terça-feira, 22 de janeiro de 2019

IBOV deixa longa sombra e resiste


Bom dia, investidor!

IBOV testou suporte na MM5 e resistiu bem >>> LEIA MAIS >>>

 As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta terça-feira, à medida que preocupações sobre a perspectiva econômica global voltaram a prejudicar o apetite por risco.

Ontem, o Fundo Monetário Internacional (FMI) mais uma vez cortou sua projeção para o crescimento da economia global este ano, de 3,7% para 3,5%. O Fundo também ajustou sua previsão para 2020, de 3,7% para 3,6%.

O anúncio do FMI veio horas depois de a China, a segunda maior economia do mundo, revelar que cresceu 6,6% em 2018, mostrando seu pior desempenho desde 1990.

Os mercados chineses lideraram as perdas na Ásia hoje. O Xangai Composto recuou 1,18%, a 2.579,70 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto teve queda semelhante, de 1,17%, a 1.314,58 pontos.

Já em Tóquio, o japonês Nikkei caiu 0,47%, a 20.622,91 pontos, influenciado também pela valorização do iene frente ao dólar durante a madrugada.

Nesta quarta-feira, por volta da 1h de Brasília, o Banco do Japão (BoJ, pela sigla em inglês) anuncia sua decisão de política monetária. Segundo analistas, o BC japonês vai manter sua política inalterada, mas deverá cortar sua projeção de inflação para o ano fiscal de 2019.

Em outras partes da Ásia, o sul-coreano Kospi registrou baixa de 0,32% em Seul hoje, a 2.117,77 pontos, e o Hang Seng caía em torno de 0,90% pouco antes do encerramento do pregão em Hong Kong. Em Taiwan, por outro lado, o Taiex se recuperou na última hora de negócios, garantindo alta marginal de 0,05%, a 9.894,66 pontos.

O índice de expectativas econômicas da Alemanha subiu de -17,5 em dezembro para -15 em janeiro, segundo pesquisa divulgada hoje pelo instituto alemão ZEW. O resultado surpreendeu analistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam queda do indicador, a -19.

Por outro lado, o chamado índice para as condições atuais medido pelo ZEW diminuiu de 45,3 em dezembro para 27,6 em janeiro. Neste caso, a projeção era de redução bem menor, a 44.

Petrobras não fez alteração do preço médio do litro da gasolina A sem tributo nas refinarias, válido para amanhã, dia 23, em R$ 1,5491. Além disso, a estatal manteve o preço do diesel, em R$ 1,9778, conforme tabela disponível no site da empresa.

Em dezembro, a Petrobrás anunciou um mecanismo de proteção complementar em que ela pode alterar a frequência dos reajustes diários do preço do diesel no mercado interno em momento de elevada volatilidade, podendo mantê-lo estável por curtos períodos de tempo de até sete dias, 'conciliando seus interesses empresariais com as demandas de seus clientes e agentes de mercado em geral'. Já o hedge da gasolina, que passou a ser adotado em setembro, permite a empresa manter os valores estáveis nas refinarias por até 15 dias.

O petróleo opera em forte baixa na manhã desta terça-feira, com operadores realizando lucros em meio a preocupações renovadas com a saúde da economia global e depois de a commodity acumular ganhos significativos desde o começo do ano.

Os últimos sinais de enfraquecimento da economia global colocam em dúvida a demanda futura pelo petróleo.

O petróleo já subiu mais 20% desde que atingiu mínimas em mais de um ano durante a última semana de 2018, atingindo o maior nível em oito semanas na sexta-feira (18). Ontem, a commodity ficou perto da estabilidade num dia de liquidez reduzida por um feriado nos Estados Unidos.

Às 9h59 (de Brasília), o barril do petróleo tipo Brent para março caía 1,94% na Intercontinental Exchange (ICE), a US$ 61,52, enquanto o do WTI para o mesmo mês recuava 1,89% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 53,02. 

IBOV com longa sombra ontem e hoje até 10h30 = clique para ampliar

O gráfico diário do IBOV mostra um novo teste da média móvel de 5 períodos como suporte, sendo que a mesma foi novamente respeitada.

A perda da média supra citada, em fechamento, traria um algo novo e mostraria alguma pressão vendedora.

Naturalmente, se levar junto a mínima da sessão anterior, intensificaria essa leitura.

Caso contrário, as correções serão intradiárias e curtas, como visto recentemente.



Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário