terça-feira, 22 de outubro de 2019

Cenário 22/10/2019

As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta terça-feira, influenciadas por um sentimento de otimismo em relação às negociações comerciais entre Estados Unidos e China.

Nos negócios da China continental, o índice Xangai Composto subiu 0,50% hoje, a 2.954,38 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,01%, a 1.631,22 pontos.

Ontem, o diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, Larry Kudlow, disse em entrevista à Fox Business que o aumento de tarifas dos EUA sobre bens chineses programado para dezembro poderá ser suspenso caso avancem as discussões da chamada "fase 1" de um acordo comercial preliminar entre os dois países.

Já o secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, afirmou à mesma emissora ontem que mais importante do que assinar um acordo prévio com a China é garantir um pacto adequado.

Existe a expectativa de que os presidentes dos EUA, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, firmem o acordo inicial durante reunião da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec), prevista para ocorrer no Chile em meados de novembro.

O UBS divulgou hoje que teve lucro líquido de US$ 1,05 bilhão no terceiro trimestre do ano, menor que o ganho de US$ 1,25 bilhão obtido em igual período de 2018. O resultado, porém, veio acima da expectativa de analistas consultados pelo próprio banco suíço, que previam lucro de US$ 971 milhões.

Na mesma comparação, o lucro operacional do UBS caiu de US$ 7,43 bilhões no terceiro trimestre do ano passado para US$ 7,09 bilhões no mesmo intervalo de 2019, número que veio praticamente em linha com a projeção de US$ 7,10 bilhões de analistas.

A queda nos lucros foi atribuída ao fraco desempenho do banco de investimentos do UBS.

A Anglo American divulgou hoje que sua produção total em base equivalente de cobre aumentou 4% no terceiro trimestre de 2019 ante igual período do ano passado, graças em parte à ampliação das operações no projeto brasileiro de Minas-Rio, após uma paralisação temporária em 2018.

Apenas no Minas-Rio, a produção de minério de ferro entre julho e setembro foi de 6,1 milhões de toneladas. Diante do forte desempenho, a Anglo elevou sua expectativa de produção no Minas-Rio este ano para uma faixa de 20 milhões a 22 milhões de toneladas. Anteriormente, a previsão era de 19 milhões a 21 milhões de toneladas.

Sem o Minas-Rio, a produção total da Anglo sofreu queda anual de 2% no terceiro trimestre.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) registrou alta de 0,09% em outubro, após ter avançado à mesma taxa de 0,09% em setembro, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É a menor taxa de variação para meses de outubro desde 1998, quando a taxa foi de 0,01%, segundo o IBGE.

O resultado ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados na pesquisa do Projeções Broadcast, que esperavam de uma queda de 0,03% a uma alta de 0,12%, mas veio superior à mediana de 0,03%.

Com o resultado anunciado hoje, o IPCA-15 acumulou um aumento de 2,69% no ano. Nos 12 meses encerrados em outubro, o indicador ficou em 2,72%, abaixo do piso da meta de inflação para 2019, que é de 4,25%, com margem de tolerância de 1,5 ponto para cima ou para baixo, mas acima da mediana das estimativas do mercado financeiro. As projeções iam de avanço de 2,60% a 2,75%, com mediana de 2,66%.

O mercado de câmbio deve ficar em compasso de espera pela definição do segundo turno da reforma da Previdência no Senado e a primeira votação do processo de tramitação do projeto de lei do Acordo de Retirada do Reino Unido da União Europeia (Brexit), ambos marcados para a tarde. Há expectativas se haverá impacto da crise no PSL na articulação política do governo no Senado nessa votação. Por enquanto, o dólar mostra sinais mistos, próximos da estabilidade, em relação a divisas emergentes ligadas a commodities, enquanto o índice DXY mostrava alta de 0,08% há pouco.

O IBOV teve ontem o seu maior fechamento da história.

No intraday, o pico do benchmark foi 106.650, cravado no dia 10/07.

Seria hoje um dia histórico em razão da Reforma da Previdência ou já está tudo embutido nos preços?

Saberemos em breve...

Suportes imediatos: 106.000 e 105.890.

Resistência imediata: 106.650.

Vale salientar que, houve o rompimento de um pivot de alta na sessão de ontem, justamente ao deixar 105.890 para trás.

O desafio para os touros será manter os preços acima desse patamar.



Bons negócios
Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário