quinta-feira, 24 de outubro de 2019

Cenário 24/10/2019

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da Alemanha, que engloba os setores industrial e de serviços, subiu marginalmente na passagem de setembro para outubro, de 48,5 a 48,6, com a leitura abaixo de 50 mostrando que a atividade na maior economia europeia permanece em contração, segundo dados preliminares divulgados hoje pela IHS Markit.

Apenas o PMI industrial alemão aumentou de 41,7 em setembro para 41,9 em outubro. Analistas consultados pelo The Wall Street Journal previam avanço um pouco maior do PMI industrial, a 42.

Já o PMI de serviços da Alemanha recuou de 51,4 em setembro para 51,2 neste mês, tocando o menor nível em 37 meses. O resultado frustrou a projeção do mercado, que era de alta a 51,6. De qualquer forma, o dado acima de 50 mostra que o segmento continua em expansão.

O Banco Central Europeu (BCE) decidiu manter sua política monetária inalterada nesta quinta-feira, após a última reunião sob o comando do italiano Mario Draghi, que será sucedido na presidência da instituição por Christine Lagarde em 1º de novembro.

Como previam analistas, o BCE manteve a taxa de refinanciamento em 0% e a de depósito em -0,50%.

O BCE também confirmou que retomará seu programa de relaxamento quantitativo (QE, pela sigla em inglês), através do qual comprará 20 bilhões de euros em ativos mensalmente a partir de 1º novembro.

O novo QE será mantido "pelo tempo que for necessário para reforçar o impacto acomodatício das suas taxas de política" e terminará pouco tempo antes de o BCE "começar a elevar as taxas de juros", destacou a instituição em comunicado.

O BCE também reafirmou que os juros continuarão nos níveis atuais ou menores até que a inflação da zona do euro convirja "de forma robusta" para sua meta oficial, que é de uma taxa ligeiramente abaixo de 2%. Dados de setembro mostraram recentemente que a inflação anual do bloco está muito abaixo desse patamar, em 0,8%, o menor nível desde novembro de 2016.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou em entrevista à Globonews não ter dúvidas de que a PEC paralela, que contempla Estados e municípios nas mudanças previdenciárias, será aprovada na Casa.

"Esta sugestão é da Casa da Federação. Não tenho dúvida que será aprovada no Senado. Se a reforma (da Previdência) trouxe equilíbrio fiscal na conta da União, esta PEC vai levar a Estados e municípios", disse na entrevista.

Ele comemorou ainda a aprovação da reforma da Previdência, concluída no começo da tarde desta quarta-feira, 23. "É um sinal do Brasil para o mundo, que a gente está tendo responsabilidade", disse.

Alcolumbre disse ainda que é necessário que o Parlamento respeite "a metodologia que o presidente escolheu para governar" e ressaltou que sempre foi um parlamentar de conciliação.

Ao comentar as viagens que vai fazer a Alagoas e Sergipe enquanto exerce a presidência da República - nas ausências no País de Jair Bolsonaro, Hamilton Mourão e Rodrigo Maia -, Alcolumbre diz que estas visitas fazem parte do reconhecimento do governo central da tragédia ambiental no Nordeste.

Impulsionado pelo reconhecimento de um efeito contábil, a EDP Brasil, uma das principais holdings privadas do setor elétrico, registrou lucro líquido de R$ 354 milhões no terceiro trimestre de 2019, crescimento de 15,3% frente a igual intervalo. No mesmo período de comparação, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 778,8 milhões, alta de 14,6%.

A CSN registrou um prejuízo líquido de R$ 871 milhões no terceiro trimestre do ano, revertendo, assim, lucro de R$ 752 milhões no mesmo intervalo do ano passado e de R$ 1,894 bilhão no trimestre imediatamente anterior. Além disso, o indicador de endividamento, medido pela divisão da dívida líquida pelo Ebitda, subiu a 3,81 vezes, ante 3,65 vezes no período imediatamente anterior e de 4,93 vezes há um ano.

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou, na noite de ontem (23), parecer do procurador regional da República, Maurício Gerum, que pediu a anulação da sentença que o condenou no caso sítio. "É clara a tentativa da Lava Jato de mais uma vez manipular a verdade nos processos envolvendo o ex-presidente Lula", afirma o advogado Cristiano Zanin Martins.

Com base na recente decisão do Supremo Tribunal Federal que envolve o prazo de alegações finais para delatores e delatados, o procurador afirmou que há nulidade do processo que sentenciou o petista a 12 anos e 11 meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro envolvendo as reformas das empreiteiras Odebrecht e OAS no valor de R$ 1 milhão.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse há pouco que os governos brasileiros dos últimos anos, assim como ocorreu também em outros países da América Latina, priorizaram mais os gastos correntes do que os investimentos. "Isso significa que estamos olhando mais para o passado do que para o futuro", avaliou durante palestra no Brazil Institute, do King's College, em Londres.

Por este motivo, de acordo com ele, a reforma do Estado e a melhora da segurança jurídica são os dois eixos mais importantes para o País. "Isso é o que estou fazendo desde o governo de Michel Temer", disse, citando o ex-presidente. Segundo ele, com estes dois pontos "arrumados", o governo terá condições de fazer seus próprios investimentos.

Um dia depois de a reforma da Previdência ser aprovada, Maia comentou que o sistema atualmente transfere renda dos mais pobres para os mais ricos. As despesas com as aposentadorias são hoje as maiores do governo, mas sem outras alterações e reformas, o custo da máquina pública vai crescer R$ 54 bilhões todos os anos. Para ele, no entanto, não se deve mexer no salário mínimo, que é uma das políticas que dão garantia mínima aos trabalhadores.

O governo federal vai enviar ao Congresso projetos de novas reformas, como a administrativa, que mira os salários e benefícios de servidores públicos, ainda em 2019, mas trabalha com a janela de aprovação das medidas no primeiro semestre de 2020. A afirmação foi feita há pouco pelo secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, à Globonews.

O gráfico diário do IBOV opera esticado, após uma alta praticamente me linha reta desde 99.825.

Nota-se uma distância relevante em relação à média móvel de 21 períodos, porém não temos sinal de topo ou mesmo de cansaço, na minha leitura.

Ontem, o candle ficou mais para correção na parte alta do marobuzu desenhado na terça-feira que um sinal de topo propriamente dito, na minha opinião pessoal.

O fechamento do semanal, naturalmente na sessão de amanhã, sexta-feira, será um sinal de suma importância.

Olho vivo no STF!


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário