sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Ursos no comando, até quando?



Bom dia investidor!

Agora que o consenso é de baixa forte, talvez seja o ponto de formação de fundo. >>> LEIA MAIS >>>




O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de industrial da China caiu a 50,8 em novembro, de 51,0 em outubro, segundo dados divulgados hoje pela IHS Markit e pela Caixin. De acordo com a nota publicada pela consultoria, a produção e as novas encomendas subiram de forma modesta, levando a uma leve expansão na atividade de compra.

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial da Alemanha subiu para 62,5 em novembro, de 60,6 em outubro, segundo dados publicados hoje pela IHS Markit.

O resultado de novembro, que veio em linha com a previsão de analistas consultados pela Dow Jones Newswires, é o segundo maior desde que a pesquisa foi iniciada, em abril de 1996, ficando abaixo apenas da leitura de 62,7 registrada em fevereiro de 2011.

O avanço acima da marca de 50 indica que a indústria alemã continuou se expandindo no mês passado e em ritmo mais forte. 

O ceticismo sobre a capacidade de o governo aprovar a reforma da Previdência cresceu ontem, 30, com o discurso pessimista do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em conversa com investidores. Maia indicou que há falta de vontade dos partidos da base em votar a proposta e que não faz sentido pautar o texto enquanto houver risco de derrota.

Aliados do presidente Michel Temer no Congresso Nacional já descartaram qualquer chance de votar a proposta na próxima semana, diante da ausência de uma medida segura de apoio. Mas o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, insistiu que o governo espera votar a reforma “o mais breve possível”.

Temer receberá líderes e presidentes de partidos na noite de domingo para conversar sobre a proposta e, segundo Padilha, “auferir dificuldades” que ainda permanecem. O ministro admitiu que as maiores dificuldades são políticas. “Não é mais corte ou menos corte (na proposta) que vai motivar a votação da Previdência”, afirmou. Ele manteve o tom duro ao dizer que o governo não vai negociar novas concessões.

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,1% no terceiro trimestre em relação ao segundo trimestre deste ano, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com o terceiro trimestre de 2016, o PIB avançou 1,4% no terceiro trimestre deste ano. O resultado ficou dentro do intervalo das estimavas dos analistas, que previam uma expansão de 0,70% a 1,85%, com mediana positiva de 1,25%.

Ainda segundo o instituto, o PIB do terceiro trimestre do ano totalizou R$ 1,641 trilhão. Os técnicos do IBGE vão conceder entrevista dentro de instantes para comentar os resultados. 

O cobre opera em alta na manhã desta sexta-feira. O metal ainda se recupera de perdas recentes, embora sem muito impulso, beneficiado pelo avanço do petróleo.

Por volta das 10h (de Brasília), o cobre para três meses subia 0,18%, a US$ 1.277,01 a onça-troy, na London Metal Exchange (LME). O cobre para março avançava 0,44%, a US$ 3,0775 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

No câmbio, o dólar está um pouco mais fraco em relação a uma cesta de moedas fortes. Isso aumenta o apetite de investidores detentores de outras divisas e apoia o metal.

Além disso, o petróleo mais forte ajuda o cobre, já que as duas commodities são muitas vezes negociadas na mesma cesta, com peso maior para o óleo.

Investidores ainda monitoram os sinais do Senado americano, que tenta votar hoje um projeto de reforma tributária, após não haver consenso ontem sobre a alteração. As mudanças, caso se confirmem, podem impulsionar a atividade econômica, embora alguns congressistas temam o aumento no déficit fiscal. As dúvidas no Legislativo são a causa da vulnerabilidade do dólar nesta sexta-feira, na avaliação de Derek Halpenny, diretor europeu para pesquisa em mercados globais do MUFG.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o zinco subia 0,82%, a US$ 3.183 a tonelada, o alumínio avançava 1,03%, a US$ 2.064,50 a tonelada, o estanho tinha baixa de 0,41%, a US$ 19.540 a tonelada, o níquel caía 0,49%, a US$ 11.090 a tonelada, e o chumbo tinha ganho de 1,25%, a US$ 2.502,50 a tonelada. 

O Ibovespa sofreu pressão vendedora ao longo da semana.

Na minha ótica, isso abre oportunidade na ponta compradora.

Uma coisa é comprar no topo.

Outra é comprar com 25, 30, 40, 50% de desconto.

Na minha visão pessoal vale o risco.

Tudo que é muito óbvio no mercado, geralmente vai na mão contrária.

Quando todos falavam em 80.000 ou 90.000, o otimismo pairava no ar.

Isso foi recente, em outubro.

Agora que o consenso é de baixa forte, talvez seja o ponto de formação de fundo.


Bons negócios!



Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário