segunda-feira, 26 de novembro de 2018

IBOV luta para manter topo histórico


Bom dia, investidor!

IBOV não conseguiu se sustentar acima de 88.320, antiga máxima histórica; abre em alta seguindo exterior e mercado futuro >>> LEIA MAIS >>>

As bolsas asiáticas iniciaram a semana em tom majoritariamente positivo nesta segunda-feira, na expectativa de que os líderes da China e dos Estados Unidos façam algum tipo de avanço no diálogo comercial no fim da semana, mas ações de energia foram pressionadas pelo recente tombo das cotações do petróleo.

O Hang Seng liderou os ganhos na Ásia, fechando em alta de 1,73% em Hong Kong, a 26.376,18 pontos, graças ao bom desempenho de papéis dos setores imobiliário e de seguros, e também de operadoras de cassinos. Por outro lado, a PetroChina - petrolífera com maior valor de mercado da Ásia - teve queda de 1,5%.

Na última sexta-feira (23), os preços do petróleo despencaram entre 6,1% a 7,7%, atingindo os menores níveis desde outubro de 2017, em meio a preocupações com a expansão da oferta da commodity e sinais de desaceleração da economia global. O petróleo, contudo, ensaiou forte recuperação na madrugada de hoje, chegando a subir mais de 2% em alguns momentos.

Também ficaram no azul nesta segunda o índice japonês Nikkei, que avançou 0,76% em Tóquio, a 21.812,00 pontos, ajudado pelo enfraquecimento do iene frente ao dólar e por ações do segmento de automação de fábricas, o sul-coreano Kospi, que registrou alta de 1,24% em Seul, a 2.083,02 pontos, e o Taiex, que se valorizou 1,01% em Taiwan, seu maior ganho em quase um mês, a 9.765,36 pontos.

Na China continental, por outro lado, os mercados terminaram o dia em baixa moderada, revertendo pequenos ganhos da primeira metade do pregão. O Xangai Composto caiu 0,14%, a 2.575,81 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 0,32%, a 1.330,93 pontos, ampliando as robustas perdas - de 2,5% a 3,7% - que apresentaram na última sexta.

O grande destaque da semana é um aguardado encontro entre os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, às margens da reunião de cúpula de dois dias que o G-20 (grupo dos 20 países mais industrializados) realizará na Argentina a partir de sexta (30). Espera-se que os líderes das duas maiores economias do mundo deem alguma sinalização no sentido de superar suas divergências comerciais, fator que tem pressionado os mercados globais nos últimos meses.

O índice de sentimento das empresas da Alemanha caiu de 102,9 em outubro a 102 em novembro, segundo pesquisa divulgada hoje pelo instituto alemão Ifo. O resultado, que marcou a terceira queda consecutiva do indicador, ficou um pouco abaixo da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam redução a 102,3. O dado de outubro sofreu leve revisão para cima, de 102,8 originalmente.

O chamado índice de condições atuais do Ifo recuou de 106,1 em outubro para 105,4 em novembro, enquanto o índice de expectativas econômicas diminuiu de 99,7 para 98,7.

A pesquisa mensal do Ifo envolve cerca de 9.000 empresas dos setores de manufatura, serviços, comércio e construção. 

A XP Investimentos avalia fazer sua abertura de capital na bolsa norte-americana Nasdaq. No começo de 2017, antes de vender uma fatia de 49,9% para o Itaú Unibanco, a empresa planejava fazer uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na B3. O fundo de private equity General Atlantic, que é acionista da XP, tem interesse na operação, como porta de saída para seu investimento. A XP poderia ser avaliada, segundo bancos de investimento com os quais tem conversado, em até R$ 50 bilhões. 

O Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S), calculado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), desacelerou em todas as sete capitais pesquisadas na terceira quadrissemana de novembro na comparação com a leitura anterior. A informação foi divulgada hoje pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Na terceira medição deste mês, o IPC-S teve alta de 0,05%, depois de 0,28% na segunda quadrissemana de novembro.

Conforme a FGV, os decréscimos registrados nas taxas do IPC-S foram os seguintes: em Salvador, de 0,30% para 0,16%; Brasília, de 0,36% para 0,03%; Belo Horizonte, de 0,18% para 0,07%; Recife, de 0,03% para -0,20%; Rio de Janeiro, de 0,26% para 0,09%; Porto Alegre, de 0,29% para 0,13% e São Paulo, de 0,36% para 0,00%. 

A expectativa de alta para o Produto Interno Bruto (PIB) este ano foi de 1,36% para 1,39%, conforme o Relatório de Mercado Focus, divulgado há pouco pelo Banco Central (BC). Há quatro semanas, a estimativa era de crescimento de 1,36%. Para 2019, o mercado manteve a previsão de alta do PIB em 2,50%, igual ao visto um mês antes.

Em setembro, o BC havia reduzido sua projeção para o PIB em 2018, de 1,6% para 1,4%. Além disso, a instituição anunciou sua projeção para o PIB em 2019, de alta de 2,4%. Essas atualizações foram feitas por meio do Relatório Trimestral de Inflação (RTI).

No dia 16, o BC informou que seu Índice de Atividade (IBC-Br) cedeu 0,09% em setembro ante agosto, na série com ajuste sazonal. Na comparação com setembro do ano passado, houve alta de 0,72%, na série sem ajuste. No ano, o indicador acumula alta de 1,14%.

No relatório Focus de hoje, a projeção para a produção industrial de 2018 passou de alta de 2,19% para elevação de 2,16%. Há um mês, estava em 2,71%. No caso de 2019, a estimativa de crescimento da produção industrial foi de 3,04% para 3,02%, ante 3,14% de quatro semanas antes.

A pesquisa Focus mostrou ainda que a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2018 foi de 54,00% para 54,10%. Há um mês, estava em 54,00%. Para 2019, a expectativa passou de 56,95% para 57,13%, ante os 56,80% de um mês atrás. 


O gráfico diário do IBOV mostra um movimento complexo, com uma recuo até a média móvel de 21 períodos.

O benchmark não conseguiu se sustentar acima de 88.320, antiga máxima histórica e topo importante marcado em fevereiro/2018.

A proximidade da LTA de curto prazo marcada em azul (clique para ampliar) é um destaque, na minha leitura.

Pelas movimentações no exterior e no mercado futuro, teremos uma abertura em campo positivo, com provável teste de 87.333, o qual podemos considerar um divisor de águas para a sessão.

Clique para ampliar



Bons negócios!


Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário