terça-feira, 2 de abril de 2019

Cenário 02/04/2019

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta moderada nesta terça-feira, sustentadas por dados positivos sobre a manufatura da China e dos Estados Unidos que ajudaram a aliviar preocupações com a saúde da economia global.

Entre os mercados chineses, o Xangai Composto subiu 0,20% hoje, a 3.176,82 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto teve leve avanço de 0,11%, a 1.757,60 pontos, com ambos os índices ampliando fortes ganhos dos dois pregões anteriores.

No fim de semana, pesquisas do governo chinês e de uma empresa privada mostraram que a atividade no setor industrial da China voltou a se expandir em março, após se contrair nos meses anteriores. Já ontem, nos EUA, indicador do Instituto para Gestão de Oferta (ISM, pela sigla em inglês) mostrou que a atividade manufatureira do país cresceu em ritmo mais forte do que se previa no mês passado.

Os números animadores vieram num momento de relativo otimismo para as negociações comerciais entre Estados Unidos e China, que serão retomadas esta semana em Washington. No fim da semana passada, autoridades de ambos os países tiveram conversas em Pequim, que, segundo a Casa Branca, foram "construtivas".

A exceção na região asiática foi o Nikkei, que registrou baixa marginal de 0,02% em Tóquio, a 21.505,31 pontos, à medida que o índice japonês migrou para território negativo na última meia hora de negócios.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, tem marcado uma agenda intensa com seu gabinete enquanto o governo tenta encontrar uma saída para a crise do Brexit. A expectativa é de que ocorra uma reunião de cinco horas nesta terça-feira, à medida que May busca pressionar por uma quarta votação de seu acordo, já rejeitado por três vezes.

O negociador-chefe da União Europeia (UE) para o Brexit, Michel Barnier, afirmou hoje que o divórcio sem um acordo "se torna mais provável dia após dia" depois que o Parlamento do Reino Unido rejeitou o texto do acordo negociado por May com a UE.

Mesmo assim, Barnier destacou, sobre um cenário de Brexit turbulento, que "ainda podemos esperar evitá-lo" por meio de um trabalho intensivo em Londres antes da reunião do Conselho Europeu, em 10 de abril. Um Brexit sem compromisso poderia chegar dois dias depois disso, no dia 12, sem a aprovação de um acordo.

Apesar das dificuldades de uma saída caótica, "a UE será capaz de administrar", disse Barnier, embora tenha advertido que "nem tudo será tranquilo".

O Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) ganhou força em cinco das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV) em março. O índice cheio fechou o mês passado com alta de 0,65%, uma taxa 0,04 ponto porcentual acima da taxa divulgada na apuração anterior.

Após os atritos entre o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), terem respingado nas articulações pela reforma da Previdência, o ministro da Economia, Paulo Guedes, recebe nesta terça-feira parlamentares de quatro legendas: PSL, PSD, DEM e PRB.

Com o clima conflagrado no Congresso Nacional, assessores de Guedes já haviam entrado em campo para estabelecer uma ponte entre a equipe econômica e as bancadas. A ideia é que o ministro se reúna com pequenos grupos, de cerca de dez parlamentares, para aplacar os ânimos e recuperar o diálogo com o Congresso.

A bancada do PSL, legenda de Bolsonaro, é a que terá a maior atenção do ministro, com uma reunião das 14h às 17h, acompanhada pelo secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho.

Mas o dia começa antes, às 9h, numa reunião com parlamentares da bancada do PSD. Marinho também participa.

Guedes terá encontros com parlamentares também sobre outros assuntos. Às 10h, o ministro recebe o líder do DEM na Câmara, Elmar Nascimento (BA), acompanhado do secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra.

Às 11h, o ministro da Economia recebe o deputado Silvio Costa Filho (PRB-PE), presidente da Frente Parlamentar Mista do Pacto Federativo.

O governo precisa consolidar uma base de apoio à reforma da Previdência na batalha que será travada no Legislativo. Diante do vácuo na articulação deixado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a ideia é que Guedes entre na "arrumação" da casa e cumpra um papel bem próximo da articulação política pela reforma.

A agenda parlamentar será uma das prioridades do ministro nos próximos dias, com foco principalmente na Previdência, mas também em outros assuntos sensíveis para a pasta.

Na semana passada, em audiência na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, Guedes destacou a necessidade de avançar com o Novo Pacto Federativo (que pressupõe uma divisão maior de recursos com Estados e municípios) e com a reforma tributária. 

O gráfico diário do IBOV mostra o repique concluído, uma vez que houve busca pela média móvel de 21 períodos.

Desse ponto em diante saberemos se o voo é de águia ou de galinha, separaremos o joio do trigo, repique de uma possível inflexão.

O pregão será importante e crucial, decisivo e definitivo.

As médias móveis de 5 e 21 períodos, assim como máxima e mínima de ontem servirão como referências, na minha leitura.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário