quarta-feira, 24 de abril de 2019

Cenário 24/04/2019

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quarta-feira, depois que dois dos três principais índices acionários de Nova York terminaram o pregão de ontem em níveis recordes. Na Oceania, o mercado da Austrália atingiu o maior nível em mais de uma década, após dados fracos de inflação realimentarem especulação sobre corte nos juros locais.

Em mais um dia marcado por volatilidade, as bolsas chinesas assumiram viés positivo nos negócios da tarde e ficaram no azul, apagando parte das perdas dos últimos dois dias. O Xangai Composto teve alta marginal de 0,09% hoje, a 3.201,61 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,10%, a 1.747,88 pontos.

Ontem, tanto o S&P 500 quanto o Nasdaq renovaram recordes de fechamento em Wall Street, na esteira de balanços corporativos animadores de grandes empresas dos Estados Unidos. O Dow Jones também avançou, mas ficou 1,1% abaixo de uma nova máxima.

Na próxima semana, a Casa Branca vai enviar uma delegação de alto nível para Pequim para retomar negociações comerciais com a China. Como em ocasiões anteriores, o Representante de Comércio dos EUA, Robert Lighthizer, e o Secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, irão se encontrar na capital chinesa com o vice-primeiro-ministro da China, Liu He, para conversas que terão início no dia 30. Na semana seguinte, Liu e outras autoridades chinesas viajarão a Washington para mais discussões que começarão no dia 8 de maio.

Em Tóquio, o Nikkei caiu 0,27% hoje, a 22.200,00 pontos, interrompendo uma sequência de três pregões de ganhos. Pesaram no índice japonês ações de montadoras e de corretoras. A Nissan, por exemplo, sofreu um tombo de 4% com rumores de que a empresa iria cortar projeções para o ano fiscal, o que se confirmou após o fechamento da bolsa japonesa.

O índice de sentimento das empresas da Alemanha caiu de 99,7 pontos em março para 99,2 em abril, segundo pesquisa divulgada hoje pelo instituto alemão Ifo. O resultado frustrou analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam avanço do indicador a 99,9 pontos neste mês. O dado de março foi ligeiramente revisado para cima, de 99,6 originalmente.

O chamado subíndice de condições atuais do Ifo recuou de 103,9 pontos em março para 103,3 em abril, enquanto o subíndice de expectativas econômicas diminuiu de 95,6 pontos para 95,2.

A pesquisa mensal do Ifo envolve cerca de 9.000 empresas dos setores de manufatura, serviços, comércio e construção.

A Via Varejo apresentou no primeiro trimestre deste ano prejuízo líquido de R$ 49 milhões, revertendo lucro de R$ 64 milhões no mesmo período do ano passado. A diretoria da varejista, que reúne as marcas Casas Bahia, Ponto Frio, Extra.com e Bartira, explica que apesar da redução das despesas, o resultado foi impactado pela menor venda e menor margem bruta no período.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado ficou 18,2% menor na mesma comparação, em R$ 521 milhões, com margem de 8,2%, contra 9,7% no primeiro trimestre de 2018. "Excluindo os efeitos do IFRS 16, o EBITDA Ajustado seria de R$ 333 milhões (margem de 5,3%), em linha com o guidance e mostrando evolução operacional trimestre após trimestre (1,4% no 4T18)", diz a companhia no informe de resultados. A Via Varejo adotou as normas do IFRS 16 a partir de janeiro, que se referem a operações de arrendamento mercantil (elimina a distinção entre arrendamentos operacionais e arrendamentos financeiros).

A receita líquida da companhia soma R$ 6,330 bilhões no primeiro trimestre, queda de 4,0% sobre igual período do ano anterior. A margem bruta caiu de 33,2% para 27,6%.

Brasil registrou fechamento de vagas formais de emprego em 19 das 27 unidades da Federação em março, conforme os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado hoje pelo Ministério da Economia. O pior desempenho foi registrado pelo Estado de Alagoas, que apresentou queda de 2,79% do emprego com carteira assinada no mês (fechamento de 9.636 vagas).

No Sudeste, São Paulo apresentou retração de 0,07%, com encerramento de 8.007 vagas, e o Rio de Janeiro teve baixa de 0,21%, com o fechamento de 6.986 postos. O Espírito Santo apresentou queda de 0,12% do emprego formal, com o encerramento de 843 vagas. Na outra ponta, Minas Gerais foi um dos oito Estados com resultado positivo, com alta de 0,13% do emprego formal (geração de 5.163 vagas).

Considerando todo o Brasil, o Caged indicou o fechamento de 43.196 vagas em março, o que representa uma queda de 0,11% ante o mês anterior.

Depois de 62 dias do envio da reforma da Previdência, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara deu o sinal verde para a proposta do governo, que segue agora para análise de mérito na comissão especial. A admissibilidade foi aprovada por 48 votos a 18. A aprovação foi sucedida de comemoração dos governistas e vaias da oposição.
A tramitação na CCJ, que analisa a constitucionalidade do texto, durou mais tempo do que o governo esperava, o que obrigou a equipe econômica a ceder pontos já na largada.

Apesar das negociações, a proposta aprovada ainda preserva a economia de R$ 1,1 trilhão estimada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

O governo Michel Temer levou apenas 10 dias para passar a sua proposta de reforma na CCJ. A reforma do presidente Jair Bolsonaro chega agora na comissão especial sob pressão dos partidos do Centrão para novas mudanças. Foram as lideranças do Centrão que conseguiram negociar as quatro alterações no texto, ameaçando barrar a votação.

O gráfico diário do IBOV mostra o rompimento das médias móveis como resistência.

Pelo princípio da inversão de polaridade serão suportes, em caso de correção, assim como a região concentrada entre 95.040 e 95.140.

O desafio será manter os preços acima da LTB (pontilhada em azul) rompida recentemente.

Nesse caso, começa a mirar 97.610 dentro de alguns pregões.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário