quarta-feira, 28 de novembro de 2018

IBOV em voo de águia


Bom dia, investidor!

IBOV ensaia rompimento de figuras de resistência >>> LEIA MAIS >>>
As principais bolsas asiáticas fecharam com ganhos de mais de 1% nesta quarta-feira, em meio a esperanças renovadas para o encontro que os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, terão neste fim de semana para discutir suas divergências comerciais.

Nos mercados chineses, o índice Xangai Composto subiu 1,05% hoje, a 2.601,74 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,40%, a 1.355,38 pontos.

Ontem, as bolsas de Nova York terminaram o dia em tom positivo, apagando perdas do começo do pregão, após o diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, Larry Kudlow, afirmar que Washington está "se comunicando bastante" com o governo chinês, antes do aguardado encontro de Trump e Xi durante a cúpula do G-20 (grupo dos 20 países mais industrializados do mundo), na Argentina.

A expectativa é que os líderes das duas maiores economias do mundo busquem superar diferenças no âmbito comercial, depois de aplicarem tarifas a bilhões de dólares em produtos um do outro. Trump e Xi deverão conversar durante jantar na noite de sábado (01).

Kudlow disse ainda que Trump acredita haver uma "boa possibilidade" de que os dois países cheguem a um acordo. Os comentários de Kudlow vieram depois de Trump declarar, em entrevista ao The Wall Street Journal, ser "altamente improvável" que os EUA aceitem um pedido de Pequim de adiar um aumento nas tarifas impostas a US$ 200 bilhões em produtos chineses, de 10% para 25%. O ajuste está previsto para 1º de janeiro.

Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei teve alta de 1,02% em Tóquio, a 22.177,02 pontos, em seu quarto pregão consecutivo de ganhos, enquanto o Taiex avançou 1,08% em Taiwan, a 9.884,31 pontos, atingindo o maior nível em três semanas e meia, e o sul-coreano Kospi apresentou desempenho mais moderado em Seul, com valorização de 0,42%, a 2.108,22 pontos.

A Petrobras informa que a decisão desfavorável do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) de ontem, em processos administrativos fiscais que somam cerca de R$ 7 bilhões, "cabe recurso à Câmara Superior e a companhia tomará as medidas cabíveis em prol dos seus interesses e de seus investidores."

As autuações da Receita Federal se referem a cobrança de Cide (ano-base 2012) e PIS/Cofins-importação (ano-base 2010) sobre as remessas ao exterior para pagamento de afretamento de embarcações para exploração de petróleo.

Conforme nota da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), a 2ª Turma Ordinária da 4ª Câmara da 3ª Seção acolheu a tese da Fazenda em dois processos "reconhecendo a artificialidade na bipartição dos contratos de afretamento e prestação de serviços, na forma realizada pela Petrobras".

No comunicado da Petrobras, a petroleira conta ainda que o Carf iniciou outro julgamento de mesmo assunto para a cobrança de CIDE (ano-base 2011), PIS/COFINS-importação (ano-base 2011) e PIS/COFINS-importação (ano-base 2012), de cerca de R$ 12 bilhões, e que o relator votou em favor da companhia para cancelar as cobranças. "A expectativa é de que a votação continue em janeiro de 2019", diz a Petrobrás.

A empresa considerou esses casos em nota explicativa no demonstrativo financeiro do terceiro trimestre como "processos judiciais não provisionados". "Os dois eventos mencionados acima não alteram a expectativa de perda da companhia e, portanto, os processos continuam como não provisionados", conclui a Petrobras.

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), encerrou ontem à noite a sessão deliberativa que tinha como pauta principal o projeto que revisa a cessão onerosa do pré-sal. A ideia inicial era que o tema fosse colocado em votação ainda ontem, mas a equipe econômica do governo Michel Temer resiste em fechar negociação sobre o assunto. Desta forma, a pauta deve ser retomada na sessão desta quarta-feira.

A Smiles Fidelidade anuncia os nomes que compõem o comitê especial
independente que avaliará a reorganização societária pretendida pela controladora, a Gol. Os nomes serão apresentados em Assembleia Geral Extraordinária convocada para esta quinta-feira, 29. Em meados de outubro, a companhia aérea divulgou um plano de reestruturação que envolve a não renovação do contrato com a Smiles a partir de 2032 e a incorporação do programa de fidelidade, com fechamento de capital.

O gráfico diário do IBOV tem três linhas de tendência que seguraram os preços na baixa forte e rápida, ocorrida no intraday de segunda-feira.


IBOV às 11h30 com alta de 0.6%
clique para ampliar

Na ocasião os ursos desceram de elevador, como reza a lenda.

O candle de ontem apresentou bom volume, "rasgou" as médias móveis e ainda fechou acima de 87.333, agora suporte imediato.

Indo um pouco além, podemos considerar um triângulo simétrico demarcado em marrom, com rompimento na véspera.

A sessão de hoje será decisiva, para mostrar se tivemos voo de águia ou galinha.



Bons negócios!


Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário