sexta-feira, 16 de março de 2018

Mais sanções dos EUA


Bom dia, investidor!

>>> Tensão entre EUA e Rússia >>> LEIA MAIS >>>

As principais bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta sexta-feira, em meio a preocupações com o cenário político nos EUA, que se somam aos temores causados pelas últimas manobras comerciais de Washington.

A questão da suposta interferência da Rússia na campanha presidencial dos EUA em 2016 voltou à tona e inibiu o apetite por risco dos investidores na Ásia. Ontem, o governo americano anunciou sanções contra a Rússia não apenas por esse motivo, como também por ataques cibernéticos. Já o conselheiro especial Robert S. Mueller, que lidera as investigações sobre a aparente ingerência de Moscou nas eleições americanas, intimou empresas do presidente Donald Trump a entregar documentos relacionados ao caso, segundo o The New York Times.

Além disso, já vinham causando desconforto as recentes mudanças no gabinete de Trump, em especial a anunciada saída do Secretário de Estado, Rex Tillerson, que deixa o cargo no próximo dia 31. De acordo com o The Washington Post, Trump também decidiu substituir seu conselheiro de Segurança Nacional, Herbert Raymond McMaster, e poderá demitir outros funcionários da Casa Branca em breve.

O rumor sobre McMaster, que surgiu ontem à noite, ajudou a impulsionar o iene frente ao dólar durante a madrugada, levando o índice japonês Nikkei a encerrar o pregão de hoje em Tóquio com baixa de 0,58%, a 21.676,51 pontos.

As incertezas políticas nos EUA vêm num momento em que Trump vem adotando polêmicas medidas de cunho protecionista no âmbito comercial. Depois de impor tarifas a importações de aço (25%) e de alumínio (10%), o presidente americano estaria considerando taxar bilhões de dólares em produtos da China. O The Wall Street Journal informa que a punição a Pequim chegaria a pelo menos US$ 30 bilhões. Na terça-feira, a Reuters noticiou que a cifra poderia atingir em torno de US$ 60 bilhões.

Na China, as perdas vieram na última hora dos negócios. O Xangai Composto caiu 0,65%, a 3.269,88 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 0,61%, a 1.863,03 pontos. Já em Hong Kong, o Hang Seng teve leve queda de 0,12%, a 31.501,97 pontos.

Os contratos futuros de petróleo operam em leve alta na manhã desta sexta-feira, influenciados ainda por certo otimismo do mercado com o relatório da Agência Internacional de Energia (AIE) na véspera.

Na quinta-feira, a AIE informou que a demanda global por petróleo deverá crescer mais rápido do que o esperado este ano, compensando parcialmente a forte expansão na produção de óleo de xisto nos EUA e mantendo o mercado da commodity mais equilibrado.

A visão cautelosamente otimista deu gás aos negócios ontem e o otimismo permaneceu nesta sexta-feira.

Ainda nesta sexta-feira, os participantes do mercado de petróleo vão acompanhar a contagem semanal de poços e plataformas em operação nos Estados Unidos, feita pela Baker Hughes. O indicador sai às 14h de Brasília).

Às 9h40, o barril do petróleo Brent para maio subia 0,12%, para US$ 65,20, na Intercontinental Exchange (ICE). Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o WTI para o mesmo mês avançava 0,24%, para US$ 61,40. 

O volume de serviços prestados teve um recuo de 1,9% em janeiro ante dezembro de 2017, na série com ajuste sazonal, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mês anterior, o dado foi revisado de um avanço de 1,3% para alta de 1,5%.

Na comparação com janeiro do ano anterior, houve redução de 1,3% em janeiro deste ano, já descontado o efeito da inflação. Também nessa base de comparação, o dado surpreendeu negativamente. O intervalo das 19 previsões captadas pelo Projeções Broadcast ia de declínio de 0,40% a incremento de 2,40%, com mediana de alta de 0,80%.

A taxa acumulada pelo volume de serviços prestados no ano ficou negativa em também em 1,3%, enquanto o volume acumulado em 12 meses registrou perda de 2,7%.

Desde outubro de 2015, o órgão divulga índices de volume no âmbito da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS). Antes disso, o IBGE anunciava apenas os dados da receita bruta nominal, sem tirar a influência dos preços sobre o resultado. Por esse indicador, que continua a ser divulgado, a receita nominal caiu 2,3% em janeiro ante dezembro. Na comparação com janeiro do ano passado, houve alta na receita nominal de 1,2%. 

O gráfico diário do IBOV mostra o acionamento de uma cunha no pregão de ontem, o que mostra que os ursos estão na área, ganhando terreno pouco a pouco.

Assim como os touros encontraram inúmeras resistências no início da semana, os vendedores tem 84.400, 83.900 e a linha de tendência de alta que orienta os negócios desde o fundo de dezembro como pontos a serem vencidos.

Vela destacar que a cunha acionada, assim como as médias que estão levemente apontadas para baixo, favorecem um pouco a força vendedora nesse momento.

Assim sendo, a sessão de hoje será muito importante, indicando o caminho para a semana seguinte, pois ainda há relativo equilíbrio nos preços.



Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan

Diretor da TopTraders


contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário