terça-feira, 2 de julho de 2019

Cenário 02/07/2019

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única e perto da estabilidade nesta terça-feira, em meio a dúvidas sobre a capacidade de Estados Unidos e China de fecharem um acordo comercial. Já na Oceania, o mercado da Austrália subiu marginalmente, após o banco central local anunciar um novo corte de juros.

Ontem, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que as negociações comerciais com a China "já começaram", depois de ficarem paralisadas desde maio. No fim de semana, Trump e o presidente chinês, Xi Jinping, selaram uma trégua para que seus países suspendam a adoção de novas tarifas a produtos um do outro, durante encontro às margens da reunião de cúpula do G20 em Osaka, no Japão.

Trump, porém, também ressaltou ontem que um eventual pacto comercial com a China precisará ser "até certo ponto inclinado" a favor dos EUA.

Entre os mercados chineses, o índice Xangai Composto teve ligeira baixa de 0,03% hoje, a 3.043,94 pontos, enquanto o menos líquido Shenzhen Composto apresentou modesto ganho de 0,16%, a 1.619,12 pontos.

Em discurso mais cedo, o premiê chinês, Li Keqiang, disse que Pequim irá eliminar limites à participação de capital estrangeiro no setor financeiro em 2020, um ano antes do programado anteriormente, numa tentativa de atrair mais negócios e investimentos à medida que persistem as desavenças comerciais com os EUA.

Em Tóquio, o Nikkei mostrou leve avanço de 0,11% nesta terça, a 21.754,27 pontos, graças ao bom desempenho de ações do setor de eletrônicos.

Os 14 integrantes da Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) e um grupo liderado pela Rússia de 10 produtores, aliados ao cartel, finalizaram nesta terça-feira a extensão por nove meses do acordo para cortar sua produção conjunta em 1,2 milhão, afirmaram autoridades da Opep.

Além disso, a Opep e a Rússia selaram um pacto de cooperação de longo prazo, estendendo uma parceria estabelecida há dois anos para combater uma disparada na oferta dos Estados Unidos que frustrou o poder de precificação do cartel, acrescentaram as fontes.

Cinco governadores das regiões Nordeste e Norte, os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP), o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), e o líder da maioria na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), discutiram na noite desta segunda-feira, 1, termos para o apoio a entrada dos Estados no texto final da reforma da Previdência. O deputado Mauro Benevides Filho (PDT-CE) também estava presente. Os Estados buscam negociar formas de novas recursos entrarem em suas regiões com o fim de reduzir o déficit previdenciário local.

De acordo com a assessoria do presidente do Senado, que recebeu os governadores na residência oficial, o clima é de que as negociações estão "avançando bem", a partir de uma conscientização de que a reforma deve incluir todos, mas que ainda não há acordo entre todos os governadores. Por isso, o debate deve ser retomado nesta terça-feira, 2, às 10h30, na casa de Maia, que também terá a participação de Alcolumbre.

O encontro na residência oficial do presidente do Senado reuniu os governadores Camilo Santana (PT-CE), Hélder Barbalho (MDB-PA), Renan Filho (MDB-AL) Wellington Dias (PT-PI) e João Azevedo (PSB-PB). Os políticos saíram sem falar com a imprensa, mas, ao chegar para a reunião, Santana disse a jornalistas que se discute a criação de um fundo de compensação previdenciária para combater o déficit registrado nas aposentadorias públicas dos Estados.

A Light lança oferta restritas de ações, em distribuição primária (novas ações) e secundária, na qual o acionista vendedor é a Cemig, com 11,1 milhões de ações. O procedimento de coleta de intenções de investimento (bookbuilding) se encerra no próximo dia 8, quando será definido o preço da ação na oferta.

Ao preço de fechamento de ontem, R$ 18,85, esse follow on (oferta subsequente) pode movimentar cerca de R$ 2,5 bilhões - contando com o lote adicional de até 20% da quantidade original.

A oferta é de inicialmente 111.111.111 ações, com 100 milhões na primária e 11.111.111 na secundária. A coordenação é do Itaú BBA (líder), ao lado de Santander, Citi, XP Investimentos, BTG Pactual, Bradesco BBI e BB Investimentos. Na primária, ocorre colocação prioritária, para acionistas que se inscrevam de hoje (2) até 8 de julho.

A destinação dos recursos da oferta primária será fortalecimento e otimização da estrutura de capital, "reduzindo assim seu nível de endividamento e melhorando sua posição de caixa", conforme aprovado pelo conselho de administração na noite de segunda-feira. Já a secundária irá diretamente para o caixa da Cemig. A companhia energética mineira detém 49,99% da Light atualmente, o que corresponde a cerca de 100 milhões de ações ordinárias.

A produção industrial caiu 0,2% em maio ante abril, na série com ajuste sazonal, divulgou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado vem menos intensa que a mediana, de -0,35%, das expectativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde uma queda de 1,3% a avanço de 2,0%.

Em relação a maio de 2018, a produção subiu 7,1%. Nessa comparação, sem ajuste, as estimativas variavam de um aumento de 2,3% a 9,8%, com mediana positiva de 6,85%.

No ano de 2019, a indústria teve queda de 0,7%. No acumulado em 12 meses, a produção na indústria ficou estável (0,0%).

O gráfico diário do IBOV mostra uma movimentação dúbia e complexa, com altas modestas nas últimas sessões e máximas e mínimas que superam a sessão anterior, porém com sombras superiores que deixam algumas pulgas atrás das orelhas dos investidores.

Um referência importante é a média móvel de 5 períodos, a qual está servindo de guia no curtíssimo prazo.

A abertura ocorre novamente em campo positivo nessa terça-feira.

O desafio será manter os negócios em valorização, com fechamento firme, trazendo, dessa forma, o famoso "algo novo".

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário