segunda-feira, 27 de agosto de 2018

FED impulsionou NY na sexta e Ásia hoje


Bom dia, investidor!

FED mantém juros, NY melhora na sexta e Ásia teve alta generalizada >>> LEIA MAIS >>>


As bolsas asiáticas fecharam em alta generalizada nesta segunda-feira [ clique no mapa para ampliar ], em meio à boa acolhida de investidores a medidas da China para conter uma recente tendência de desvalorização do yuan.

No fim da semana passada, o banco central chinês (PBoC, pela sigla em inglês) anunciou que reintroduziu neste mês o chamado "fator contracíclico" para determinar a chamada taxa de paridade do yuan ante o dólar, de forma a impedir que a moeda do país se deprecie de forma muito acentuada.

A iniciativa do PBoC não apenas tem o objetivo de conter saídas de capital, como também neutralizar críticas dos EUA de que a China estaria buscando enfraquecer sua divisa propositalmente, como parte das atuais disputas comerciais com Washington.

Principal índice acionário chinês, o Xangai Composto subiu 1,89% hoje, a 2.780,90 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 2,49%, a 1.496,71 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng saltou 2,17%, a 28.271,27 pontos.

O tom positivo na Ásia também veio na esteira do bom desempenho dos mercados acionários de Nova York, que na sexta-feira (24) renovaram máximas históricas após o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, afirmar em discurso que o ritmo gradualista de aumento de juros nos EUA será mantido.

Em outras partes da região asiática, o japonês Nikkei teve alta de 0,88% em Tóquio nesta segunda, a 22.799,64 pontos, em seu quinto pregão consecutivo de ganhos; o sul-coreano Kospi subiu 0,27% em Seul, a 2.299,30 pontos, na sétima sessão seguida de valorização; e o Taiex avançou 0,86% em Taiwan, a 10.902,21 pontos.

O lucro de grandes empresas industriais da China perdeu força em julho, em meio à queda da inflação aos produtores e alta dos custos de matérias primas.

Dados do Escritório Nacional de Estatísticas (NBS, pela sigla em inglês) mostram que o lucro do segmento industrial chinês subiu 16,2% em julho ante igual mês do ano passado, depois de avançar em ritmo mais acentuado em junho, de 20%.

Entre janeiro e julho, o lucro industrial na China teve expansão de 17,1% na comparação anual, acréscimo similar ao de 17,2% observado no primeiro semestre.

No acumulado do ano, destacaram-se particularmente as áreas de refino, siderurgia e materiais de construção, que responderam por mais da metade dos lucros. 

O índice de sentimento das empresas da Alemanha subiu de 101,7 em julho para 103,8 em agosto, segundo pesquisa divulgada hoje pelo instituto alemão Ifo. O resultado superou a expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam leve avanço do indicador, a 101,9.

"A economia alemã está mostrando desempenho robusto", avaliou Clemens Fuest, presidente do Ifo, prevendo que o Produto Interno Bruto (PIB) da maior economia europeia irá crescer 0,5% no terceiro trimestre em relação aos três meses anteriores.

O chamado índice de condições atuais do Ifo avançou de 105,4 em julho para 106,4 em agosto, enquanto o índice de expectativas econômicas aumentou de 98,2 para 101,2.

A pesquisa mensal do Ifo envolve cerca de 9.000 empresas dos setores de manufatura, serviços, comércio e construção. 

Os preços do petróleo operam próximo a estabilidade nesta segunda-feira, em dia de feriado no Reino Unido, com os investidores de olho nas disputadas comerciais entre os EUA e a China e uma reunião informal da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). Além disso, queda dos estoques da commodity nos EUA na semana passada e recuo no número de plataformas americanas contribuem para viés de alta.

Às 9h50 (de Brasília), o barril do petróleo Brent para outubro subia 0,03% no pregão eletrônico na ICE, a US$ 75,84, enquanto o WTI para o mesmo mês caía 0,03% na Nymex, a US$ 68,70. O volume de negociações deverá ser limitado devido a um feriado no Reino Unido.

A queda recente nos estoques de petróleo dos EUA - de baixa de 5,836 milhões na semana passada - e redução de nove plataformas em atividade nos EUA, de acordo com dados da Baker Hughes, têm limitado as perdas nos preços da matéria-prima.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação na cidade de São Paulo, subiu 0,37% na terceira quadrissemana de agosto, desacelerando em relação à alta de 0,47% verificada na segunda quadrissemana deste mês, segundo dados publicados hoje pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Na terceira prévia de agosto, subiram com menos vigor os segmentos de Habitação (de 1,68% na segunda quadrissemana para 1,40% na terceira quadrissemana), Saúde (de 1,22% para 1,09%) e Educação (de 0,22% para 0,04%). Além disso, a deflação se intensificou nos casos de Alimentação (de -0,48% para -0,70%) e Transportes (de -0,43% para -0,48%).

Por outro lado, ganharam força os itens Despesas Pessoais (de 0,37% para 0,83%) e Vestuário (de 0,00% para 0,04%).

O presidenciável João Amoêdo (Novo) defendeu as principais medidas adotadas pelo governo Michel Temer no âmbito econômico em entrevista ao programa Canal Livre, da Band, na madrugada desta segunda-feira, 27. Ele disse que, se eleito presidente, vai manter a PEC do Teto de Gastos, a reforma trabalhista e a possibilidade de terceirização da atividade-fim das empresas.

Sobre o teto de gastos, Amoêdo disse apenas que o "erro estratégico" do governo foi não ter feito a reforma da Previdência antes, o que pode tornar o limite imposto pela PEC sem sentido. A mudança das regras da aposentadoria será encaminhada ao Congresso nos primeiros dias do seu eventual mandato, segundo ele, assim como reformas tributária, administrativa e política.

O candidato também voltou a repetir que quer cortar privilégios. Por causa disso, "não vai morar em palácio ou usar cartão corporativo" e só vai usar os aviões da FAB em viagens oficiais. Seu ministério, caso eleito, será composto apenas por 12 pastas, que serão chefiadas por nomes técnicos, acrescentou.

Questionado sobre a baixa representatividade do Novo, que não tem não nenhum parlamentar no Congresso, Amoêdo disse que percebeu, após a criação da sigla, em 2010, que o sistema atual não visa a ajudar o povo, mas a perpetuar aqueles que já estão no poder. "Queremos trazer gente nova." Segundo ele, na próxima eleição, o Novo já terá ao menos cinco parlamentares, o que o credenciará a participar dos debates presidenciais.

Ele repetiu que o Novo não usa fundo partidário e eleitoral e criticou as coligações realizadas só para conseguir tempo de TV

A expectativa de alta para o PIB este ano passou de 1,49% para 1,47%, conforme o Relatório de Mercado Focus, divulgado há pouco pelo Banco Central. Há quatro semanas, a estimativa era de crescimento de 1,50%. Para 2019, o mercado manteve a previsão de alta do PIB de 2,50%, igual ao visto quatro semanas atrás.

No fim de julho, o BC reduziu sua projeção para o PIB em 2018, de 2,6% para 1,6%. A instituição atribuiu a mudança na estimativa à frustração com a economia no início do ano. Em 20 de julho, o Ministério do Planejamento também atualizou sua projeção, de 2,5% para 1,6%.

Há duas semanas, foi a vez de o Banco Central informar que seu Índice de Atividade (IBC-Br) subiu 3,29% em junho ante maio, na série com ajuste sazonal. No acumulado do segundo trimestre, o indicador recuou 0,99%, impactado pela greve dos caminhoneiros.

No relatório Focus de hoje, a projeção para a produção industrial de 2018 foi de alta de 2,73% para elevação de 2,61%. Há um mês, estava em 2,91%. No caso de 2019, a estimativa de crescimento da produção industrial seguiu em 3,00%, igual ao verificado quatro semanas antes.

A pesquisa Focus mostrou ainda que a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2018 permaneceu em 54,25%. Há um mês, estava em 54,90%. Para 2019, a expectativa foi de 57,70% para 57,40%, ante os 58,00% de um mês atrás. 

O IBOV tem uma abertura em leve alta nessa segunda-feira, refletindo o bom humor externo.

O suporte imediato fica na região de 75.900.

Para a compra, o ponto alto seria o rompimento da máxima da semana anterior (77.235), onde também se encontra a média móvel de 21 períodos.

Nota-se uma possível simetria em "V" no gráfico diário, que projeta alvo em 78.740 no curto prazo.



Bons negócios!




Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário