quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Será que vai?


Bom dia investidor!

Confira hoje destaques sobre a Petrobras, Eletrobras e entrevista de Meirelles  >>> LEIA MAIS >>>

O Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) manteve inalterada sua agressiva política de estímulos monetários, após reunião de dois dias concluída nesta quinta-feira, e não deu qualquer indicação de que pretenda fazer mudanças mais adiante, apesar de recente especulação de que a instituição estaria preparando o terreno para elevar juros no próximo ano.

Por 8 votos a 1, os dirigentes do BC japonês decidiram manter a meta do juro do bônus do governo japonês (JGB) de 10 anos em torno de zero e a taxa de depósitos de curto prazo em -0,1%. O BoJ também reiterou a promessa de comprar JGBs num ritmo anual de 80 trilhões de ienes (US$ 705 bilhões), num gesto visto por investidores como um compromisso com a acomodação monetária.

A decisão veio um pouco mais de uma semana depois de o Federal Reserve (Fed, o BC americano) elevar juros pela terceira vez este ano.

O presidente Michel Temer afirmou que ainda não sabe como serão as alianças feitas pelo PMDB (agora MDB), mas disse que quer um candidato “ponderado, equilibrado e estadista” para sua sucessão no Planalto. A declaração foi feita, ontem, durante entrevista à rádio Band News FM.

Pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) com o Ibope, divulgada ontem, mostrou que a avaliação negativa do governo Michel Temer caiu de 77% para 74%, ante o levantamento anterior, divulgado em setembro. Segundo a pesquisa CNI/Ibope, que mediu a popularidade do governo Temer, subiu de 16% para 19% a avaliação regular do governo e de 3% para 6% os que disseram que o governo é ótimo ou bom.

A confiança no presidente foi de 6% para 9%. O índice dos que disseram não confiar em Temer oscilou de 92% para 90%. O levantamento foi feito entre 7 e 10 de dezembro, com 2 mil pessoas em 127 municípios. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou menos e o nível de confiança utilizado é de 95%.

Assuntos em destaque para hoje: divulgação do Plano de Negócios 2018/2022 da Petrobras, em solenidade no Palácio do Planalto (16h30), com a presença do presidente Temer; Eletrobras gera expectativa, após o ministro Moreira Franco ter informado que o projeto de privatização está pronto e deve ser enviado ao Congresso até amanhã, 6ªF.

Às 12h30, quem rouba a cena é o ministro Henrique Meirelles, que convocou entrevista para as 12h30 na sede nacional do PSD, para falar de "política". Pode anunciar sua pré-candidatura a 2018 ou o apoio do seu partido à reforma da Previdência, mas deverá ser questionado sobre os contatos que fez ontem com as principais agências de rating para evitar o downgrade.

O petróleo WTI recua 0,12%, a US$ 58,02, na Nymex, enquanto o Brent cede os mesmos 0,12%, a US$ 64,48, na ICE.

Na China, o minério de ferro fechou em alta de 0,95%, a 532 iuanes.

IBOV mantem-se acima do suporte e acima de ontem às 12:25

Ontem o Ibovespa fechou em alta, acima das médias móveis de 5 e 21 e também do forte 73.125.

O desafio para esta sessão é consolidar-se acima dessa região, o que seria algo novo desde o início do mês.

Se tiver forças para romper 73.520, poderá acelerar a alta.

Pelo volume e volatilidade vistos nas últimas sessões, os movimentos tendem a ser contidos.




Bons negócios!


Wagner Caetano, para o Cartezyan

Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário