sexta-feira, 24 de maio de 2019

Cenário 24/05/2019

As bolsas da Ásia fecharam sem sinal único, nesta sexta-feira, com Xangai praticamente estável, mas Tóquio com baixa modesta. Investidores continuaram a monitorar as tensões comerciais entre Estados Unidos e China, em um quadro ainda de cautela e menos propensão à tomada de risco, o que levou a baixas em geral nas praças da região.

Na China, a Bolsa de Xangai fechou em alta de 0,02%, em 2.852,99 pontos, e a de Shenzhen, de menor abrangência, recuou 0,49%, a 1.564,51 pontos. A Bolsa de Xangai recuou pela quinta semana consecutiva. Ações ligadas ao consumo avançaram, enquanto papéis ligados a terras-raras e carne artificial recuaram.

Na Bolsa de Tóquio, o índice Nikkei registrou queda de 0,16%, a 21.117,22 pontos, com baixa de 0,6% na semana. Pela primeira vez neste ano, a praça japonesa recuou pela terceira semana consecutiva. A queda de ontem do petróleo penalizou ações de mineradoras hoje em Tóquio.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng teve ganho de 0,32%, a 27.353,93 pontos, após atingir nesta semana mínimas em quatro meses. O Hang Seng também teve a terceira queda semana consecutiva pela primeira vez neste ano. Hoje, China Mobile subiu 1,8% e Techtronic avançou 3%, mas Tencent registrou sua sétima queda consecutiva, em baixa de 0,4%. Sands China caiu 3,05%.

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, anunciou nesta sexta-feira que deixará o comando do Partido Conservador em 7 de junho. Em breve discurso diante da residência oficial dos premiês em Londres, May explicou que seguirá como primeira-ministra durante a escolha do próximo líder do Partido Conservador, que será consequentemente o próximo premiê.

May afirmou que a disputa pelo comando do partido deve começar na semana seguinte à saída dela da liderança conservadora. Ela disse que, em uma democracia, é importante sobretudo respeitar a vontade popular, que foi pela saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit) na votação de 2016. "Infelizmente, não tenho conseguido aprovar o acordo" com a UE no Parlamento britânico, admitiu. Nesse quadro, ela disse que "está claro para ela" que é "do melhor interesse do Reino Unido" sua saída do posto.

A premiê ainda terminou seu pronunciamento com a voz embargada, ao lembrar que foi a segunda premiê da história do Reino Unido, "mas certamente não serei a última". May chegou ao poder justamente em julho de 2016 e, antes dela, apenas a também conservadora Margaret Thatcher havia ocupado esse cargo, entre 1979 e 1990.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) registrou alta de 0,35% em maio, após ter avançado 0,72% em abril, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado veio abaixo da mediana de 0,41% computada nas estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo Projeções Broadcast, que esperavam uma alta entre 0,31% e 0,51%.

Com o dado anunciado hoje, o IPCA-15 acumulou um aumento de 2,27% no ano. Nos 12 meses encerrados em maio, o indicador ficou em 4,93%, abaixo da mediana esperada. As projeções iam de avanço de 4,89% a 5,10%, com mediana de 5,00%.



O gráfico diário do IBOV mostra uma correção até as médias, após dois dias de forte valorização.




Com a retomada da compra nessa sexta-feira, desde que o fechamento seja positivo, o caminho mais provável será o rompimento da máxima da semana (95.210), seja hoje ou segunda-feira, acionando assim um pivot de alta.

Consequentemente haveria o rompimento da linha superior da cunha de baixa, reforçando a leitura de apreciação dos preços à frente.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário