quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Ibovespa sinaliza topo


Bom dia investidor!

Bovespa chega ao maior nível nominal na história >>> LEIA MAIS >>>

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da China avançou 1,8% em dezembro ante o mesmo mês de 2016, de acordo com dados divulgados hoje pelo Escritório Nacional de Estatísticas do país. Em novembro, o CPI havia subido 1,7%.

No mês passado, os preços de alimentos caíram 0,4% na China, na comparação com o dezembro de 2016.

Em todo o ano passado, a inflação subiu 1,6% na China ante o ano anterior. Dirigentes do BC chinês pretendiam manter a inflação abaixo dos 3% no ano passado.

Na comparação mensal, o CPI avançou 0,3% em dezembro ante novembro. 

O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da China subiu 4,9% em dezembro, na comparação com o mesmo mês de 2016, de acordo com dados divulgados hoje pelo Escritório Nacional de Estatísticas do país. Em novembro, o PPI havia subido 5,8%.

Na comparação mensal, o PPI chinês subiu 0,8% em dezembro ante novembro, quando o índice havia subido 0,5% na comparação com outubro.

Em todo o ano passado, o PPI subiu 6,3% na China, revertendo uma queda de 1,4% observada em 2016. 

Os contratos futuros de cobre operam em alta nesta quarta-feira, impulsionados pelo dólar mais fraco e por preocupações com a oferta do metal no Chile.

Por volta das 9h45 (de Brasília), o cobre para entrega em três meses negociado na London Metal Exchange (LME) tinha alta de 0,46%, a US$ 7.138,50 por tonelada. Já o cobre para março da Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), subia 0,58%, a US$ 3,2345 por libra-peso.

O índice DXY do dólar opera em queda nos negócios da manhã, o que tende a impulsionar as commodities precificadas na moeda americana, pois as torna menos caras para investidores estrangeiros.

Entre outros metais negociados na LME, o zinco tinha estabilidade, a US$ 3.335,00 por tonelada, assim como o estanho, que estava a US$ 19.960,00; o alumínio subia 0,44%, a US$ 2.165,00, o níquel avançava 0,96%, a US$ 12.785,00, e o chumbo ganhava 0,75%, a US$ 2.567,00. 

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou dezembro em 0,44%, ante avanço de 0,28% em novembro, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa acumulada pela inflação no ano de 2017 foi de 2,95%, abaixo do limite inferior de 3% da meta de 4,5% estipulada pelo governo, mas acima do teto do intervalo das expectativas dos analistas, que iam de 2,74% a 2,89%, com mediana de 2,80%.

O calendário para aprovação da reforma da Previdência neste ano é apertado, indicou o presidente da Câmara dos Deputados e um dos principais defensores da proposta, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em entrevista ao programa 'Conexão Estadão', na rádio Eldorado. "Se não tiver maioria (308 votos) para a reforma em fevereiro, será difícil ter votação depois de março", explicou.

Maia avalia que é importante aprovar rapidamente a proposta que revisa as regras previdenciárias. "Quanto mais atrasar a reforma, mais dura ela será [no futuro]. Nosso objetivo é mostrar isso [aos deputados]", explicou. Diante deste cenário, o parlamentar pediu a contribuição do governo para angariar os votos necessários à aprovação proposta. "Que o governo nos ajude a construir votos à Previdência. É fácil falar e não ter os votos."

Índice Bovespa nominal 1994-2018
Clique para ampliar

O Ibovespa marcou, na sessão de ontem, a máxima histórica a 79.415.

Temos um sinal de topo no diário, que pode ser interpretado coma um pinça, padrão de queda formado por dois candlesticks cujas máximas são iguais ou muito próximas.

Um teste do topo anterior em 78.025 é muito provável entre hoje e amanha.

A sua perda projeta baixa até 77.060, caso seja materializada.



Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan

Diretor da TopTraders

Nenhum comentário:

Postar um comentário