segunda-feira, 5 de março de 2018

...e o aço dá pano para a manga...


Bom dia investidor!

Medidas de Trump impactam EUA, Japão e China >>> LEIA MAIS >>>

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) de serviços da China recuou de 54,7 em janeiro para 54,2 em fevereiro, segundo pesquisa divulgada pela IHS Markit em parceria com a Caixin Media.

Apesar da queda, a leitura acima da marca de 50 indica que o setor de serviços chinês continuou se expandindo no mês passado, ainda que em ritmo mais contido.

Já o PMI composto chinês, que engloba manufatura e serviços, diminuiu para 53,3 em fevereiro, de 53,7 em janeiro, que havia sido o maior nível em sete anos.

A China fixou a meta de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do país em cerca de 6,5% para este ano, de acordo com um relatório de trabalho lido pelo primeiro-ministro do país, Li Keqiang, na sessão de abertura do Congresso Nacional do Povo, a reunião legislativa anual, nesta segunda-feira (horário local). O crescimento econômico da China se acelerou pela primeira vez em sete anos em 2017, atingindo 6,9%, puxado pelo aumento da demanda global.

Pequim também fixou a meta de inflação ao consumidor em 3% para 2018, a mesma do ano passado, de acordo com o relatório.

O governo está planejando manter taxas razoáveis de crescimento do M2 - uma medida de oferta monetária ampla - e do financiamento social total em 2018, segundo o relatório. 

A Bolsa de Tóquio teve perdas pelo quarto pregão consecutivo nesta segunda-feira, encerrando o pregão no menor nível desde outubro do ano passado. O índice Nikkei caiu 0,66% hoje, a 21.042,09 pontos.

O mercado japonês continua pressionado desde que o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou planos na semana passada de adotar tarifas sobre importações de aço e alumínio, gerando temores de que a iniciativa desencadeie uma guerra comercial internacional.

Também pesaram nos negócios em Tóquio a eleição parlamentar de ontem na Itália, que acabou sem a vitória clara de nenhum grupo partidário, e o iene, que se fortaleceu ante o dólar durante a madrugada. 

Resultados preliminares divulgados pelo Ministério do Interior da Itália na manhã desta segunda-feira, 5, mostram que a coalizão de centro-direita, do ex-premiê Silvio Berlusconi, obteve 37% dos votos nas eleições parlamentares do domingo, com 76% das sessões eleitorais já contabilizadas. O Movimento 5 Estrelas somou 31,9% e a coalizão de centro-esquerda, 23,46%.

Como nenhum agrupamento político obteve maioria absoluta, espera-se que as negociações para a formação de um governo sejam longas e difíceis.

Os resultados parciais mostram que o partido Liga, de direita, eurocético e anti-imigração, superou o tradicional Forza Italia, de Berlusconi, por 18% a 14% dos votos.

Além do Forza Italia, a outra força dominante da política italiana nas últimas décadas - a coalizão de centro-esquerda liderada pelo Partido Democrático, atualmente no poder - também perdeu força. 

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda-feira, 5, uma nova fase da Operação Carne Fraca que tem como alvo um esquema de fraudes descoberto na empresa BRF, gigante do setor de carnes e processados.

Desde as 6h são cumpridos 91 mandados decretados pela Justiça Federal, do Paraná. Batizada de Operação Trapaça, 11 pessoas estão com ordem de prisão temporária e 27 de condução coercitiva. Os policiais cumprem ainda 53 mandados de busca e apreensão em unidades da BRF - dona da Sadia e Perdigão.

A terceira fase da Carne Fraca - deflagrada pela primeira vez em março de 2017 - tem como alvo esquema de fraudes contra o Ministério da Agricultura e o mercado supostamente praticados por empresas do grupo BRF.

O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, disse há pouco que a sobretaxação às importações de aço e alumínio proposta pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que deve ser oficializada esta semana, será prejudicial ao Brasil. "Será prejudicial ao Brasil e a todo o mundo, inclusive ao próprio Estados Unidos", disse, no primeiro bloco de entrevista concedida à Rádio CBN nesta manhã.

Ilan, contudo, acredita que dependendo da reação dos países exportadores, é possível que a gestão Trump volte atrás. Segundo ele, os EUA voltaram atrás em decisões anteriores por conta de retaliações.

Perguntado se o Brasil já teria alguma ação encaminhada para adotar contra os EUA, o presidente do BC disse que, por enquanto, o negócio é esperar. 

O mercado financeiro alterou suas projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2018. A expectativa de alta para o PIB este ano passou de 2,89% para 2,90% no Relatório de Mercado Focus, divulgado há pouco. Há um mês, a perspectiva estava em 2,70%. Para 2019, o mercado manteve a previsão de alta do PIB de 3,00%. Quatro semanas atrás, a expectativa já era de 3,00%.

O Banco Central atualizou suas projeções para o PIB no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) divulgado em dezembro. Para 2018, a estimativa é de 2,6%. Na semana passada, o IBGE divulgou que o crescimento do PIB brasileiro em 2017 foi de 1,0%.

No Focus de hoje, a projeção para a produção industrial de 2018 passou de avanço de 3,76% para alta de 3,90%. Há um mês, estava em 3,35%. No caso de 2019, a estimativa de crescimento da produção industrial continuou em 3,35%, ante 3,00% de quatro semanas antes.

No Focus de hoje, a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2018 seguiu em 55,10%. Há um mês, estava em 55,40%. Para 2019, a expectativa no boletim Focus continuou em 57,70% ante 57,95% de um mês atrás.

Clique para ampliar

O gráfico diário do Ibovespa mostra uma movimentação complexa, com longa sombra inferior, desenhada na reta final do pregão de sexta-feira.

A mínima do dia respeitou a retração de 50% de Fibonacci entre os último fundo  o topo recente.

Também é possível traçar uma LTA (linha de tendência de alta) unindo o fundo que inciou o processo de valorização que vivemos desde dezembro e a correção impactada pelo mini crash americano em fevereiro.

O pregão de hoje será muito importante, uma queda de braços entre ursos e touros.

Acima de 86.213, os touros ganham terreno e haverá pressão compradora, uma vez que esse é o topo anterior e primeira resistência importante.

Por outro lado, se a compra enfraquecer e os ursos conseguirem empurrar as cotações para baixo ao longo do dia, a própria frustração do sinal de sexta-feira poderá fazer com que tenhamos uma sessão baixista, cenário mais provável na minha leitura pessoal.



Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan

Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário