quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Ásia em alta, Europa e Américas em baixa


Bom dia, investidor!

Ásia em alta com otimismo EUA-China; Europa e Américas, inclusive IBOV, enfraquecidos por realização de lucros e definição de tendências >>> LEIA MAIS >>>>

As bolsas asiáticas fecharam em alta generalizada pelo segundo dia consecutivo nesta quinta-feira, impulsionadas por novos sinais de que Estados Unidos e China estão avançando em esforços para superar suas divergências comerciais.

Ontem, circulou notícia de que a China planeja substituir uma política industrial muito criticada pela Casa Branca por um programa que garantirá maior acesso a companhias estrangeiras. Também foi confirmado hoje que os chineses voltaram a comprar soja dos EUA, como parte de um compromisso de Pequim de ampliar importações de produtos agrícolas americanos.

Antes disso, o presidente dos EUA, Donald Trump, já havia sinalizado nesta semana que está disposto a fechar um acordo comercial com a China, depois da trégua de 90 dias acertada com o presidente chinês, Xi Jinping, no último dia 1º.

Principal índice acionário chinês, o Xangai Composto subiu 1,23% hoje, a 2.634,05 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,11%, a 1.360,92 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng teve alta de 1,29%, a 26.524,35 pontos.

Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei mostrou valorização de 0,99% em Tóquio, a 21.816,19 pontos, impulsionado por ações dos setores siderúrgico e de transporte marítimo; o sul-coreano Kospi subiu 0,63% em Seul, a 2.095,55 pontos; e o Taiex avançou 0,43% em Taiwan, a 9.858,76 pontos.

Os ganhos na região asiática vieram também na esteira do desempenho positivo dos mercados acionários de Nova York, que ontem subiram cerca de 0,5% a 1%.

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira, 13, a quinta fase da Operação Registro Espúrio, informou a Globonews.

O objetivo da nova etapa é aprofundar as investigações de desvios de valores da Conta Especial Emprego e Salário (CEES), por meio de pedidos fraudulentos de restituição de contribuição sindical.

Segundo a emissora, a equipe da PF cumpre 14 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, Goiânia, Anápolis e Londrina. A PF fez buscas também na consultoria jurídica do Ministério do Trabalho, na capital federal.

Foram alvos em fases anteriores da Registro Espúrio o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, e os deputados Jovair Arantes (PTB-GO) e Paulinho da Força (SD-SP). 

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira, 13, a Operação Trato Feito, desdobramento da Prato Feito. Segundo a TV Globo, o objetivo é prender o prefeito de Mauá, Átila Jacomussi (PSB).

São cumpridos ao todo dois mandados de prisão preventiva e 54 de busca e apreensão por 234 policiais. Todas as medidas foram decretadas, a pedido da PF, pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região.

O comunicado enviado pela assessoria da PF não detalha quem são os alvos e informa apenas que a operação de hoje mira uma organização criminosa voltada para o desvio de recursos públicos em contratos firmados com a Prefeitura de Mauá.

De acordo com a PF, o inquérito policial foi instaurado durante a análise do material apreendido na Operação Prato Feito.

Um movimento de realização de lucros enfraquece os índices acionários europeus e tira força dos futuros de Nova York antes da entrevista que o presidente do BCE, Mário Draghi, concederá após o anúncio da decisão de juros. Os analistas esperam a manutenção das taxas do BCE até o fim de 2019 ou início de 2020 e a confirmação do fim das compras líquidas de ativos promovidas pela instituição como parte do seu programa de afrouxamento quantitativo (QE) neste mês. Atualmente, a taxa de referência do BCE, a de refinanciamento, está em 0% e a taxa de depósito é de -0,4%. 

Além disso, as negociações do Brexit seguem no radar depois que a primeira-ministra Theresa May passou no teste de confiança do Partido Conservador e segue à frente das negociações do processo de saída do país da União Europeia. 

No Brasil, o Tesouro realiza o último leilão de títulos públicos deste ano e o mercado pode ter reação limitada ao Copom, que ficou dentro do script ontem à noite, ao manter da taxa Selic no piso histórico de 6,50% ao ano, pela sexta vez consecutiva, e indicar que uma elevação poderá demorar ainda por causa da inflação e da atividade econômica fracas no País, como também era esperado, e ainda que os riscos externos seguem altos para economias emergentes.

O gráfico diário do IBOV (clique para ampliar) mostra que o ponto de clímax formado pelo encontro das retas que formam o triângulo (marrom) e pela LTA vermelha impactaram os preços, estancando a queda, pelo menos na primeira batida.

O desafio do benchmark será romper e operar acima das médias móveis, que estão próximas, assim como de 87.025 e da linha de tendência de alta pontilhada em azul, sendo essa a mais antiga, digamos assim, de todas elas.




Bons negócios!


Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário