quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Cenário 15/08/2019

O presidente argentino, Mauricio Macri, lançou ontem, 14, um pacote econômico de US$ 634 milhões para tentar reverter a vantagem do kirchnerista Alberto Fernández na disputa presidencial e aliviar os efeitos na economia real da reação negativa dos mercados à primária de domingo - vencida pelo rival. Entre as principais medidas estão gestos antes criticados por Macri e identificados com a oposição, como o aumento de subsídios e o congelamento de preços.

Segundo economistas, o impacto fiscal será de 0,15 ponto porcentual no PIB e os recursos virão do contingenciamento de obras de infraestrutura. O preço da gasolina não será reajustado por 90 dias. O governo também prometeu uma restituição fiscal do imposto de renda no valor de 2 mil pesos (R$ 135) para cada argentino e um aumento do salário mínimo ainda não definido. Haverá também um reajuste na bolsa de estudos concedida para estudantes universitários e de ensino médio de baixa renda.

A Câmara rejeitou o destaque do Cidadania que queria tirar do texto do projeto que criminaliza o abuso de autoridade artigo que prevê prisão de um a quatro anos e multa para quem dar início ou proceder à persecução penal, civil ou administrativa sem justa causa fundamentada ou contra quem sabe ser inocente.

Esse foi o último de três destaques protocolados ao texto nesta quarta-feira, 14. Como nenhuma alteração foi aceita, o texto segue agora direto para sanção do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Os deputados aprovaram mais cedo o texto-base do projeto em votação simbólica, sem contar os votos individuais dos deputados presentes. PSL, Cidadania, Novo e PV orientaram contra a aprovação da matéria. PSDB, Podemos e PSC liberaram suas bancadas, e os demais partidos foram favoráveis.

O texto define os crimes de abuso de autoridade cometidos por servidores públicos, militares, membros dos poderes Legislativo, Executivo, Judiciário, do Ministério Público e dos tribunais ou conselhos de contas. A proposta lista uma série de ações que poderão ser consideradas crimes com penas previstas que vão de prisão de três meses até 4 anos, dependendo do delito, além de perda do cargo e inabilitação por até cinco anos para os reincidentes. A medida é considerada uma reação da classe política às operações recentes contra corrupção, como a Lava Jato.

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quinta-feira, mostrando reação mais contida à inversão da principal curva de juros dos Treasuries, que gerou temores de nova recessão nos Estados Unidos e derrubou os mercados acionários globais ontem.

O índice japonês Nikkei teve queda acentuada em Tóquio, de 1,21%, terminando o pregão a 20.405,65 pontos, o menor nível em seis meses.

Na China, por outro lado, os mercados ficaram no azul, com ganho de 0,25% do Xangai Composto, a 2.815,80 pontos, e valorização de 0,53% do menos abrangente Shenzhen Composto, a 1.517,07 pontos.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng subiu 0,76% em Hong Kong, a 25.495,46 pontos, ainda se recuperando de perdas que acumulou durante recentes manifestações populares, mas o Taiex caiu 0,96% em Taiwan, a 10.327,13 pontos. Em Seul, não houve negócios hoje devido a um feriado na Coreia do Sul.

Ontem, investidores globais ficaram apreensivos quando o juro da T-note de 10 anos ficou temporariamente abaixo do da T-note de 2 anos, um fenômeno que não ocorria desde 2007 e que sinaliza risco de recessão da economia americana. Já o rendimento do T-bond de 30 anos vem renovando mínimas históricas, chegando a operar abaixo da barreira psicológica de 2%.

A inversão da curva de juros das T-notes de 2 e 10 anos veio na esteira de indicadores fracos da China e da Europa, que reavivaram temores em relação à saúde da economia global, e apesar de um recente alívio nas tensas discussões comerciais entre Washington e Pequim. Na terça-feira (13), os EUA decidiram remover alguns produtos da lista de bens chineses que passarão a pagar tarifas de 10% a partir de 1º de setembro e adiar a tarifação de outros bens - como celulares e laptops - para 15 de dezembro.

O movimento dos Treasuries afetou hoje ações bancárias negociadas na Ásia. No Japão, os papéis do Mitsubishi UFJ Financial Group caíram 1,09% e os do Nomura recuaram 0,6%. Já em Hong Kong, a ação local do britânico HSBC registrou baixa de 0,91%.

Na Oceania, os grande bancos da Austrália também sofreram, com quedas de cerca de 3%, levando a Bolsa de Sydney a apresentar a maior desvalorização diária em mais de três anos. O índice S&P/ASX 200 caiu 2,85%, a 6.408,10 pontos.

O Banco Central anunciou no fim da tarde de ontem operações de venda direta de dólares ao mercado financeiro. É a primeira vez em dez anos que a autarquia lança mão de medida semelhante a essa.

Reportagem do Broadcast publicada ontem à noite mostrou que a instituição tem identificado um movimento de troca de dívida por grandes empresas brasileiras. A matéria explicou que muitas companhias estão quitando operações de crédito feitas no exterior e, ao mesmo tempo, fechando novas operações de financiamento dentro do País.
O compromisso, portanto, deixa de ser com instituições estrangeiras e passa a ser com bancos locais. Essa operação, por parte das empresas, gera demanda pelo dólar à vista, sendo um componente adicional à subida recente da moeda americana. Em agosto, a alta acumulada da moeda é de 5,73%. Ontem, a divisa ultrapassou a barreira de R$ 4.

A venda direta do dólar ocorrerá em lotes diários, de 21 a 29 de agosto. Para evitar uma redução no volume de recursos para que o País enfrente uma crise internacional, o BC anunciou outras operações.

A instituição promoverá também leilões de swap cambial reverso, que equivale à compra de dólares no mercado futuro, em igual montante da venda à vista e simultâneo a ela. O que não for abarcado pelas duas operações será contemplado em swap tradicional.

Os montantes em cada operação ainda serão anunciados, mas o BC informou, por meio de nota, que o resultado final será nulo no que diz respeito à sua posição cambial líquida. Hoje esta posição está em US$ 328,6 bilhões.

A Oi apresentou um prejuízo líquido atribuído aos acionistas controladores de R$ 1,559 bilhão, 24% maior do que no segundo trimestre de 2018. Já o resultado consolidado das operações continuadas ficou negativo em R$ 1,625 bilhão, alta de 31,8% e, considerando os efeitos do IFRS 16, o prejuízo aumenta para R$ 1,709 bilhão.

O Grupo JSL apresentou lucro líquido consolidado de R$ 71,2 milhões no segundo trimestre, alta de 44,1% sobre o mesmo período de 2018. Em relatório que acompanha o demonstrativo financeiro, a empresa atribui o lucro recorde ao efeito positivo da reorganização de todas as empresas do grupo: Vamos, JSL Logística, CS Brasil, Original, BBC Leasing e Movida.

A Equatorial anuncia lucro líquido ajustado (pelos efeitos não recorrentes) de R$ 316 milhões no segundo trimestre, alta de 118,7% sobre o segundo trimestre de 2018. De forma consolidada, o lucro líquido foi de R$ 342 milhões, alta de 182,6%.

A Via Varejo apurou prejuízo líquido de R$ 154 milhões no segundo trimestre de 2019, revertendo lucro líquido de R$ 14 milhões no mesmo período de 2018. No acumulado do primeiro semestre, a varejista acumula perdas de R$ 196 milhões, ante lucro de R$ 78 milhões no ano passado.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) caiu 39% no segundo trimestre, na comparação anual, para R$ 315 milhões. No semestre, o indicador recuou 31%, a R$ 752 milhões. No critério ajustado, o Ebitda ficou em R$ 388 milhões, queda de 38,7%. No acumulado do ano, o Ebitda ajustado está em R$ 901 milhões, queda de 27,7%.

O gráfico diário do IBOV mostra uma das maiores quedas diárias dos últimos tempos, de maior amplitude desde março/19.

Quando tal fenômeno ocorre temos três caminhos, na minha visão e interpretação: correção na parte baixa do candle seria sinal de continuidade (baixa), candle contido e discreto, que preenche menos da metade do marobuzu sinal de dúvida, equilíbrio de força entre a compra a venda após a pancada e, na hipótese de uma recuperação que eleve os preços acima da metade do candle anterior, os touros dariam as cartas no curtíssimo prazo, com chances reais de teste da média móvel de 21 períodos em um ou dois pregões.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário