sexta-feira, 20 de abril de 2018

Bolsa equilibrada tem novo IPO


Bom dia, investidor!


Notredame Intermedica é o primeiro IPO do ano >>> LEIA MAIS >>>

As bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta sexta-feira, após garantirem amplos ganhos por dois dias seguidos, influenciadas principalmente por ações de tecnologia, que foram pressionadas por uma desanimadora perspectiva de vendas da Taiwan Semiconductor Manufacturing Co. (TSMC).

A TSMC, um dos maiores fabricantes de chips do mundo, previu que suas vendas no segundo trimestre serão mais de 10% menores do que analistas vinham esperando, devido à fraca demanda por smartphones mais sofisticados. A projeção da TSMC, que é uma fornecedora da Apple, levou o chamado Índice de Semicondutores da Filadélfia, ou SOX, a sofrer um tombo de 4,3% ontem nos EUA.

Hoje, no mercado taiwanês, a TSMC despencou 6,3%, em seu pior desempenho diário desde julho de 2013. Com isso, o índice Taiex - que tem a TSMC como seu maior componente - caiu 1,75%, sua queda mais acentuada desde 6 de fevereiro, e encerrou o pregão a 10.779,38 pontos.

O alerta da TSMC pressionou empresas ligadas a semicondutores de outras partes da Ásia. No Japão, o Nikkei recuou 0,13%, a 22.162,24 pontos, interrompendo uma sequência de cinco sessões de valorização, em parte por causa da Tokyo Electron (-2%) e da Shin-Etsu Chemical (-4,9%). Em Seul, a capital sul-coreana, o Kospi teve baixa de 0,39%, a 2.476,33 pontos, com queda de 2,2%da Samsung Electronics.

Na China, as perdas se intensificaram nos negócios da tarde e o Xangai Composto caiu 1,47%, a 3.071,54 pontos. O Shenzhen Composto, que é formado principalmente por startups de menor valor de mercado, teve baixa de 2%, a 1.778,34 pontos.

Os mercados chineses estão sob pressão desde que os EUA, em meados da semana, baniu exportações para a fabricante de equipamentos de telecomunicações ZTE, que tem sede em Shenzhen.

Em Hong Kong, papéis de tecnologia também pesaram e o Hang Seng caiu 0,94%, a 30.418,33 pontos.

Os futuros de petróleo operam em alta moderada nos negócios da manhã, após se manterem perto da estabilidade durante a madrugada, com investidores de olho em uma reunião liderada pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) que acontece nesta sexta-feira na Arábia Saudita.

Às 9h24 (de Brasília), o barril do Brent para junho subia 0,35% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 74,04, enquanto o do WTI para o mesmo mês avançava 0,40% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 68,60.

Durante a sessão de ontem, o Brent também ultrapassou a barreira de US$ 74 por barril, enquanto o WTI quase alcançou US$ 70 por barril, impulsionados por uma nova queda nos estoques dos EUA e por riscos geopolíticos à oferta no Oriente Médio.

A operadora de planos de saúde Notredame Intermédica quebrou o jejum da Bolsa brasileira para ofertas iniciais de ações (IPO, na sigla em inglês) em 2018. A ação da companhia no âmbito da oferta saiu a R$ 16,50, um pouco acima do centro da faixa indicativa de preço, de R$ 14,50 a R$ 17,50. Com isso o IPO movimentou R$ 2,7 bilhões.

A oferta contou com forte demanda por parte dos investidores e superou em cinco vezes o número de ações ofertadas pela companhia. Cerca de 75% das compras foram feitas por investidores estrangeiros.

A estreia da ação na B3 será na próxima segunda-feira, dia 23. Notredame terá suas ações listadas no Novo Mercado, segmento de maiores exigências de governança corporativa da B3.

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu prioridade no julgamento do recurso contra a decisão do ministro Edson Fachin que negou a reclamação do petista, feita ao Supremo Tribunal Federal (STF) um dia antes de sua prisão. Lula cumpre pena por corrupção passiva e lavagem de dinheiro na Superintendência da Polícia Federal de Curitiba desde o dia 7 de abril.

Segundo o grupo de advogados do petista, o julgamento do caso "revela máxima urgência", uma vez que Lula se encontra preso em regime fechado por causa da decisão que a defesa tenta derrubar no recurso.

Para os advogados do ex-presidente, a prisão de Lula é ilegal porque o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) ainda precisa decidir sobre a admissão dos recursos extraordinários no caso do tríplex do Guarujá. De acordo com a defesa, em função disso, a segunda instância da Justiça ainda não exauriu no caso do petista.

A defesa de Lula ainda pede que o recurso seja levado em mesa na próxima sessão da Segunda Turma da Corte, que ocorre no próximo dia 24.

O gráfico diário do IBOV mostra pouca mudança no pregão de ontem, com a formação de um candle contido, mostrando equilíbrio entre ursos e touros.

Na minha visão, o último topo (85.575) formado dia 12/04 e o pico do dia 29/03 aos 85.700 são suportes imediatos e pontos relevantes em caso de queda, cenário mais provável para o início dos negócios nessa sexta-feira, seguido pela linha superior da cunha e pelas médias que estão justapostas.

Se a compra mostrar reação e pressionar os preços, a região de 86.200 será a barreira a ser vencida.



Bons negócios!


Wagner Caetano, para o Cartezyan

Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário