terça-feira, 30 de abril de 2019

Cenário 30/04/2019

As bolsas asiáticas fecharam sem sinal único, nesta terça-feira, ainda durante o feriado prolongado no Japão que deixa a Bolsa de Tóquio fechada. Na China, a Bolsa de Xangai registrou ganhos, recuperando-se da queda do pregão anterior.

A Bolsa de Xangai fechou em alta de 0,52%, em 3.078,34 pontos. A de Shenzhen, por sua vez, subiu 0,67%, a 1.711,55 pontos, retomando em parte o terreno perdido com a queda de 2,41% na segunda-feira. Os setores de energia e concessionárias puxaram os ganhos hoje, nas ações chinesas.

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial da China recuou de 50,5 em março para 50,1 em abril, segundo dados oficiais do Escritório Nacional de Estatísticas (NBS, na sigla em inglês).

O resultado ficou abaixo da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam redução apenas marginal do indicador, a 50,4.

Apesar da queda, a leitura acima da marca de 50 indica que a manufatura na China se expandiu pelo segundo mês consecutivo em abril, ainda que em ritmo mais contido.

Já o PMI chinês oficial de serviços caiu de 54,8 em março para 54,3 em abril.

O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro registrou crescimento de 0,4% no primeiro trimestre ante o quarto trimestre do ano passado. Na comparação anual, o PIB da região teve alta de 1,2%. Os resultados superaram as projeções dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal, que eram de avanços de 0,3% e 1,0%, respectivamente.

Na comparação anual, o PIB da zona do euro manteve o patamar de crescimento de 1,2% do quarto trimestre do ano passado. Ante o trimestre imediatamente anterior, o resultado mostrou aceleração, já que o avanço do PIB no quarto trimestre ante o terceiro havia sido de 0,2%.

A Gol encerrou o primeiro trimestre de 2019 com lucro líquido de R$ 35,2 milhões, com retração de 83,7% ante os R$ 215,6 milhões informados um ano antes, no critério antes da participação minoritária da Smiles. Se considerando o critério depois da participação minoritária, a empresa reportou prejuízo líquido de R$ 32,3 milhões, ante lucro de R$ 142,3 milhões um ano antes. Entre os principais fatores que tiveram impacto nos resultados do período, a empresa cita em seu informe de resultados a variação cambial e monetária negativa de R$ 90,7 milhões. Um ano antes, essa variação foi negativa em R$ 40,2 milhões.

O Santander Brasil apresentou lucro líquido gerencial, que não considera ágio de aquisições, de R$ 3,485 bilhões no primeiro trimestre do ano, cifra 21,9% maior do que no mesmo período do ano passado, de R$ 2,859 bilhões. Ante os três meses anteriores, quando foi de R$ 3,405 bilhões, cresceu 2,3%.

Com tal resultado, a filial brasileira contribuiu com 29% do desempenho de todo o grupo no período, de acordo com dados divulgados pela matriz espanhola nesta manhã na Europa. Com a nova marca, o Brasil avança como a maior fonte de ganhos para o grupo. Ao longo do ano passado, a fatia de lucro gerada no Brasil para o Santander havia sido de 26%.

A taxa de desocupação no Brasil ficou em 12,7% no trimestre encerrado em março, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados há pouco pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em igual período de 2018, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua, estava em 13,10%. No trimestre até fevereiro, a taxa foi de 12,4%. No trimestre até dezembro de 2018, o resultado ficou em 11,6%.

A renda média real do trabalhador foi de R$ 2.291,00 no trimestre encerrado em março. O resultado representa alta de 1,4% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A massa de renda real habitual paga aos ocupados somou R$ 205,3 bilhões no trimestre até março, alta de 3,3% ante igual período do ano anterior.



O gráfico diário do IBOV mostra um mercado com inclinação de alta, porém com "combustível" limitado devido ao fluxo cambial negativo visto nas últimas semanas.



O candle de ontem requer atenção de quem está posicionado na ponta compradora, mas nada alarmante, na minha leitura.

Temos uma estrela cadente, vermelha e com sombra superior considerável, porém vale lembrar que operamos acima das médias e a máxima e mínima de ontem foram superiores ao pregão da última sexta-feira.

A sessão de hoje será decisiva, pois fecha o mês e temos feriado amanhã, data na qual o FED será o centro das atenções.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário