sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Cenário 06/09/2019

As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta sexta-feira, ainda repercutindo a notícia de que Estados Unidos e China vão retomar discussões comerciais no próximo mês e na esteira de dados positivos da economia americana.

Investidores estão mais esperançosos de que Washington e Pequim consigam eventualmente superar a disputa comercial que se desenrola desde meados do ano passado, após o Ministério de Comércio da China anunciar ontem que enviará representantes para a capital dos EUA em outubro para uma nova rodada de negociações comerciais.

O apetite por risco na Ásia também foi motivado por indicadores positivos dos EUA. Ontem, tanto a pesquisa da ADP sobre criação de postos de trabalho pelo setor privado quanto o índice ISM do setor de serviços vieram acima das expectativas.

Na manhã de hoje, o foco dos mercados globais será o relatório de emprego mensal dos EUA (o chamando "payroll"), que inclui números do setor público e tem forte influência na direção da política monetária do Federal Reserve, ou Fed, como é conhecido o banco central americano.

Na China, o índice Xangai Composto subiu 0,46% hoje, a 2.999,60 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,36%, a 1.657,50 pontos.

Em Hong Kong, o Hang Seng teve alta de 0,66%, encerrando o pregão a 26.690,76 pontos. Os ganhos prevaleceram mesmo após a Fitch ter cortado o rating soberano de Hong Kong, de AA+ para AA, citando os meses de violentos protestos que dominaram o território semiautônomo nos últimos meses.

Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei se valorizou 0,54% em Tóquio, a 21.199,57 pontos, graças ao bom desempenho de ações de montadoras e de fabricantes de máquinas industriais, enquanto o sul-coreano Kospi subiu 0,22% em Seul, a 2.009,13 pontos, e o Taiex registrou alta idêntica de 0,22% em Taiwan, a 10.780,64 pontos.

Hoje tem início a apresentação a investidores da oferta primária de ações com esforços restritos da Sinqia, ex-Senior Solution, empresa da área de software. Também nesta data é aberto o procedimento de coleta de intenções de investimento, que fecha dia 17, quando será definido o preço por ação na oferta subsequente, ou seja, follow on. À cotação do último pregão, R$ 76,70, a oferta de 4,5 milhões de ações com previsão de lote adicional de até 35%, pode movimentar cerca de R$ 465 milhões (considerando a colocação integral do lote adicional).

A indústria da Alemanha registrou queda de 0,6% na produção em julho com relação ao mês anterior, segundo dados sazonalmente ajustados publicados pela agência de estatísticas alemã Destatis nesta sexta-feira. A leitura frustrou as previsões de consultados pelo Wall Street Journal, que projetavam ganho de 0,1%.

Na comparação anual, a produção industrial alemã caiu 4,2% em julho ante o mesmo mês de 2018.

Desconsiderando os setores de energia e construção, a baixa na produção industrial alemã em julho ante junho foi de 0,8%. Além disso, a Destatis revisou de 1,5% para 1,1% o recuo da produção em junho ante maio.

O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro cresceu 0,2% no segundo trimestre de 2019 ante os três meses anteriores, de acordo com a terceira estimativa da agência oficial de estatísticas da União Europeia (UE), a Eurostat. O resultado confirmou leituras anteriores e veio em linha com a previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal.

Na comparação anual, o PIB do bloco teve expansão de 1,2% entre abril e junho, um pouco maior do que o acréscimo de 1,1% estimado nas duas primeiras pesquisas.

A Eurostat também revisou para cima o avanço anual do PIB da zona do euro no primeiro trimestre, de 1,2% para 1,3%.

O Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) registrou queda de 0,51% em agosto, após um ligeiro recuo de 0,01% em julho, divulgou há pouco a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Com o resultado, o IGP-DI acumulou elevação de 3,86% no ano. A taxa acumulada em 12 meses ficou em 4,32%.

A FGV informou ainda os resultados dos três indicadores que compõem o IGP-DI. O IPA-DI, que representa o atacado, teve diminuição de 0,90% em agosto, ante uma redução de 0,22% em julho. O IPC-DI, que apura a evolução de preços no varejo, teve um aumento de 0,17% em agosto, após o crescimento de 0,31% em julho. Já o INCC-DI, que mensura o impacto de preços na construção, subiu 0,42% em agosto, depois da alta de 0,58% em julho.

O período de coleta de preços para o índice de agosto foi do dia 1º ao dia 31 do mês.

O gráfico diário do IBOV deixa algumas pulgas atrás da orelha dos investidores, pois temos ao mesmo tempo o rompimento de um OCOI no diário, médias cruzadas em modo compra e até mesmo um pivot de alta acionado, enquanto houve formação de sombra superior ao tocar uma importante linha de tendência de baixa.

A sessão promete.

Bons negócios!



Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário