sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

A corrida presidencial já começou!


Bom dia investidor!

S&P acredita que a condenação de Lula aprofundou incerteza >>> LEIA MAIS >>>

A Bolsa de Tóquio fechou em baixa pelo terceiro pregão seguido nesta sexta-feira, à medida que o iene voltou a ensaiar recuperação ante o dólar nesta madrugada, após se enfraquecer nos negócios da tarde de ontem em Nova York.

O índice Nikkei caiu 0,16% hoje na capital japonesa, a 23.631,88 pontos, encerrando a semana com desvalorização de 0,74%.

A taxa de inflação anual ao consumidor do Japão atingiu 1% em dezembro, o maior nível desde setembro de 2014, enquanto seu núcleo, que exclui alimentos frescos, ficou em 0,9%, segundo dados publicados no fim da noite de ontem. O BoJ, como é conhecido o banco central japonês, tem meta de inflação de 2%. 

O crescimento do lucro das grandes empresas industriais chinesas desacelerou pelo terceiro mês consecutivo, aumentando os recentes sinais de desaceleração no ritmo da economia chinesa, revelaram dados oficiais divulgados nesta sexta-feira. O lucro industrial subiu 10,8% na comparação anual de dezembro, enquanto o aumento foi de 14,9% em novembro ante o mesmo mês de 2016.

Em todo o ano de 2017, o lucro das empresas industriais chinesas cresceu 21% em relação ao ano anterior, sendo o maior crescimento desde 2012 e apresentando forte aceleração em relação ao avanço de 8,5% de 2016.

Os lucros nos setores de aço e de carvão se beneficiaram da redução do excesso de capacidade do governo, o que ajudou no aumento dos preços, afirmou o economista He Ping, do departamento de estatísticas. Os lucros dos minérios de carvão cresceram 290% no ano passado, disse. 

Após a confirmação da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em segunda instância nesta semana, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, avaliou que a possível ausência do petista na disputa eleitoral de 2018 deverá beneficiar os candidatos de centro.

Apesar de ter a pena aumentada para 12 anos e 1 mês de prisão na quarta-feira, Lula irá recorrer da decisão em liberdade e foi lançado ontem oficialmente como pré-candidato do Partido dos Trabalhadores à Presidência da República. A candidatura do ex-presidente, no entanto, pode ser barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A diretora-gerente de crédito soberano da S&P Global Ratings, Lisa Schineller, acredita que a condenação unânime do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em segunda instância aprofundou a já elevada incerteza eleitoral no País.

Mantendo a avaliação manifestada quando a agência reduziu a nota do Brasil de BB para BB-, há duas semanas, ela disse que o cenário atual favorece a eleição de um "outsider", que pode ter dificuldades para montar uma coalizão no Congresso e aprovar medidas difíceis, mas necessárias, para colocar o país na direção do equilíbrio fiscal.

Shineller se referiu ao aumento de 18,5% do déficit da Previdência em 2017 e disse que ele é "muito maior" do que pode ser conquistado com a economia de despesas (superávit primário) no médio prazo.

A condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) foi vista com otimismo por investidores internacionais que aplicam em ativos relacionados ao Brasil nos Estados Unidos. O sentimento positivo envolvendo o País foi registrado, especialmente, em fortes resultados de ativos, como os American Depositary Receipt (ADRs) e os fundos de índice (ETFs, na sigla em inglês) comercializados em Wall Street.

Os três principais ETFs de ações brasileiras negociados na Bolsa de Nova York apresentaram valorização nesta quinta-feira. O principal deles, o iShares MSCI Brazil (EWZ), apresentou valorização de 1,08% hoje, tendo subido 7,21% desde o início do pregão de ontem. Já o Direxion Daily Brazil Bull 3X Shares (BRZU) avançou 3,40% nesta quinta-feira e 22,38% no acumulado de dois dias. O VanEck Vectors Brazil Small-Cap (BRF), por sua vez, ganhou 1,46% e 7,05% desde o início do pregão de quarta-feira.

Clique para ampliar

No gráfico diário de médio prazo no Ibovespa, podemos perceber uma linha de retorno importante, que foi resistência no final de 2016 e posteriormente mais duas vezes em 2017.

Ela foi rompida no pregão de quarta-feira, através de um marobuzu, uma vez que tivemos alta de ponta-a-ponta da sessão.

O desafio é saber se essa barra será classificada como "elefante" (alta) ou "exaustão" (baixa), uma vez que o volume acima da média mostra grande participação dos investidores em um e vento binário e amplamente conhecido.

Podemos utilizar tempos intradiários nesse tipo de situação, assim como a própria linha de retorno como referência no curto prazo.


Bons negócios!
Wagner Caetano, para o Cartezyan

Diretor da TopTraders
contato@toptraders.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário