quarta-feira, 19 de junho de 2019

Cenário 19/06/2019

As bolsas asiáticas fecharam em alta generalizada nesta quarta-feira, após desdobramentos positivos relacionados à disputa comercial entre Estados Unidos e China. Há expectativas também de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) siga hoje o caminho do Banco Central Europeu (BCE) no sentido de abrir as portas para futuros cortes de juros.

Entre os mercados chineses, o índice Xangai Composto subiu 0,96%, a 2.917,80 pontos, e o menos líquido Shenzhen Composto terminou o dia com valorização de 1,48%, a 1.526,77 pontos.

O presidente dos EUA, Donald Trump, revelou no Twitter ontem que "teve uma conversa telefônica muito boa" com o presidente chinês, Xi Jinping, e que ambos terão uma "reunião estendida" na próxima semana às margens da cúpula de líderes do G20 a ser realizada em Osaka, no Japão, reavivando esperanças de que as duas maiores economias do mundo consigam fechar um acordo comercial.

Antes de encontrar Xi, segundo Trump, autoridades dos dois países irão retomar as discussões comerciais que estão congeladas desde o mês passado. Os comentários do presidente americano ajudaram as bolsas de Nova York a fechar ontem com robustos ganhos, que variaram de cerca de 1% a 1,4%.

Investidores na Ásia - e em outras partes do mundo - também aguardam a decisão de política monetária do Fed, que será anunciada às 15h (de Brasília). A previsão é de que o Fed mantenha seus juros básicos nos níveis atuais, mas sinalize a possibilidade de cortes nos próximos meses, em parte por causa das incertezas no diálogo comercial sino-americano.

Se as apostas se confirmarem, o Fed seguirá a trajetória do presidente do BCE, Mario Draghi, que ontem sugeriu que a instituição poderá voltar a cortar juros e comprar ativos se não houver melhora na perspectiva econômica da zona do euro.

Em Tóquio, o Nikkei avançou 1,72% hoje, a 21.333,87 pontos, também na expectativa para o anúncio de política monetária do Banco do Japão (BoJ), prevista para a madrugada desta quinta-feira.

A taxa anual de inflação ao produtor da Alemanha, medida pelo índice conhecido como PPI, desacelerou de 2,5% em abril para 1,9% em maio, segundo dados publicados hoje pela agência de estatísticas do país, a Destatis.

Em relação a abril, o PPI alemão caiu 0,1% em maio.

Excluindo-se custos de energia, que podem mostrar volatilidade, o PPI da Alemanha teve aumento de 1,1% na comparação anual de maio, mas ficou estável ante abril, informou a Destatis.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) disse hoje que adiará sua reunião para os dias 1 e 2 de julho, confirmando rumores que circularam mais cedo. Originalmente, o encontro estava marcado para os próximos dias 25 e 26.

Em comunicado, a Opep informou que a reunião de ministros de Energia do grupo será no dia 1º de julho. No dia seguinte, 2 de julho, se reunirão ministros da Opep e de um grupo de dez países aliados, liderados pela Rússia, conhecidos coletivamente como Opep+.

Na ocasião, a Opep+ irá discutir a manutenção ou não de cortes na produção que entraram em vigor no começo do ano e vencem no fim deste mês. Desde janeiro, produtores da Opep+ têm buscado reduzir sua oferta combinada em 1,2 milhão de barris por dia, numa tentativa de impulsionar os preços do petróleo.

A Arábia Saudita, líder informal da Opep, deseja estender os cortes na produção para o segundo semestre, segundo autoridades ouvidas pela Dow Jones Newswires.

A Vale poderá retomar as operações a úmido da mina de Brucutu, em Minas Gerais, em até 72 horas, após decisão do Superior Tribunal de Justiça. Também no comunicado assinado pelo diretor executivo de Relações com Investidores, Luciano Siani Pires, a companhia reitera as projeções (guidance) de vendas de minério de ferro e pelotas de 307 milhões a 332 milhões de toneladas este ano, como anteriormente divulgado, e informa que "a expectativa atual é que as vendas se aproximem do centro da faixa."

A decisão do STJ acata pedido apresentado pelo município de São Gonçalo do Rio Abaixo, suspendendo a decisão do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, em pedido liminar do Ministério Público, que impedia atividades da barragem Laranjeiras, em Brucutu.

Além disso, a companhia informa que como consequência dessa retomada, "haverá um incremento da qualidade média do portfólio de produtos".

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, irá ao Senado nesta quarta-feira, 19, para explicar as supostas mensagens trocadas com procuradores da Lava Jato durante à Operação. A audiência será realizada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa a partir das 9 horas.

Moro vai ao Senado um dia depois de novas mensagens divulgadas pelo site The Intercept Brasil, em que o ex-juiz teria questionado, em 2017, uma investigação envolvendo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

O ministro terá 30 minutos para fazer uma exposição inicial. Na sequência, cada senador terá cinco minutos para fazer perguntas. Moro terá cinco minutos para responder, além de dois minutos para réplica e outros dois para tréplica. As inscrições para os senadores começaram mesmo antes do início da audiência. O primeiro a chegar, às 7h45, e a se inscrever foi o líder do PDT, Weverton (MA). A segunda foi a senadora Soraya Thronicke (PSL-MS).

A estratégia de governistas é defender Moro no colegiado atacando a invasão de celulares e classificando como normais os contatos entre magistrados e procuradores. Já a oposição quer concentrar as perguntas no conteúdo das mensagens divulgadas, questionando o ministro sobre sua conduta enquanto juiz da Lava Jato. Alguns parlamentares ponderam que ainda querem aguardar novas revelações do caso.

Ontem, o ministro da Justiça almoçou com deputados da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) e com a senadora Soraya. Ela relatou que Moro mostrou tranquilidade com sua presença no Senado.


O gráfico diário do IBOV mostra uma barra elefante, com bom volume e sem sombras, mostrando pleno domínio dos touros na sessão de ontem.

Fechou logo acima de um ponto-chave (99.365), capaz de acionar um pivot de alta ou marcar um topo duplo.

A super quarta promete.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário