrou alta de 0,3 ponto porcentual, enquanto o Nuci para Mão de Obra cresceu 0,5 ponto.

O Banco Central vendeu US$ 175,0 milhões em leilão à vista de dólares realizado há pouco. A oferta total era de US$ 785,0 milhões. O resultado da operação foi de um diferencial de corte de -0,000183 em relação à taxa de venda da ptax do fechamento de hoje.

Pelas regras do leilão, cada dealer de câmbio pode enviar até três propostas que contém o volume de compra pretendido e o diferencial, com até seis casas decimais, a ser adicionado ou diminuído da taxa de venda da ptax do dia de hoje. O BC aceitou as propostas cujo diferencial foi superior ou igual ao divulgado no resultado.

Entre 1º e 28 de novembro, o BC realiza diariamente leilões de dólar à vista. Simultaneamente, faz leilão de swap cambial reverso no mesmo montante. Há pouco, o BC também anunciou que vendeu 3.500 contratos (US$ 175,0 milhões) de swap reverso.

Sempre que não vender a totalidade da oferta de moeda à vista, o BC voltará ao mercado com operação de swap cambial tradicional no valor que não foi colocado. Hoje, como o mercado não absorveu toda a oferta de US$ 785,0 milhões em dólar à vista, o BC voltará ao mercado com leilão de 12.200 contratos (US$ 610,0 milhões) de swap cambial tradicional.

O objetivo destes três leilões diários é rolar o vencimento de swaps de janeiro ou trocá-lo por moeda à vista. Estão programados para vencer em janeiro um total de 226.200 contratos de swap cambial tradicional (US$ 11,31 bilhões).

O gráfico diário do IBOV faz um movimento técnico e citado no informe de ontem como provável, sendo esse o teste do eixo do "W" como suporte, a fim de testar a maturidade e resiliência da compra nesse momento.

O ponto exato seria 107.520, mas podemos entender como uma região aproximada, pela importância da figura no curto prazo.

Vale destacar a média móvel de 5 períodos colada no preço e a média móvel de 21 períodos logo abaixo.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Cenário 25/11/2019

Após Michael Bloomberg se apresentar como pré-candidato à presidência dos Estados Unidos, o serviço noticioso que leva seu nome informou neste domingo que não "investigará" ele ou qualquer de seus rivais democratas e que a Bloomberg Opinion já não publicará textos editoriais sem assinatura sobre o assunto. Diretor editorial da agência, John Micklethwait anunciou as novas regras em comunicado enviado neste domingo aos 2.700 jornalistas e analistas do serviço noticioso, pouco depois que o ex-prefeito de Nova York anunciou sua intenção de concorrer.

Investimentos em renda fixa e fundos de previdência privada são os produtos mais oferecidos por bancos e corretoras na Black Friday deste ano (na próxima sexta-feira). A data começa a se consolidar no calendário do mercado financeiro, com anúncios de redução de aportes em fundos mais sofisticados e, recentemente, operações de cashback (dinheiro de volta) para quem investir. Fundos multimercado, carteiras de investimento geridas por inteligência artificial e mais facilidade na compra de ações também estão entre as promoções.

A oposição pró-democracia de Hong Kong teve uma vitória avassaladora nas eleições locais de domingo (24), num sinal de reprovação à chefe do Executivo do território semiautônomo, Carrie Lam, pela forma como lidou com a onda de protestos iniciada na cidade há quase seis meses e marcada por vários episódios de violência.

Wu Chi-wai, líder do maior partido pró-democracia de Hong Kong, disse hoje que o bloco oposicionista conquistou quase 90% dos 452 assentos disputados, garantindo o controle inédito de 17 de 18 conselhos distritais.

Um recorde de 71% dos 4,1 milhões de eleitores registrados em Hong Kong votaram ontem, bem acima dos 47% da mesma eleição de quatro anos atrás.

As importações de petróleo e de cobre da China subiram na comparação anual de outubro, mas as de minério de ferro diminuíram no período, segundo dados divulgados pela Administração Geral de Alfândega do país.

No mês passado, as compras chinesas de petróleo bruto avançaram 17,1% no confronto anual, a 45,51 milhões de toneladas, e as de cobre aumentaram 2,7%, a 316.939 toneladas, mas as de minério de ferro sofreram queda de 14,9%, a 75,13 milhões de toneladas.

O índice de sentimento das empresas da Alemanha subiu de 94,7 pontos em outubro para 95 pontos em novembro, segundo pesquisa divulgada hoje pelo instituto alemão Ifo. Apesar da melhora, o resultado ficou um pouco abaixo da previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de 95,1 pontos. A leitura de outubro foi ligeiramente revisada para cima, de 94,6 pontos originalmente.

O chamado subíndice de expectativas econômicas do Ifo avançou de 91,6 pontos em outubro para 92,1 pontos em novembro, enquanto o subíndice de condições atuais aumentou marginalmente, de 97,8 para 97,9 pontos, no mesmo período.

A CVC abre programa de recompra de ações ordinárias a preço de mercado, de hoje, 25, até 18 de maio de 2020. A quantidade de ações é de cerca de 5% do total em circulação, ou o correspondente a 7,255 milhões de ON, para manutenção em tesouraria e posterior venda ou cancelamento. As instituições intermediárias são BTG Pactual CTVM e Bradesco CTVM.

O Relatório de Mercado Focus, divulgado hoje pelo Banco Central, mostrou alteração no cenário para a moeda norte-americana em 2019. A mediana das expectativas para o câmbio no fim deste ano passou de R$ 4,00 para R$ 4,10, ante R$ 4,00 de um mês atrás.

Para o próximo ano, a projeção para o câmbio continuou em R$ 4,00, mesmo patamar de quatro pesquisas atrás.

O gráfico diário do IBOV mostra uma típica formação de fundo duplo, ao redor de 105.260, com direito a marcação de mínima fora da banda de bollinger inferior.

Houve rápida reação, com o desenho de dois soldados brancos, acompanhados por bom volume e rompimento convicto das médias móveis, as quais estão apontadas para cima.

O desafio será manter a pressão compradora contra as vendas intensas dos estrangeiros, ou será que eles podem virar a casaca nesse final de ano?

Caso o façam, os institucionais irão aproveitar a liquidez para realizar lucro ou continuarão comprando?

Eis as questões...

O eixo do "W" em 107.520 é um divisor de águas entre ursos x touros, na minha leitura.


Bons negócios e uma ótima semana!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Cenário 22/11/2019

O presidente da China, Xi Jinping, afirmou nesta sexta-feira, 22, que pretende trabalhar para alcançar um acordo comercial com os Estados Unidos, mas que pode "retaliar" os americanos caso a disputa entre os dois países se prolongue.

Em encontro com uma delegação de empresários americanos, Xi disse ainda que mantém uma "atitude positiva" em relação às negociações comerciais. O líder chinês reiterou que a China requer "respeito mútuo e equanimidade" nas conversas.

O Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha teve expansão de 0,1% no terceiro trimestre de 2019 com relação ao segundo trimestre, segundo dados finais sazonalmente ajustados publicados nesta sexta-feira pela agência de estatísticas alemã (Destatis). O resultado confirma a leitura preliminar divulgada na semana passada pela Destatis e vem em linha com as expectativas de analistas consultados pelo Wall Street Journal.

Os dados de hoje consolidam a alta inesperada no terceiro trimestre que evitou que a economia alemã registrasse contração por dois trimestres consecutivos, fenômeno que configura, na visão de economistas, uma recessão.

Na comparação anual, o PIB alemão teve alta de 0,5% no terceiro trimestre, também sem alteração do resultado preliminar e confirmando projeções de analistas.

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, defendeu hoje uma nova "combinação de políticas" para impulsionar a economia da zona do euro.

Lagarde, que falou durante discurso no Congresso Bancário Europeu em Frankfurt, na Alemanha, afirmou que o BCE fará uma "revisão estratégica" no futuro próximo e ressaltou que a política monetária poderá atingir seu objetivo de forma mais rápida e com menos efeitos colaterais se outras políticas também contribuírem.

Lagarde destacou a importância da política fiscal, não apenas no que diz respeito a gastos públicos, mas adotando uma postura "mais produtiva, mais digital e mais verde".

Lagarde também afirmou que a política monetária vai continuar sustentando a economia e permanecerá sendo acomodatícia, postura que, segundo ela, tem sido um importante catalisador para a demanda doméstica.

A Submarino Viagens, controlada pela CVC, concluiu a aquisição da Santa Fe Investment BV, holding do Grupo Almundo na Holanda. O valor final da transação ficou em US$ 74,775 milhões, dos quais US$ 72,275 milhões pagos hoje, e mais US$ 2,5 milhões ficam retidos até a confirmação do ajuste da relação caixa líquido/dívida líquida estimada na data do fechamento. A operação foi anunciada em agosto. A aquisição ainda será analisada pelas autoridades argentinas, mas isso não condiciona sua conclusão.

A Kroton Educacional (Cogna) informa em fato relevante que considera realizar uma oferta pública inicial de ações (IPO, no termo em inglês) nos Estados Unidos de sua subsidiária Vasta e que está tomando as medidas necessárias para viabilizar a operação. "Para isso, contratou assessores financeiros, bem como outros prestadores de serviços para assessorá-la na preparação, análise e determinação dos termos e condições para eventual Oferta".

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), costurou ontem um acordo para priorizar o andamento, na Câmara, da proposta de emenda à Constituição (PEC) que autoriza a execução de pena de condenados em segunda instância, em detrimento ao projeto de Lei sobre o mesmo assunto que tramita no Senado. O acordo, decidido em reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), deputados e senadores, desagradou parlamentares “lavajatistas”, que veem uma manobra para atrasar para o ano que vem a aprovação de uma proposta neste sentido.

Em nota, o presidente do Senado argumentou que é necessário construir um consenso no Congresso. “A importância do tema exige de nós, senadores e deputados, um debate amplo. Trabalhamos pela construção e aperfeiçoamento de uma proposta comum entre as duas Casas”, afirmou Alcolumbre.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou, na última quarta-feira, uma proposta de emenda à Constituição (PEC) para que uma ação seja considerada transitada em julgado, permitindo a execução da pena, após a decisão de um colegiado no tribunal. Já o Senado deu prioridade a um projeto de lei para mexer em três artigos do Código de Processo Penal (CPP), para estabelecer que o tribunal de segunda instância determine a execução provisória da pena e poderá, “excepcionalmente”, deixar de autorizar a prisão se houver “questão constitucional ou legal relevante”. Pelo menos 43 senadores já se manifestaram a favor da alteração da lei.

Na prática, as duas mudanças têm o mesmo efeito, mas tramitam de forma diferente. Para alterar a Constituição, uma PEC deve ser aprovada em dois turnos por dois terços dos parlamentares) das duas Casas. Já um projeto de lei necessita do apoio da maioria simples - metade mais um dos parlamentares - na Câmara e no Senado.

Reservadamente, parlamentares avaliam que a estratégia de Alcolumbre leva em conta que a Câmara dificilmente votará a PEC rapidamente. Ou seja, esperar a Câmara e evitar que o Senado aprove outra proposta deixaria o assunto em “banho-maria”, segundo esta avaliação.

Em discordância com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, a maioria dos ministros da Corte sinalizou que pretende retirar a Unidade de Inteligência Financeira (UIF), antigo Coaf, do julgamento sobre a necessidade de autorização judicial para o compartilhamento de dados sigilosos entre órgãos de controle e o Ministério Público. Logo, o debate deve ficar restrito, apenas, à necessidade de anuência de um juiz para que investigadores tenham acesso a informações da Receita Federal. Paralisado nesta quinta-feira após dois votos, o julgamento deve ser retomado quarta-feira.

Caso essa posição seja confirmada, a investigação sobre um suposto esquema de “rachadinha” - quando funcionários de um gabinete devolvem parte do salário para o político que o indicou - que envolve o senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) e seu ex-assessor Fabrício Queiroz, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). A investigação teve início depois que o antigo Coaf comunicou o Ministério Público (MP-RJ) sobre movimentações atípicas de R$ 1,2 milhão na conta de Queiroz - o caso foi revelado pelo Estado de S.Paulo.

Os ministros argumentam que o julgamento deve excluir o UIF (antigo Coaf) e ficar restrito à Receita porque o caso examinado é um processo de sonegação fiscal envolvendo donos de um posto de gasolina em Americana (SP). A defesa dos empresários acusa a Receita de extrapolar suas funções ao passar dados sigilosos sem aval da Justiça.

O processo ganhou repercussão geral, ou seja, o entendimento do Supremo deve ser aplicado para outros casos nos diversos tribunais do País. Toffoli, no entanto, resolveu colocar também em discussão o compartilhamento de dados do UIF.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) registrou alta de 0,14% em novembro, após ter avançado 0,09% em outubro, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com o resultado anunciado hoje, o IPCA-15 acumulou aumento de 2,83% no ano. Nos 12 meses encerrados em novembro, o indicador ficou em 2,67%, acima da mediana de 2,68% das projeções (2,53% a 2,84%), porém aquém do centro da meta de 4,25% ao ano para 2019.

O gráfico diário do IBOV mostra uma forte movimentação de alta, desenhando um marobuzu clássico, acompanhado por forte volume, amplitude e fechamento na máxima da sessão.

Temos um possível fundo duplo, com eixo em 107.520.

Após uma escalada intraday como essa, seria normal alguma hesitação ou mesmo correção, em especial na etapa inicial dos negócios, uma vez que houve fechamento longe da média móvel de 21 períodos nos tempos intradiários.

Porém o sinal é forte e, desde que não seja negado ou colocado em xeque nessa sexta-feira, tem potencial para guiar nos negócios no curto prazo.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Cenário 21/11/2019

O Ministério do Comércio da China informou nesta quinta-feira que Pequim está trabalhando para resolver sua disputa comercial com os Estados Unidos, tratando como "rumores" não confiáveis recente especulação sobre problemas nas conversas bilaterais.

Porta-voz do ministério, Gao Feng disse que não pode revelar novas informações, mas garantiu que a China está comprometida a trabalhar no sentido de fechar um acordo comercial com Washington. Gao comentou ainda que um acordo "atende aos interesses de todos".

Ontem, surgiram relatos de que EUA e China talvez não consigam fechar um acordo antes do fim do ano, o que poderia gerar uma nova rodada de tarifas punitivas entre os dois países. 

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou por 50 votos a 12 a proposta que permite a prisão de quem for condenado em segunda instância. O texto, agora, será analisado por uma comissão especial. Depois, tem de ser votado em plenário em dois turnos e passar pelo mesmo rito no Senado.

Logo após a aprovação, o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, se encontrou com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Num gesto político, ele agradeceu aos parlamentares pelo empenho na votação.

“Minhas congratulações à Câmara. É importante para o nosso sistema de justiça criminal que tenha um fim no processo em um prazo razoável. Que absolva o inocente, mas que o culpado, quando reconhecido como tal, seja efetivamente punido”, disse o ministro, ao deixar o gabinete de Maia.

No início do mês, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que qualquer condenado só deve começar a cumprir pena quando a sentença transitar em julgado, ou seja, quando não houver mais nenhum recurso a ser avaliado. Um dos beneficiados pelo julgamento foi o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que deixou a prisão em Curitiba, onde cumpria pena de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, no último dia 8.

Ao terminar o julgamento, o presidente do Supremo, Dias Toffoli, afirmou que o Congresso poderia modificar o entendimento por meio de uma emenda à Constituição, pois, na opinião dele, esse artigo não é uma cláusula pétrea, o que significa que ela pode ser modificada por decisão do Parlamento.

Os índices futuros das Bolsas de Nova York tentaram ensaiar uma melhora nesta manhã, mas voltam a cair, assim como seguem em queda as bolsas europeias, reagindo à informação de que o vice-primeiro-ministro chinês Liu He convidou negociadores americanos para uma nova rodada de tratativas presenciais, de acordo com pessoas informadas sobre o assunto. 

Durante um telefonema no final da semana passada, Liu He, principal negociador chinês, fez o convite. O representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, e o secretário do Tesouro do país, Steven Mnuchin, realizarão a reunião em Pequim, disseram as fontes. Mais cedo, as bolsas asiáticas fecharam em baixa generalizada, enquanto os índices europeus e em Nova York exibiam perdas, diante da possibilidade da "fase 1" do acordo comercial entre EUA-China não sair em 2019. 

Um novo obstáculo seria um projeto de lei, aprovado no Senado e na Câmara dos Estados Unidos, que obrigaria o governo dos EUA a impor sanções contra indivíduos acusados de violar direitos humanos durante os protestos em Hong Kong. O projeto precisa ainda passar pelo crivo do presidente Trump. Há perspectiva ainda de que o Federal Reserve (Fed) não corte novamente os juros em dezembro. A ata da última reunião de política monetária do Fed, divulgada ontem, consolida essa percepção ao informar que a maioria dos dirigentes vê a política monetária dos Estados Unidos "bem calibrada" e alguns deles defenderam que outro corte de juros no curto prazo seria algo "improvável". 

No Brasil, com o dólar na casa dos R$ 4,20, a dúvida no mercado é sobre os próximos passos do Banco Central na política monetária em 2020. Ontem, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou que o importante para a instituição é "como o câmbio alimenta o canal de inflação". Campos Neto disse que, caso isso esteja ocorrendo, o BC agirá por meio da política monetária, e não do câmbio. Campos Neto reafirmou ainda em comissão da Câmara dos Deputados que a consolidação do cenário benigno para a inflação prospectiva deverá permitir um ajuste adicional da Selic "de igual magnitude ao realizado na reunião de outubro", quando o BC cortou a Selic em 0,50 ponto porcentual, de 5,50% para 5,00% ao ano. 

As próximas reuniões do Fed e do Copom serão nos mesmos dias 10 e 11 de dezembro. Os agentes financeiros devem monitorar também o segundo dia do julgamento no Supremo Tribunal Federal sobre a necessidade de autorização judicial prévia para o compartilhamento de informações sigilosas por órgãos de fiscalização e controle, como a Receita e o antigo Coaf (rebatizado de Unidade de Inteligência Financeira). 

Devem ficar no radar ainda os desdobramentos das investigações sobre o assassinato da ex-vereadora do Rio Marielle Franco e do seu motorista Anderson Gomes, após a Polícia Civil do Rio de Janeiro ter voltado a convocar para depor pessoas próximas da vereadora e o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro.

O Banco Central (BC) vendeu US$ 200,0 milhões em leilão à vista de dólares realizado há pouco. A oferta total era de US$ 785,0 milhões. O resultado da operação foi de um diferencial de corte de -0,000185 em relação à taxa de venda da ptax do fechamento de hoje.

Pelas regras do leilão, cada dealer de câmbio pode enviar até três propostas que contém o volume de compra pretendido e o diferencial, com até seis casas decimais, a ser adicionado ou diminuído da taxa de venda da ptax do dia de hoje. O BC aceitou as propostas cujo diferencial foi superior ou igual ao divulgado no resultado.

O BC realiza diariamente leilões de dólar à vista, no valor de US$ 600,0 milhões, desde o dia 1º. Como não realizou leilões nos últimos dois dias (19 e 20) devido ao feriado em São Paulo, o volume desses dois leilões foi redistribuído. Por isso o volume maior ofertado nesta quinta-feira (21).

Simultaneamente, fará leilão de swap cambial reverso no mesmo montante. Há pouco, o BC também anunciou que vendeu 4.000 contratos (US$ 200,0 milhões) de swap reverso. Os leilões irão até o dia 28.

Sempre que não vender a totalidade da oferta de moeda à vista, o BC voltará ao mercado com operação de swap cambial tradicional no valor que não foi colocado. Hoje, como o mercado não absorveu toda a oferta de US$ 785,0 milhões em dólar à vista, o BC voltará ao mercado com leilão de 11.700 contratos (US$ 585,0 milhões) de swap cambial tradicional.

O objetivo destes três leilões diários é rolar o vencimento de swaps de janeiro ou trocá-lo por moeda à vista. Estão programados para vencer em janeiro um total de 226.200 contratos de swap cambial tradicional (US$ 11,31 bilhões).

O gráfico diário do IBOV começa a esboçar um fundo duplo.

Seria otimismo demais entender o desenho atual dessa forma?

Talvez...

Temos eixo em 107.520.

Se hoje ocorrer o famoso "algo novo", no caso um fechamento firme, uma vez que estamos subindo de manhã e devolvendo tudo e mais um pouco no período da tarde, fortaleceria essa hipótese.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

terça-feira, 19 de novembro de 2019

Cenário 19/11/2019

A cúpula do Banco Popular da China (PBoC, o banco central do país) avaliou em um simpósio com a participação de grandes bancos de fomento que a operação financeira da macroeconomia ainda enfrenta desafios, a pressão negativa sobre a economia doméstica "continua a aumentar" e a pressão sobre a contratação de crédito social local "ainda existe".

Presidente do PBoC, Yi Gang apontou ser necessário dar cabo ao "papel de guia" da taxa de referência do mercado de empréstimos sobre a taxa de juros de empréstimos, e promover nas instituições financeiras uma mudança do pensamento inerte de precificação de empréstimos, e se referir verdadeiramente à precificação da taxa de juros de referência do mercado de empréstimos para levar a taxa de juros real de empréstimos para baixo.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, voltou atrás e decidiu anular ontem a própria decisão que determinava o envio, pelo Banco Central, de cópias de todos os Relatórios de Inteligência Financeira (RIFs) produzidos nos últimos três anos pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), rebatizado de Unidade de Inteligência Financeira (UIF). Na prática, o ministro havia obtido acesso a informações de cerca de 600 mil pessoas, incluindo autoridades com prerrogativa de foro privilegiado.

A decisão, agora tornada sem efeito, foi duramente criticada por membros do Ministério Público Federal (MPF) e parlamentares, que reforçaram as articulações por uma CPI para investigar ministros do Supremo. “Ressalto que esta Corte não realizou o cadastro necessário e jamais acessou os relatórios de inteligência”, escreveu o presidente do STF, na decisão de ontem. Em resposta à decisão de Toffoli, o Banco Central havia autorizado o acesso do ministro às informações do Coaf.

Conforme revelou o Estado na sexta-feira, também por determinação de Toffoli, a Receita Federal encaminhou à Corte dados fiscais sigilosos e provas obtidas em investigações contra mais de 6 mil contribuintes, nos últimos três anos. Uma ala do Supremo avalia que excessos cometidos por agentes públicos estão na Receita, e não no Coaf. Uma das preocupações é com a utilização de informações referentes a declarações de imposto de renda e movimentações bancárias.

O tema será analisado pelo plenário do STF amanhã. Às vésperas do julgamento que discute a necessidade de autorização judicial para o compartilhamento de informações sigilosas pela Receita e pelo antigo Coaf, o presidente do Supremo costura um voto que imponha limites ao repasse de dados, mas que não seja visto como ameaça ao combate à corrupção no País.

O secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, admitiu na noite desta segunda-feira, 18, que o governo tem até junho ou julho do ano que vem para aprovar medidas econômicas. "Depois disso, teremos eleições municipais, e historicamente o Parlamento reduz a sua atividade", afirmou, em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura.

Marinho, contudo, ressaltou que o Congresso tem tido uma postura reformista, sob a liderança do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). "Os líderes comprometidos com a pauta têm sido receptivos e propositivos, e a pauta apresentada pelo governo é discutida com antecedência. Há um ambiente com conversa prévia, está havendo conversa e esperamos que a maior parte da agenda seja aprovada", disse.

O secretário comentou ainda a reforma administrativa e disse que a equipe econômica tem estudado o tema. Segundo Marinho, uma posição deverá ser apresentada nas próximas semanas. Além disso, afirmou que a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não tem interferido na agenda do governo.

A força-tarefa da Lava Jato deflagrou, na manhã desta terça, 19, uma nova fase da Operação Câmbio Desligo, denominada Patron, para investigar grupo que deu apoio a fuga e à ocultação de bens de Dário Messer, conhecido como o 'doleiro dos doleiros'. O doleiro Najun Azario Flato foi preso no âmbito da ação, que mira ainda o ex-presidente do Paraguai Horácio Cartes.

Agentes cumprem 37 mandados - 16 de prisão preventiva, 3 de prisão temporária e 18 de busca e apreensão - nas cidades de São Paulo, Ponta Porã, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Armação dos Búzios. São realizadas ainda ordens na fronteira com o Paraguai.

Os mandados foram expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

A ação é realizada pela Polícia Federal em conjunto com o Ministério Público Federal e a Receita.

As investigações identificaram que Dário Messer ocultou R$ 20 milhões. Desse montante, mais de R$ 17 milhões teriam sido alocados em um banco nas Bahamas e o restante pulverizado no Paraguai entre doleiros, casas de câmbio, empresários, políticos e uma advogada.

O nome dos investigados que moram no Paraguai e Estados Unidos terão seus nomes incluídos na Difusão Vermelha da Interpol, por decisão judicial, indicou a PF. 

O diretor da Secretaria Especial de Fazenda do Ministério da Economia, Bruno Funchal, afirmou que, de todas as Propostas de Emenda Constitucional (PECs) do Plano Mais Brasil, o foco para este ano está na PEC emergencial. Já a proposta do pacto federativo tende a tomar mais tempo, segundo o economista, e a conclusão é esperada para o fim do primeiro semestre do ano que vem. Funchal participa nesta manhã do 2º Seminário de Perspectivas da Economia e Mercado realizado pela XP Investimentos em São Paulo.

O Banco Central emitiu há pouco comunicado em que informa o cancelamento do leilão de venda à vista de moeda previsto para hoje, no valor de US$ 600,0 milhões, e de swap cambial reverso, no mesmo montante (12.000 contratos). Essas duas operações estavam previstas para as 9h30. A instituição também cancelou a operação de swap cambial tradicional programada para as 11h30 de hoje, na qual ofertaria o que não fosse colocado na operação com dólar à vista.

De acordo com o BC, essas operações foram canceladas em função do feriado desta quarta-feira, dia 20, em São Paulo (Dia da Consciência Negra). A autarquia não deu mais detalhes sobre o motivo do cancelamento das operações para hoje, dia 19, quando o mercado de câmbio está funcionando normalmente.

No mesmo comunicado, o BC informou que não fará nesta quarta-feira, dia 20, leilões cambiais. Novamente, a justificativa é o feriado do Dia da Consciência Negra em São Paulo. Nesta quarta-feira, como é feriado em São Paulo e em outras cidades do País, a liquidez no mercado à vista de câmbio deve ser bem menor. E não haverá operações no mercado futuro de câmbio.

O BC esclareceu que, como não haverá operações hoje e amanhã, “os volumes que seriam ofertados nesses dias serão distribuídos nos demais dias úteis do mês”.

Entre 1º e 28 de novembro, o BC realizará diariamente leilões de dólar à vista. Simultaneamente, fará leilão de swap cambial reverso no mesmo montante. Sempre que não vender a totalidade da oferta de moeda à vista, o BC voltará ao mercado com operação de swap cambial tradicional no valor que não foi colocado.

O objetivo destes três leilões diários é rolar o vencimento de swaps de janeiro ou trocá-lo por moeda à vista. Estão programados para vencer em janeiro um total de 226.200 contratos de swap cambial tradicional (US$ 11,31 bilhões).

O gráfico diário do IBOV mantém a inclinação de alta inalterada, apesar do benchmark estar patinando recentemente.

Ontem houve a formação de uma estrela cadente, com efeito limitado devido à sua posição no gráfico.

O desafio de hoje será o mesmo de ontem: manter-se em alta ao longo do dia e fechar em campo positivo, sem hesitações.

Temos um barreira muito forte no diário, formada pelas médias, 106.350 e 106.650.

Se essa trincheira for rompida, vira suporte, pelo princípio de inversão de polaridade da análise técnica.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Cenário 18/11/2019

A China atraiu US$ 10 bilhões em investimento estrangeiro direto (IED) em outubro, 3,1% mais do que em igual mês do ano passado, segundo dados publicados hoje pelo Ministério de Comércio chinês.

O avanço anual do IED em setembro foi bem menor, de 0,5%.

No acumulado de janeiro a outubro, o IED na China aumentou 2,9% em relação ao mesmo período de 2018, a US$ 110,8 bilhões, informou o ministério.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, na China, fechou em alta de 1,94% nesta segunda-feira, a US$ 85,04 a tonelada.

Segundo operadores, o aumento dos preços ocorre desde a semana passada diante da expectativa de mais estímulos do governo para elevar investimentos em infraestrutura após Pequim ter anunciado uma redução dos requisitos de capital para alguns projetos de infraestrutura.

Ainda na país, o Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) anunciou um corte de juros para operações de recompra reversa de sete dias, de 2,55% para 2,50%, na primeira redução da taxa desde outubro de 2015 e em mais uma tentativa de conter a desaceleração da economia doméstica.

A Embraer anunciou nesta segunda-feira, durante o Dubai Air Show, que sua aeronave de transporte multimissão se chamará Embraer C-390 Millennium.

Em 2009, a Força Aérea Brasileira (FAB) contratou a Embraer para projetar, desenvolver e fabricar a aeronave, em substituição à sua frota de C-130. As entregas para a FAB tiveram início em setembro.

A Marfrig Global Foods informa que, por intermédio de sua subsidiária integral, a NBM US Holdings, Inc., celebrou acordo com o objetivo de aumentar sua participação no capital social da controlada norte-americana National Beef Packing Company, LLC (National Beef), por US$ 860 milhões.

As ações da Braskem e da Sabesp devem ficar sob o holofote dos investidores nesta semana, que será mais curta por conta do feriado na quarta-feira em São Paulo, do Dia da Consciência Negra. As empresas divulgaram balanço na quinta-feira passada e realizam teleconferência hoje com analistas e investidores.

Relator da PEC Emergencial, o senador Oriovisto Guimarães (Pode-PR) admitiu em entrevista à Rádio CBN ser provável que a votação da proposta no Senado deve ficar para 2020.

"Ela (a PEC Emergencial) vai exigir audiências públicas, debates na CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania), debate em plenário", afirmou. "Com muita sorte, conseguiríamos relatar ela este ano. Ela deve ficar então para o ano que vem."

Na entrevista, Oriovisto adiantou ainda duas emendas que deve fazer ao texto que foi enviado pela equipe econômica.

O senador vai propor que o corte de salários em situações de emergência fiscal afete também os vencimentos de deputados, senadores, governadores e do presidente da República, e que não fique apenas restrito aos servidores.

O parlamentar quer ainda que, quando haja superávit primário, o funcionalismo ganhe um bônus salarial equivalente a 5% dessa economia extra.

O gráfico diário do IBOV mostra uma correção até os topos de setembro/19, respeitando a região como piso.

Tivemos por ali um martelete, seguido por um candle tímido, porém de equilíbrio, refletindo a ideia de que os touros estão vivos e dispostos a comprar com desconto.

A abertura da semana será positiva, reflexo da valorização do EWZ (+1,27%) na última sexta-feira.

Muito provavelmente, teremos o rompimento das médias móveis e do forte 106.650 logo na abertura.

O grande desafio será consolidar os preços acima desse patamar ao longo do dia, mostrando se o voo no início dos negócios será de águia ou galinha.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Cenário 14/11/2019

A produção industrial da China avançou 4,7% em outubro com relação ao mesmo mês de 2018. O resultado frustrou as expectativas de analistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam alta de 5,2%, e indica uma desaceleração ante o ganho anual de 5,8% registrado em setembro. Os dados foram publicados nesta quinta-feira (pelo horário local) pelo Escritório Nacional de Estatísticas do país.

No mesmo período, as vendas do varejo chinês tiveram alta de 7,2% na comparação anual, também abaixo do avanço de 7,8% projetado por analistas. Em setembro, as vendas do varejo haviam subido 7,8% ante o mesmo mês do ano passado.

A leitura dos investimentos em ativos fixos (FAIs, na sigla em inglês) em áreas não-rurais também decepcionou o mercado: entre janeiro e outubro, os FAIs avançaram 5,2% ante igual período de 2018, abaixo das estimativas de alta de 5,3% e do ganho de 5,4% registrado entre janeiro e setembro, na comparação anual.

As vendas de moradias na China em valor avançaram 10,8% entre janeiro e outubro em relação a igual período do ano passado, segundo dados do Escritório Nacional de Estatísticas (NBS, na sigla em inglês) do país. O resultado mostra aceleração no setor imobiliário, uma vez que as vendas entre janeiro e setembro haviam exibido ganho anual menor, de 10,3%.

Já os investimentos no desenvolvimento de projetos imobiliários tiveram expansão anual de 10,3% nos primeiros dez meses do ano, menor do que o acréscimo de 10,5% visto no acumulado até setembro.

As construções iniciadas - considerando-se tanto residências quanto propriedades comerciais - cresceram 10% no confronto anual do intervalo entre janeiro e outubro. Entre janeiro e setembro, o avanço neste segmento havia sido de 8,6%.

O Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha teve expansão de 0,1% no terceiro trimestre de 2019 em relação ao segundo trimestre, segundo leitura preliminar publicada nesta quinta-feira pela agência de estatísticas alemã (Destatis). O resultado surpreendeu positivamente analistas consultados pelo Wall Street Journal, que projetavam recuo de 0,1% no período.

A alta inesperada evitou que a economia alemã registrasse contração pelo segundo trimestre consecutivo, fenômeno classificado por economistas, de modo geral, como recessão.

Na comparação anual, o PIB alemão teve alta de 0,5% no terceiro trimestre. Ainda segundo os dados de hoje, a contração do PIB no segundo trimestre de 2019 ante o primeiro trimestre foi revisada, de 0,1% para 0,2%.

Em nota, a Destatis informa que os gastos com consumo das famílias e do governo aumentaram no terceiro trimestre em relação ao segundo, impulsionando o PIB. Além disso, as exportações avançaram no período, enquanto as importações ficaram estáveis.

Menos de cinco horas depois de a agência Dow Jones Newswires noticiar que as negociações comerciais entre Estados Unidos e China chegaram a um impasse por causa de compras agrícolas, o assessor de Comércio da Casa Branca, Peter Navarro, veio a público para desmentir a reportagem.

Em entrevista à Fox Business, Navarro, que é um dos principais articuladores comerciais dos EUA, disse que a apuração era baseada em "rumores" e afirmou estar otimista com a perspectiva de um acordo bilateral. "Estamos a caminho de uma fase 1 no acordo comercial", declarou Navarro à emissora de TV, usando um discurso em linha similar ao adotado pelo presidente americano, Donald Trump.

A apuração da Dow Jones Newswires, atribuída a fontes ligadas às discussões, mostrou que há relutância de Pequim em se comprometer com compras de produtos agropecuários. Trump tem dito que os chineses concordaram em comprar até US$ 50 bilhões em soja, carne de porco e outros produtos agrícolas, mas a matéria diz que a China resistiria a se comprometer com montantes específicos e também desejaria deixar a porta aberta para um eventual recuo, se fosse o caso.

A notícia foi um dos ingredientes do mau humor que tomou conta do mercado brasileiro ontem. Após a publicação da notícia, o dólar foi à máxima ante o real e o Ibovespa se aproximou das mínimas da sessão. A moeda americana fechou em R$ 4,18, maior valor em um ano, e a Bolsa fechou em 106.059,95 pontos.

Em Nova York, os movimentos foram um pouco mais contidos, limitados a uma leve piora nos índices de ações e às quedas do dólar em relação ao iene e dos juros dos Treasuries.

A JBS saiu de prejuízo para lucro líquido neste terceiro trimestre. A companhia de proteínas encerrou o período de julho a setembro de 2019 com lucro líquido de R$ 356,7 milhões, ante prejuízo de R$ 133,5 milhões no mesmo intervalo de 2018.

Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) manteve hoje a perspectiva para o crescimento da demanda global pela commodity para 2019 e 2020. Para este ano, conforme relatório mensal da entidade divulgado há pouco, a projeção segue em 980 mil barris por dia (bpd), apesar de algumas revisões de alta do consumo no Oriente Médio no terceiro e quarto trimestres. Isso ocorreu, de acordo com a instituição que tem sede em Paris, porque a elevação acabou sendo compensada pela revisão para baixo nos países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e nas Américas durante o segundo e o terceiro trimestres.

Para 2020, o crescimento da demanda por petróleo está previsto em 1,08 milhão de bpd, também inalterado em relação ao relatório do mês passado. "Supõe-se que outros países da Ásia e a China sejam os maiores contribuintes para o crescimento da demanda de petróleo", citou a Organização. A adição neste caso deve ser de 680 mil bpd. Na OCDE, a expectativa é por um aumento de 70 mil bpd, mas a Opep leva em conta que a maior contribuição da expansão da demanda seja dos países que não fazem parte da OCDE, que, juntos, devem apresentar crescimento de 1,01 milhão de bpd.

A manutenção das previsões pela Opep para este ano ocorre após três meses consecutivos de corte. A demanda mundial total para este ano é de uma média de 99,8 milhões de bpd e, para o próximo, de 100,88 milhões de bpd. Os dois volumes também foram idênticos ao do relatório do mês passado.

Após avançar 0,22% em agosto (dado revisado), a economia brasileira teve novo resultado positivo em setembro deste ano. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) avançou 0,44% em setembro ante agosto, na série com ajuste sazonal, informou há pouco a instituição. Foi a terceira elevação mensal consecutiva.

O índice de atividade calculado pelo BC passou de 138,71 pontos para 139,32 pontos na série dessazonalizada de agosto para setembro. Este é o maior patamar para o IBC-Br com ajuste desde junho de 2015 (139,85 pontos).

Na comparação entre os meses de setembro de 2019 e setembro de 2018, houve alta de 2,11% na série sem ajustes sazonais. Esta série encerrou com o IBC-Br em 138,58 pontos em setembro. Este é o melhor resultado para meses de setembro desde 2014 (148,12 pontos).

Conhecido como uma espécie de “prévia do BC para o PIB”, o IBC-Br serve mais precisamente como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. A projeção atual do BC para a atividade doméstica em 2019 é de avanço de 0,9%.

O gráfico diário do IBOV mostra um teste dos topos de setembro, com formação de sombra inferior.

Ademais, respeitou a retração de 61,8% de Fibonacci.

O desafio será romper 106.650, assim como a máxima de ontem aos 106.785.

Portanto, na minha visão, esses são os pontos a serem batidos pela compra.




Bons negócios!

Um ótimo pregão.

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Cenário 13/11/2019

A CPFL Energia registrou um lucro líquido de R$ 748 milhões no terceiro trimestre deste ano, o que corresponde a uma expansão de 19,4% em relação ao lucro líquido do mesmo período de 2018. Com isso, em nove meses, o resultado líquido da companhia somou R$ 1,892 bilhão, alta de 26,5% na comparação anual.

A incorporadora e construtora Even reportou lucro líquido ajustado de R$ 16,487 milhões no terceiro trimestre de 2019, revertendo o prejuízo líquido de R$ 12,360 milhões em igual período de 2018.

No acumulado dos nove primeiros meses de 2019, o lucro líquido totalizou R$ 88,614 milhões, também revertendo prejuízo acumulado de R$ 68,413 milhões no mesmo período de 2018.

A Santos Brasil registrou lucro líquido de R$ 7,7 milhões no terceiro trimestre deste ano, representando uma queda de 15,4% em relação ao resultado do mesmo período do ano passado.

Segundo a empresa, devido ao IFRS16, houve incremento nas despesas de amortização do ativo intangível, impactando diretamente o resultado do exercício.

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) registrou lucro líquido de R$ 613 milhões no terceiro trimestre deste ano, o que representou um avanço de 42,4% em relação ao mesmo trimestre de 2018.

A Minerva Foods reportou prejuízo líquido de R$ 82,7 milhões no terceiro trimestre de 2019, queda de 37,3% ante o prejuízo de R$ 132 milhões obtido em igual período do ano passado, informou a companhia em balanço financeiro. Segundo o diretor de finanças e relações com investidores, Edison Ticle, o desempenho foi afetado, principalmente, por variação cambial. “Se tirássemos despesas como variação cambial, que foi de R$ 265 milhões, e hedge, haveria um lucro líquido de R$ 93 milhões”, explica o executivo a jornalistas.

A Caixa Econômica Federal registrou lucro líquido contábil de R$ 8 bilhões no terceiro trimestre deste ano, um salto de 66,7% ante o mesmo período do ano passado (R$ 4,813 bilhões). O impulso no terceiro trimestre veio de uma receita que não deve se repetir nos próximos meses. Trata-se de um efeito positivo de quase R$ 7 bilhões com a mudança de hedge em títulos emitidos no passado para injetar recursos no banco e compensar a estratégia de forte expansão de crédito adotada na gestão da ex-presidente Dilma Rousseff.

O Senado aprovou, nesta terça-feira, 12, a medida provisória que libera saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), assinada pelo presidente Jair Bolsonaro em julho.

A medida já passou pela Câmara e o projeto que transforma a MP em lei segue agora para sanção presidencial.

O Congresso alterou o conteúdo da medida aumentando o saque imediato de R$ 500 para R$ 998 no caso de contas com até um salário mínimo em julho, quando a medida foi assinada pelo presidente Jair Bolsonaro.

O Ministério da Economia divulgou há pouco o relatório extemporâneo de receitas e despesas prevendo a possibilidade de ampliação do limite de empenho no orçamento em R$ 16,768 bilhões. De acordo com a pasta, serão descontingenciados todos os recursos que estão bloqueados, que somam R$ 14 bilhões.

Mais cedo, o secretário de Fazenda da pasta, Waldery Rodrigues, já havia dito que o governo liberou R$ 16 bilhões do orçamento.

O relatório afirma ainda que o limite de empenho para os poderes Legislativo e Judiciário e para emendas parlamentares não será ampliado porque já está no teto dos gastos definido para este ano. Os parâmetros macroeconômicos, como projeções para a inflação e crescimento do PIB, não foram modificados.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), adiou a votação da proposta que permite a inclusão de Estados e municípios na reforma da Previdência para terça-feira, 19.

Os senadores ainda precisam votar emendas ao texto principal e o segundo turno da chamada PEC paralela. A votação dos destaques estava prevista para esta terça-feira, 12, mas foi adiada pela falta de quórum.

A oposição, sem votos para aprovar alterações, pediu o adiamento. Alcolumbre quer concluir a votação dos dois turnos na terça. "Se der tudo certo", declarou. Ele enfatizou que a proposta será o primeiro item da pauta.

As vendas do comércio varejista subiram 0,7% em setembro ante agosto, na série com ajuste sazonal, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Na comparação com setembro de 2018, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 2,1% em setembro de 2019. Nesse confronto, também coincidiu com a mediana das projeções (intervalo de 0,20% a 4,50%).

As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 1,3% no ano. No acumulado em 12 meses, houve avanço de 1,5%.

O gráfico diário reflete a gangorra que vivemos no mercado, pelo menos no curto prazo, após a marcação de máxima histórica.

Temos a tendência de um lado e ruídos de curto prazo de outro.

A briga de foice deverá continuar e veremos quem vencerá a batalha.

O benchmark fechou levemente abaixo da média móvel de 21 períodos, porém ainda preservando o topo de julho/2019 como piso.

Abertura será negativa, mas uma recuperação ao longo do dia seria a minha aposta para essa sessão.



Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br