sexta-feira, 30 de agosto de 2019

Cenário 30/08/2019

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta sexta-feira, um dia após a China sugerir que está mais interessada em negociar com os Estados Unidos do que prolongar a guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo.

O porta-voz do Ministério de Comércio da China, Gao Feng, disse ontem que Pequim quer resolver sua disputa comercial com Washington de forma "calma", indicando que os chineses desejam dialogar. Ele afirmou também que as medidas de retaliação adotadas pelo lado chinês a tarifas anunciadas pelos EUA já "são suficientes".

No Japão, o índice Nikkei subiu 1,19% hoje, a 20.704,37 pontos, impulsionado por ações do setor de eletrônicos e de corretoras.

Na capital sul-coreana, Seul, o Kospi avançou 1,78%, a 1.967,79 pontos, favorecido por papéis de fabricantes de eletrônicos, de montadoras e do setor químico.

No fim da noite de ontem, o banco central da Coreia do Sul (BoK, na sigla em inglês) decidiu manter sua taxa básica de juros em 1,5%, após cortá-la no mês passado pela primeira vez em três anos. Para a Capital Economics, o BC sul-coreano provavelmente voltará a reduzir juros em algum momento do quarto trimestre.

Na China, por outro lado, o dia foi de perdas. O Xangai Composto recuou 0,16%, a 2.886,24 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto caiu 0,74%, a 1.579,25 pontos.

As vendas no varejo da Alemanha sofreram queda de 2,2% em julho ante junho, no cálculo com ajustes sazonais, segundo dados divulgados hoje pela agência de estatísticas do país, a Destatis.

Na comparação anual, por outro lado, as vendas no varejo alemão tiveram alta de 4,4% em julho.

O indicador de vendas no varejo alemão é volátil e sujeito a grandes revisões. Por esse motivo, economistas normalmente acompanham os números mensais com cautela e levam mais em consideração as médias em três meses.

A taxa de desemprego da zona do euro ficou em 7,5% em julho, igual à do mês anterior e permanecendo no menor nível desde julho de 2008, segundo dados com ajustes sazonais divulgados hoje pela agência oficial de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. O resultado veio em linha com a previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal.

A Eurostat estima que havia 12,322 milhões de desempregados na zona do euro em julho. Em relação a junho, o número de pessoas sem emprego na região teve queda de 16 mil.

O primeiro desafio legal à suspensão do Parlamento do Reino Unido pelo governo do primeiro-ministro Boris Johnson foi postergado por uma corte escocesa.

O Tribunal de Sessões em Edimburgo se recusou nesta sexta-feira a adotar ação legal imediata para evitar que Johnson suspenda o Parlamento por várias semanas durante parte do período antes da data-limite do Brexit de 31 de outubro.

O juiz Raymond Doherty, no entanto, disse que uma audiência completa sobre o caso será realizada em 6 de setembro, fazendo surgir a perspectiva de que o ato do governo ainda poderia ser bloqueado. Ele disse que não há necessidade para uma intervenção imediata porque haverá uma audiência "substantiva" sobre o caso na semana que vem.

A decisão na mais alta corte civil da Escócia é um revés para o grupo pluripartidário de legisladores buscando ampliar o período para debate parlamentar em uma tentativa de evitar um desembarque desordenado pela Grã-Bretanha da União Europeia (UE).

Dois outros casos legais estão sendo conduzidos, um na Irlanda do Norte e outro em Londres. O ex-primeiro-ministro John Major disse hoje que está buscando se juntar ao caso na capital para arguir contra a suspensão.

Em transmissão nas redes sociais nesta quinta-feira, 29, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que o acordo EFTA-Mercosul é "bem-vindo". "Mais mercado, dinheiro que entra, sinal de confiança no Brasil", disse o presidente. O Mercosul e a Associação Europeia de Livre-Comércio (EFTA, na sigla em inglês) - formada por Suíça, Noruega, Islândia e Liechtenstein - fecharam o acordo de livre-comércio na sexta-feira, 23.

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) caiu 0,1 ponto em agosto ante julho, para 93,9 pontos, informou há pouco a Fundação Getulio Vargas (FGV). Na métrica de médias móveis trimestrais, o índice avançou 0,6 ponto, a segunda alta consecutiva.

O Índice de Confiança Empresarial reúne os dados das sondagens da Indústria, Serviços, Comércio e Construção. O cálculo leva em conta os pesos proporcionais à participação na economia dos setores investigados, com base em informações extraídas das pesquisas estruturais anuais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a FGV, o objetivo é que ICE permita uma avaliação mais consistente sobre o ritmo da atividade econômica.

Em agosto, o Índice de Situação Atual (ISA-E) subiu 1,1 ponto, para 91,3 pontos. Por outro lado, o Índice de Expectativas (IE-E) caiu 0,8 ponto, para 99,8 pontos, interrompendo uma sequência de quatro meses de avanços.

Entre os componentes do ICE, apenas a confiança no setor de serviços recuou em agosto, em 1,1 pontos. A confiança da Indústria subiu 0,8 ponto; a do comércio, 3,2 pontos; a da construção, 2,2 pontos.

O gráfico diário do IBOV mostra que o benchmark respeitou novamente uma linha de tendência de alta de médio prazo, um importante sinal técnico.

Por ali houve a formação de uma pinça de fundo e um harami.

Ontem ocorreu primeiramente o rompimento da média móvel de 5 períodos como resistência imediata, com fechamento bem acima do forte 99.630 e da média móvel de 21 períodos, através de um marobuzu, acompanhado por bom volume.

Pelo menos em teoria, isso abre espaço para teste da LTB riscada também em azul na imagem, talvez dentro de dois ou três pregões.

Haverá uma pedra no caminho: 101.470, topo marcado dia 22/08.

Bons negócios!




Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
    contato@toptraders.com.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário