terça-feira, 3 de setembro de 2019

Cenário 03/09/2019

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta terça-feira, em meio a sinais de obstáculos para a retomada das negociações comerciais entre Estados Unidos e China e o turbulento cenário político no Reino Unido, que ainda não definiu como será o chamado Brexit, processo para que os britânicos deixem a União Europeia.

Ontem, a China entrou com processo na Organização Mundial do Comércio (OMC) para contestar as últimas tarifas dos EUA contra bens chineses, que passaram a valer no domingo (01) e atingem US$ 112 bilhões em importações. Em retaliação, também no fim de semana, Pequim passou a tarifar parte de uma lista de US$ 75 bilhões em produtos americanos.

Segundo a Bloomberg, EUA e China vêm enfrentando dificuldades para definir as datas de um encontro bilateral previsto neste mês para tratar de divergências no comércio. O problema teria ocorrido após Washington rejeitar um pedido dos chineses de adiar as tarifas que entraram em vigor no fim de semana.

Apesar das incertezas da disputa sino-americana, os mercados chineses tiveram ganhos moderados hoje, impulsionados principalmente por ações de tecnologia. Em comunicado no domingo, o Conselho Estatal da China, que corresponde ao gabinete do país, atribuiu "grande importância" ao desenvolvimento dos setores de alta tecnologia e de infraestrutura. O índice Xangai subiu 0,21% hoje, a 2.930,15 pontos, e o Shenzhen Composto avançou 0,66%, a 1.625,56 pontos.

Já o Nikkei ficou praticamente estável em Tóquio, com alta marginal de 0,02%, a 20.625,16 pontos, à medida que ganhos de ações de corretoras e de montadoras compensaram perdas no setor de eletrônicos.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng caiu 0,39% em Hong Kong, a 25.527,85 pontos, num momento em que o território semiautônomo enfrenta manifestações populares em vários fins de semana consecutivos, enquanto o sul-coreano Kospi recuou 0,18% em Seul, a 1.965,69 pontos, após dois pregões de valorização, e o Taiex registrou baixa de 0,72% em Taiwan, a 10.558,21 pontos.

Investidores da região asiática também acompanham a intrincada questão do Reino Unido. Oposicionistas no Parlamento britânico devem tentar aprovar hoje leis no Parlamente para bloquear a possibilidade de um Brexit sem acordo. Já o primeiro-ministro Boris Johnson, que defende que o Brexit ocorra na data final de 31 de outubro com ou sem acordo, ameaça convocar eleições antecipadas.

O preço do minério de ferro negociado no porto de Qingdao, na China, encerrou esta terça-feira em baixa de 1,59%, cotado a US$ 89,14 a tonelada.

A BrasilAgro, empresa de propriedades rurais, encerrou o quarto trimestre encerrado em 30 de junho com lucro líquido de R$ 37 milhões, queda de 9,1% na comparação com o mesmo período do ano anterior. No ano safra 2018/2019, foi R$ 177,079 milhões, alta de 40% sobre 2018.

Caixa Econômica Federal apresentou lucro líquido contábil de R$ 4,212 bilhões no segundo trimestre, cifra 21,6% maior que um ano antes, de R$ 3,464 bilhões. Em relação aos três meses imediatamente anteriores o crescimento foi de 7,4%.

O resultado do banco no segundo trimestre foi impulsionado, conforme explica relatório que acompanha suas demonstrações financeiras, pelo aumento de 12,4% na margem financeira, receitas de serviços estáveis e leve redução nas despesas administrativas.

No semestre, o lucro líquido contábil da Caixa totalizou R$ 8,132 bilhões, 22,2% superior ao registrado no mesmo intervalo do ano passado, de R$ 6,655 bilhões. "O resultado alcançado no semestre demonstra que a atuação da empresa está ancorada em uma sólida base de geração de lucros recorrentes, originada, essencialmente, em sua robusta capacidade operacional", destaca o banco, em relatório.

O Ministério Público do Rio de Janeiro deflagrou na manhã desta terça, 3, a Operação Secretum Domus, e prendeu os ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Matheus. Também foram expedidos mandados contra outras três pessoas: Sérgio dos Santos Barcelos, Ângelo Alvarenga Cardoso Gomes e Gabriela Trindade Quintanilha.
Apesar da baixa na sessão de ontem, o gráfico diário do IBOV ainda conserva uma inclinação francamente altista no curtíssimo prazo, com as médias preservadas como suportes.

Deveremos ter nova pressão vencedora na abertura dos negócios, quando as médias supra citadas terão papel decisivo, sendo naturalmente testadas, de fato.

A barreria a ser vencida pelos touros é 101.470, ponto que derrubou os preços nas duas últimas sessões.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário