quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

IBOV marca fundo


Bom dia, investidor!

IBOV bate no fundo e reage >>> LEIA MAIS >>>

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quarta-feira, à espera do evento mais relevante da semana - a decisão de política monetária do Federal Reserve, ou Fed, como é conhecido o banco central dos Estados Unidos.

A expectativa é que o Fed eleve seus juros básicos pela quarta vez este ano, após concluir reunião de dois dias no fim da tarde de hoje. Investidores, porém, estão mais ansiosos para saber quantos aumentos de juros o BC americano projetará para 2019. Muitos acreditam que o Fed poderá sinalizar uma pausa no aperto de sua política monetária, diante de indícios de desaceleração da economia global e temores de que os EUA voltem a enfrentar uma recessão.

Na China, o dia foi de perdas. O Xangai Composto recuou 1,05%, a 2.549,56 pontos, em parte pressionado por ações de petrolíferas, que caíram na esteira de um novo tombo nas cotações do petróleo ontem. Já o Shenzhen Composto, formado por empresas menores, teve baixa de 1,38%, a 1.294,49 pontos.

Há sinais, no entanto, de que EUA e China continuam tentando superar suas divergências comerciais. Segundo comunicado do Ministério de Comércio chinês, autoridades com nível de vice-ministro de ambos os país dialogaram sobre o comércio bilateral por telefone nesta quarta-feira.

No Japão, o índice Nikkei caiu 0,60%, a 20.987,92 pontos, atingindo o menor nível em nove meses, influenciado pela continuidade da valorização do iene ante o dólar durante a madrugada. Contribuiu para o mau humor em Tóquio a estreia malsucedida da unidade móvel do grupo SoftBank, a SoftBank Corp., após a maior oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) da história do país. A ação despencou 14,5%.

Assim como o Fed, o Banco do Japão (BoJ, pela sigla em inglês) também revê sua política monetária esta semana, com decisão esperada à 1h (de Brasília) desta quinta-feira (20), mas não há previsão de mudanças na atuais condições acomodatícias, uma vez que a inflação doméstica permanece muito abaixo do nível desejado.

A taxa anual de inflação ao produtor da Alemanha, medida pelo índice conhecido como PPI, ficou em 3,3% em novembro, repetindo o nível de outubro, segundo dados publicados hoje pela agência de estatísticas do país, a Destatis. Analistas consultados pela Trading Economics previam taxa menor, de 3%.

Em relação a outubro, o PPI alemão subiu 0,1% em novembro, informou a Destatis. A projeção de analistas era de queda de 0,2%.

Excluindo-se custos de energia, que podem mostrar volatilidade, o PPI da Alemanha ficou estável em novembro ante o mês anterior e registrou acréscimo de 1,6% na comparação anual.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirma que o atual ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab (PSD) recebeu R$ 58 milhões do grupo J&F, dono da JBS. Kassab é alvo de busca e apreensão na manhã desta quarta-feira.

Conforme Raquel Dodge, os recebimentos de valores indevidos se deram em duas situações distintas. Uma delas, informa, ocorreu entre 2010 e 2016, período em que o político teria recebido R$ 350 mil mensais, alcançando, ao todo R$ 30 milhões.

Na segunda ocasião, em 2014, cita a PGR, foram pagos R$ 28 milhões ao diretório Nacional do PSD, na época, presidido por Gilberto Kassab. O objetivo dos pagamentos era garantir o apoio do PSD ao PT na disputa presidencial de 2014.

O jornal britânico Financial Times elegeu o megainvestidor George Soros como Personalidade do Ano. "A escolha pelo Financial Times costuma ser um reflexo de suas conquistas.

No caso de Soros este ano, sua seleção também é sobre os valores que ele representa", justificou a publicação. Em 2017, a escolha foi pela engenheira de software, Susan Fowler, que denunciou práticas de assédio sexual quando trabalhava na Uber, levando a uma avalanche de denúncias em outras empresas que acabaram derrubando alguns dos executivos mais importantes dos negócios. Em 2016, o FT elegeu Donald Trump e, no ano anterior, Angela Merkel, que seguiu Tim Cook (Apple), Jack Ma (Alibaba), Mario Draghi (Banco Central Europeu).

O gráfico diário do IBOV tem um novo sinal de fundo, o que indica uma abertura positiva para essa quarta-feira, seguindo os bons ventos internacionais.

Trata-se de um harami montado sobre a LTA que guia os fundos marcados desde o início de outubro, reforçada em marrom na imagem abaixo.

O desafio será sustentar a alta ao longo do pregão. Na figura o IBOV às 10:49 = clique para ampliar.

O rompimento de 88.185 acionaria um pivot de alta no diário, reunindo força o suficiente para romper a máxima da semana passada (88.385) e acelerar a ponta compradora.




Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário