quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Ibovespa descolado


Bom dia investidor!

IBOV com o início do pregão agora às 10h30
No destaque o intradiário de ontem
Clique para ampliar

A Bolsa de Tóquio fechou em alta moderada nesta quarta-feira, após um pregão volátil, favorecida pela continuidade da fraqueza recente do iene em relação ao dólar durante a madrugada. O iene desvalorizado tende a impulsionar ações de exportadoras negociadas na capital japonesa.

O índice Nikkei subiu 0,21% hoje, a 21.970,81 pontos, apagando parte da queda de 1,01% da sessão anterior.

Papéis do setor de eletrônicos foram destaque positivo em Tóquio, mas preocupações com o avanço visto este ano nos juros de bônus de vários países, em especial dos Treasuries americanos, pesaram sobre ações financeiras como as da Mitsubishi UFJ e Dai-ichi Life, que recuaram cerca de 2%.

índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da Alemanha, que mede a atividade nos setores industrial e de serviços, caiu de 59 em janeiro para 57,4 em fevereiro, atingindo o menor nível em três meses, segundo dados preliminares divulgados hoje pela IHS Markit. Apesar da queda, a leitura acima da marca de 50,0 indica que a atividade econômica alemã continuou se expandindo neste mês, ainda que em ritmo mais comedido.

Apenas o PMI do setor industrial da Alemanha recuou de 61,1 em janeiro para 60,3 em fevereiro, tocando o menor patamar em seis meses. Analistas consultados pela Dow Jones Newswires previam redução menor do indicador, a 60,6.

No setor de serviços alemão, o PMI diminuiu de 57,3 em janeiro para 55,3 em fevereiro, o menor nível em três meses. Neste caso, a projeção do mercado era de baixa marginal, a 57. 

O Congresso aprovou na noite desta terça-feira, 20, o decreto que autoriza a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro. Depois de a Câmara dar o aval, foi a vez de o Senado chancelar a medida por 55 votos a favor, 13 contra e uma abstenção.

Por se tratar de um decreto presidencial, a intervenção já está em vigência desde sexta-feira, quando a medida foi assinada pelo presidente Michel Temer. Coube aos parlamentares apenas dizer se aceitavam ou não a decisão, sem ter o direito de fazer modificações no mérito da proposta.

A medida terá validade até 31 de dezembro. Enquanto estiver em vigor, o general Walter Braga Netto, do Comando Militar do Leste, será o interventor no Estado e terá o comando dos aparelhos de segurança do Rio, como as Polícias Civil e Militar.

A eventual candidatura à reeleição do presidente Michel Temer enterra as chances de o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, ser candidato ao Palácio do Planalto nas eleições deste ano, avaliam lideranças dos principais partidos da base aliada. O entendimento é que Meirelles, que já não tinha apoio de sua atual sigla, o PSD, perderá para Temer o espaço de candidato governista com discurso reformista.

O petróleo opera em queda na manhã desta quarta-feira, em meio à valorização do dólar e antes da publicação dos dados de estoques da commodity dos Estados Unidos.

Às 9h37 (de Brasília), o petróleo WTI para abril recuava 0,76%, a US$ 61,32 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para abril caía 0,40%, a US$ 64,99 o barril, na ICE.

Analistas afirmam que a movimentação cambial é o principal fator para a queda nos preços, que ocorre após o petróleo registrar ganhos mais cedo nesta semana. "Os preços do petróleo devem recuar enquanto o dólar se valorizar, especialmente diante do fato de que os fundamentos também apontam para mais baixas dos preços", afirmaram em nota analistas do Commerzbank.

O dólar sobe em relação a moedas fortes em geral nesta manhã. Com isso, o petróleo, cotado na divisa americana, torna-se mais caro para os detentores de outras moedas. Analistas apontam o avanço do juro da T-note de 10 anos como um fator para a valorização do dólar nesta semana.

A força do dólar se soma a fatores que pressionam o petróleo, entre eles a produção recorde de xisto nos EUA. Às 18h30, o American Petroleum Institute divulgará sua projeção para os estoques dos EUA na semana encerrada no dia 17. O dado oficial do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) sai nesta quinta-feira.

O cobre opera com sinal negativo na manhã desta quarta-feira, quando o dólar mais valorizado gera pressão vendedora em boa parte do setor de metais.

Às 9h50 (de Brasília), o cobre para três meses recuava 0,3%, a US$ 7.055 a tonelada, na London Metal Exchange (LME). O cobre para março tem baixa de 0,45%, a US$ 3,1760 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

Os ganhos recentes do dólar têm pressionado os metais básicos há alguns dias, mas os preços poderiam se recuperar diante de investimentos especulativos e também da força de alguns fundamentos do setor.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o zinco recuava 0,42%, a US$ 3.536 a tonelada, o alumínio caía 0,46%, a US$ 2.177 a tonelada, o estanho tinha ganho de 0,19%, a US$ 21.430 a tonelada, o níquel subia 0,26%, a US$ 13.555 a tonelada, e o chumbo recuava 0,62%, a US$ 2.572 a tonelada

O Ibovespa segurou no forte 84.410 na sessão de ontem e segui rumo ao topo histórico, cumprindo uma simetria em "V".

O desafio para o pregão dessa quarta-feira será reunir forças para seguir em alta, enquanto temos baixa nos metais, petróleo e bolsas internacionais.

O caminho mais natural seria um recuo (pull back) até a região compreendida entre 84.410 e 84.260, onde também está a média móvel de 5 períodos.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan

Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário