sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

IPCA-15 em destaque


Bom dia investidor!

Inflação é medida em 0.38% am >>> LEIA MAIS >>>

As bolsas da Ásia fecharam em alta nesta sexta-feira, seguindo o tom majoritariamente positivo dos mercados acionários de Nova York e deixando temporariamente de lado incertezas sobre a perspectiva dos juros nos EUA. Ontem, os índices Dow Jones e S&P 500 subiram em Wall Street, enquanto o Nasdaq caiu levemente.

No pregão anterior, a maior parte dos negócios asiáticos foi pressionada por especulação de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) poderá elevar juros mais vezes do que se previa anteriormente este ano, diante de sinais de melhora da economia americana e de avanço na inflação.

Em Tóquio, o Nikkei subiu 0,72%, a 21.892,78 pontos, à medida que o iene reverteu a tendência de ontem e se enfraqueceu ante o dólar durante a madrugada. Com isso, o Nikkei garantiu sua segunda semana de valorização, com alta de 0,79%, o que não acontecia há três meses e meio.

Na China, as bolsas ampliaram ganhos de ontem, quando retornaram de uma semana de feriado em comemoração ao ano-novo lunar. O índice Xangai Composto avançou 0,63%, a 3.289,02 pontos, graças ao bom desempenho de siderúrgicas e produtores de carvão, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto exibiu leve ganho de 0,18%, a 1.775,17 pontos.

O Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha, maior economia da Europa, cresceu 0,6% no quarto trimestre de 2017 ante os três meses anteriores e teve expansão de 2,9% na comparação anual do mesmo período, segundo revisão divulgada hoje pela agência de estatísticas do país, a Destatis.

Os dados vieram em linha com as expectativas de analistas consultados pelo The Wall Street Journal e confirmaram estimativas publicadas no último dia 14.

Segundo detalhamento da Destatis, as exportações alemãs subiram 2,7% entre outubro e dezembro em relação ao trimestre anterior, enquanto as importações avançaram 2%. No mesmo confronto, o consumo do governo aumentou 0,5%, mas o das famílias se manteve estável. 

O cobre opera em baixa na manhã desta sexta-feira, novamente pressionado pela força do dólar. Com isso, o metal não mostra fôlego para estender a alta da sessão anterior.

Às 9h15 (de Brasília), o cobre para três meses caía 0,75%, a US$ 7.116,50 a tonelada, na London Metal Exchange (LME). O cobre para março, por sua vez, recuava 1,19%, a US$ 3,2030 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

O dólar tem sido apoiado pela expectativa de um aperto monetário nos Estados Unidos. As apostas monitoradas pelo CME Group mostram 83,1% de chance de uma alta de juros na próxima reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), em março.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o zinco caía 1,03%, a US$ 3.493,50 a tonelada, o alumínio recuava 0,89%, a US$ 2.166 a tonelada, o estanho tinha baixa de 0,02%, a US$ 21.480 a tonelada, o níquel perdia 0,43%, a US$ 13.760 a tonelada, e o chumbo caía 0,82%, a US$ 2.531 a tonelada. 

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) registrou alta de 0,38% em fevereiro, após ter avançado 0,39% em janeiro, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi a segunda menor variação para meses de fevereiro desde a implantação do Plano Real, em 1994, atrás apenas de fevereiro de 2000 (0,34%).

O resultado veio em linha com a mediana das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo Projeções Broadcast, de 0,38%, obtida a partir de um intervalo de 0,23% a 0,55%.

Com o resultado anunciado hoje, o IPCA-15 acumulou nos 12 meses encerrados em fevereiro alta de 2,86%. No ano, o índice registrou aumento de 0,77% até fevereiro. A variação no acumulado do ano é a menor desde a implantação do Plano Real.

Em fevereiro do ano passado, o IPCA-15 tinha subido 0,54%.

Clique para ampliar

O gráfico diário mostra o Ibovespa está na banda de bollinger superior e na linha de cima de um canal de alta de médio prazo.

A estrela cadente desenhada anteontem continua válida, uma vez que a sua máxima foi preservada.

Vale destacar a semelhança entra a movimentação atual e aquela vista na virada do mês, conforme circulado no gráfico a seguir., o que torna o pregão dessa sexta-feira decisivo e para o curto prazo.



Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan

Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário