segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Mercado verde


Bom dia, investidor!

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta segunda-feira, apoiadas pela perspectiva de que o presidente dos EUA, Donald Trump, consiga aprovar uma reforma tributária ainda esta semana.

Na sexta-feira, os mercados acionários de Nova York terminaram o pregão em novos patamares recordes, depois que os republicanos divulgaram seu plano final de reforma tributária e dois senadores que se mostravam indecisos declararem que apoiarão o projeto.

O Partido Republicano pretende aprovar a reforma tributária no Congresso americano em meados desta semana.

Em Tóquio, o Nikkei subiu 1,55%, a 22.901,77 pontos, interrompendo uma sequência de quatro sessões negativas e apagando a perda de 1,13% que havia acumulado ao longo da semana passada.

Os preços de moradias na China subiram com um pouco mais de força na comparação mensal de novembro, mas mostraram leve desaceleração no confronto anual, em meio aos esforços de Pequim para conter a expansão no setor imobiliário da segunda maior economia do mundo.

O valor médio de novas moradias em 70 cidades chinesas aumentou 0,4% em novembro ante outubro, excluindo-se projetos de habitação subsidiados pelo governo, segundo cálculos do The Wall Street Journal baseados em dados do Escritório Nacional de Estatísticas do país. Em outubro, o preço médio havia avançado 0,3% em relação a agosto.

Na comparação anual, o preço médio das moradias cresceu 5,5% em novembro, depois de avançar 5,7% em outubro. 

A China aprovou projetos de infraestrutura no valor de 72 bilhões de yuans (US$ 10,89 bilhões) em novembro, montante menor que o total de 66,6 bilhões de yuans registrado em outubro.

Foram aprovados um total de 16 projetos no mês passado, segundo a Comissão Nacional de Reforma e Desenvolvimento (NDRC, pela sigla em inglês), a principal agência de planejamento econômico do país.

Dados recentes mostraram que investimentos em ativos fixos na China subiram 7,2% nos primeiros 11 meses de 2017 ante igual período do ano passado. No acumulado do ano até outubro, os investimentos haviam crescido em ritmo um pouco mais forte, de 7,3%. 

Os economistas do mercado financeiro reduziram novamente suas projeções para o IPCA - o índice oficial de preços - para este ano. O Relatório de Mercado Focus, divulgado há pouco pelo BC, mostra que a mediana para o IPCA em 2017 foi de 2,88% para 2,83%. Há um mês, estava em 3,09%. Já a projeção para o índice de 2018 passou de 4,02% para 4,00%, ante 4,03% de quatro semanas atrás.

Na prática, as projeções de mercado divulgadas hoje no Focus indicam que a expectativa é de que a inflação fique abaixo acima do piso da meta, de 3,0%, em 2017. O centro da meta para este ano e o próximo é de 4,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto porcentual (inflação de 3,0% a 6,0%).

Há uma semana e meia, o BC atualizou, por meio do comunicado do Comitê de Política Monetária (Copom), suas projeções para o IPCA: 2,9% em 2017, 4,2% em 2018 e 4,2% em 2019. Na ocasião, o BC também reduziu a Selic em 0,50 ponto porcentual, de 7,50% para 7,00% ao ano.

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2017 no Focus passou de 2,82% para 2,80%. Portanto, estas casas também preveem que o BC não cumprirá a meta, já que a inflação ficará abaixo do piso de 3,0%. Para 2018, a estimativa do Top 5 foi de 3,83% para 3,81%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,05% e 4,12%, respectivamente.

Já a inflação suavizada para os próximos 12 meses seguiu em 3,91% de uma semana para outra - há um mês, estava em 4,02%.

Entre os índices mensais mais próximos, a estimativa para dezembro de 2017 passou de 0,37% para 0,33%. Um mês antes, estava em 0,45%. No caso de janeiro de 2018, a projeção foi de 0,48% para 0,46%, ante 0,50% de quatro semanas antes. 

Petrobras confirmou, em fato relevante publicado há pouco, que assinou acordo com a empresa norueguesa Statoil para vender 25% da participação que detém no campo de Roncador, na Bacia de Santos, pelo valor total de US$ 2,9 bilhões. Desse total, US$ 2,35 bilhões serão pagos pela Statoil no fechamento da operação e US$ 550 milhões virão em pagamentos contingentes "relacionados aos investimentos dos projetos que visam o aumento do fator de recuperação do campo".

O CME Group, maior operadora de bolsas do mundo, iniciou negócios com bitcoin futuro neste domingo, uma semana depois de a rival Cboe Global Markets lançar um contrato similar lastreado na moeda virtual.

A estreia do bitcoin futuro no CME foi às 21h (de Brasília) de ontem. O primeiro contrato com vencimento em janeiro saltou quase 6% com a primeira transação, a US$ 20.650, antes de cair para US$ 18.750 após várias horas de negócios.

O próprio bitcoin teve forte queda após a estreia do futuro no CME. Nesta manhã, a criptomoeda operava em torno de US$ 18.900, segundo a CoinDesk, depois de ter se aproximado da marca de US$ 20.000 no domingo.

Desde o começo do ano, o bitcoin acumula valorização de cerca de 1.800%, tornando-se atraente para investidores no mundo inteiro. Os futuros de bitcoin permitem a operadores apostar se seus preços subirão ou cairão, oferecendo a firmas de Wall Street a oportunidade de negociá-los em mercados conhecidos e regulados. 

O Petróleo WTI avança 0,82%, a US$ 57,77 em Nova York, enquanto o Brent ganha 1,04%, a US$ 63,89 em Londres.

O minério de ferro fechou em alta de 7,09% na China, cotado a 536 yuanes.

O gráfico diário do Ibovespa mostra um triângulo simétrico.

Vale destacar que a metade da figura passa pela região de 73.125, onde inclusive estão as médias móveis, quase justapostas.

Hoje deveremos ter o rompimento dessa região, abrindo espaço para teste da linha superior do triângulo ao longo da semana.

Clique para ampliar


Bons negócios!



Wagner Caetano, para o Cartezyan

Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário