quinta-feira, 4 de abril de 2019

Cenário 04/04/2019

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta modesta nesta quinta-feira, com investidores à espera dos desdobramentos das negociações comerciais entre Estados Unidos e China.

Ontem, funcionários de alto escalão dos governos americano e chinês retomaram discussões comerciais em Washington, dando continuidade ao diálogo da semana passada em Pequim.

Na tarde desta quinta, o presidente dos EUA, Donald Trump, pretende se encontrar com o vice-primeiro-ministro da China, Liu He, segundo programação da Casa Branca. Fontes dizem que Trump poderá aproveitar a oportunidade para anunciar uma reunião de cúpula com o presidente chinês, Xi Jinping.

Nesta semana, surgiram relatos de que EUA e China já teriam concluído 90% de um eventual acordo comercial e que Pequim terá até 2025 para cumprir metas estabelecidas no pacto. Já o diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, Larry Kudlow, comentou ontem que a China "pela primeira vez" reconheceu preocupações de Washington referentes a questões comerciais, depois de "ficar em negação" por muito tempo.

Entre os mercados chineses, o índice Xangai Composto subiu 0,94% hoje, a 3.246,57 pontos, renovando máxima em um ano, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,45%, a 1.780,02 pontos, alcançando o maior nível desde maio de 2018. Como não haverá negócios amanhã (05) devido a um feriado nacional, o Xangai e o Shenzhen encerraram a semana com valorização de cerca de 5%.

Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei teve alta marginal de 0,05% em Tóquio, a 21.724,95 pontos, e o sul-coreano Kospi subiu 0,15% em Seul, a 2.206,53 pontos, mas o Hang Seng contrariou o viés positivo e caiu 0,17% em Hong Kong, a 29.936,32 pontos. Em Taiwan, a bolsa não operou hoje e continuará fechada amanhã em função de feriados.

As encomendas à indústria da Alemanha tiveram forte queda de 4,2% em fevereiro ante janeiro, segundo dados com ajustes sazonais divulgados hoje pela agência de estatísticas do país, a Destatis. O resultado frustrou a expectativa de analistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam alta de 0,5% nas encomendas.

Apenas as encomendas externas sofreram um tombo de 6% em fevereiro ante o mês anterior. As encomendas domésticas, por sua vez, apresentaram redução menor, de 1,6%.

Na comparação anual, as encomendas totais registraram contração de 8,4% em fevereiro, no cálculo sem ajuste sazonal. 

O secretário de Estado do Brexit do governo do Reino Unido, Stephen Barclay, afirmou nesta quinta-feira que há um cenário em que o projeto de lei aprovado ontem na Câmara dos Comuns - e que agora vai para análise na Câmara dos Lordes -, visando excluir a possibilidade de um Brexit sem acordo, "aumenta o risco" de que essa saída turbulenta da União Europeia (UE) ocorra, "acidentalmente", de forma turbulenta.

Segundo o conservador, esse cenário se concretizaria se um acordo do Brexit não for aprovado antes de 10 de abril, quando haverá a reunião extraordinária do Conselho Europeu, e o Parlamento britânico então determinasse que o governo pedisse uma determinada extensão do prazo, mas os 27 Estados-membros remanescentes na UE decidissem oferecer um adiamento diferente.

O presidente Jair Bolsonaro se rendeu à chamada "velha política" e vai se reunir, a partir desta quinta-feira, com dirigentes de onze partidos para convidá-los a integrar a base de sustentação do governo no Congresso. O primeiro é o presidente do PRB, o deputado federal Marcos Pereira, que critica a liderança do governo e diz que vai ao encontro mais para ouvir do que falar.

"O diálogo começa a partir de agora. Vamos ouvir o governo. Quem chama, tem algo a para falar", afirmou o presidente do PRB em entrevista à rádio CBN nesta quinta-feira.


O gráfico diário do IBOV mostra uma correção de preços após a recuperação recente, motivada pelo teste de uma LTA, formação de pinça de fundo e rompimento falso de 93.305.


Vale lembrar que o mercado operou fora da banda de bollinger inferior e voltou rapidamente para dentro do padrão, o que geralmente materializa movimentos contrários, no caso o repique visto entre 28/03 e 01/04.

Depois disso tivemos as últimas duas sessões corretivas, alcançado 50% de Fibonacci entre o último fundo e topo marcado em 01/04.

Estamos entre a formação de um pivot de alta, talvez até mesmo um mastro-bandeira ou uma correção mais aguda que levaria ao teste da citada LTA.

A sessão de hoje será crucial.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário