quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

IBOV, de lado, aguarda correção


Bom dia, investidor!

IBOV prossegue com correção >>> LEIA MAIS >>>

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quinta-feira, em meio a preocupações renovadas com a perspectiva econômica da China e incertezas sobre o Brexit, como é conhecido o processo para que o Reino Unido se retire da União Europeia.

Nos mercados chineses, as perdas foram lideradas por empresas de menor valor de mercado do índice Shenzhen Composto, que caiu 0,94% hoje, a 1.309,14 pontos. O mais abrangente Shanghai Composto recuou 0,42%, a 2.559,64 pontos.

Gerou cautela na China notícia de que um grupo bipartidário de congressistas nos EUA apresentou projetos de lei para impedir a venda de chips e de outros componentes americanos para a gigante chinesa de telecomunicações Huawei Technologies e outras companhias chinesas do setor que violem sanções ou leis de controle de exportações dos EUA.

Antes disso, o Wall Street Journal relatou que promotores federais nos EUA estão investigando a Huawei por suposto roubo de segredos comerciais de empresas americanas.

Os acontecimentos envolvendo a Huawei vêm num momento em que EUA e China tentam superar suas divergências comerciais. Hoje, o Ministério de Comércio chinês confirmou que o vice-primeiro-ministro do país, Liu He, irá visitar Washington nos próximos dias 30 e 31 para uma nova rodada de discussões comerciais com os EUA, como havia sido revelado por fontes com conhecimento do assunto na semana passada.

Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei caiu 0,20% em Tóquio, a 20.402,27 pontos, e o Hang Seng perdeu 0,54% em Hong Kong, a 26.755,63 pontos, mas o Taiex subiu 0,26% em Taiwan, a 9.879,15 pontos, e o sul-coreano Kospi teve alta marginal de 0,05%, a 2.107,06 pontos.

Também continua no radar dos investidores a questão do Brexit. Ontem, a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, sobreviveu a uma moção de desconfiança no Parlamento, um dia depois de os legisladores britânicos rejeitarem por ampla maioria o acordo de Brexit que a premiê havia negociado com outros líderes da UE. May tem agora até segunda-feira (21) para apresentar um "plano B" para o Brexit.

O Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S), calculado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), acelerou em quatro das sete capitais pesquisadas na segunda quadrissemana de janeiro na comparação com a leitura anterior. A informação foi divulgada hoje pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Na segunda medição deste mês, o IPC-S sofreu alta de 0,52%, após expansão de 0,44% na primeira quadrissemana de janeiro.

Conforme a FGV, os acréscimos registrados nas taxas do IPC-S em relação ao encerramento de novembro foram os seguintes: Salvador (de 0,55% para 0,61%); Brasília (de 0,35% para 0,40%); Belo Horizonte (de 0,51% para 0,70%) e São Paulo (de 0,28% para 0,55%). Os decréscimos foram verificados em Recife (de 0,38% para 0,29%) e Rio de Janeiro (de 0,73% para 0,71%). Em Porto Alegre, a taxa ficou estável em 0,30%.

A agenda de balanços internacionais desta quinta-feira traz como destaque a divulgação dos resultados da Netflix, do Morgan Stanley e da American Express. Na Europa, o Casino divulga seu relatório de vendas referente ao quarto trimestre.

O Banco Central informou há pouco que seu Índice de Atividade (IBC-Br) registrou alta de 0,49% no acumulado do trimestre até novembro de 2018, na comparação com o trimestre anterior (junho a agosto), pela série ajustada.

O BC informou ainda que o IBC-Br acumulou alta de 1,87% no trimestre até novembro de 2018 ante o mesmo período do ano passado, pela série sem ajustes sazonais.

Considerado uma espécie de "prévia do BC para o PIB", o IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses.

IBOV abriu estável e fez mínima às 11h00 = clique para ampliar


O gráfico diário do IBOV mostra uma típica correção no tempo, com a média móvel de 21 períodos subindo lentamente ao longo dos dias, uma vez que a oscilação é positiva, apesar de leve.

O enforcado desenhado no pregão do dia 15/01 continua válido, sendo que a perda da sua mínima traria o famoso "algo novo", se ocorrer.

Ademais a média móvel de 5 períodos é uma variável a ser acompanhada a mercado, pois desde a formação de fundo no final do ano ela tem dado sustentação aos preços.




Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário