segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Semana pós-feriado


Bom dia investidor!

O gasto fiscal da China teve crescimento de 1,7% em setembro, na comparação com igual mês do ano passado, informou o Ministério das Finanças nesta segunda-feira. Em agosto, o avanço anual havia sido de 2,9%.

A receita fiscal do país teve crescimento anual de 9,2% em setembro, em comparação com uma alta de 7,2% em agosto, de acordo com os números oficiais.

Entre janeiro e setembro, o gasto fiscal nacional aumentou 11,4% na comparação com igual período de 2016, enquanto a receita fiscal subiu 9,7%, afirmou o Ministério das Finanças.

O governo tem como meta um crescimento do gasto fiscal e da receita fiscal de 6,5% e 5% neste ano, respectivamente, de acordo com o orçamento chinês. 

Os contratos futuros do cobre operam em alta nesta segunda-feira, apoiados por dados da economia da China, além da expectativa com o Congresso do Partido Comunista nesta semana.

Às 10h10 (de Brasília), o cobre para três meses subia 2,34%, a US$ 7.054 a tonelada, na London Metal Exchange (LME), ultrapassando a barreira psicológica dos US$ 7.000 por tonelada. Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o metal para dezembro avançava 2,74%, a US$ 3,2205 a libra-peso.

Dados publicados no fim da noite de ontem mostraram que a inflação anual ao produtor da China ganhou força, de 6,3% em agosto para 6,9% no mês passado, acima da expectativa dos economistas. Já a taxa anual de inflação ao consumidor chinês desacelerou de 1,8% em agosto para 1,6% em setembro, como previam analistas, graças a uma queda nos preços de alimentos.

O índice Empire State de atividade industrial na região de Nova York subiu para 30,2 em outubro, de 24,4 em setembro, segundo dados publicados hoje pela distrital local do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). utubro, de 10,6 em setembro, mas o de novas encomendas caiu para 18, de 24,9, e o de preços recebidos diminuiu para 7, de 13,8. 

Os contratos futuros de petróleo operam em alta nesta segunda-feira, com tensões no Oriente Médio e a preocupação sobre a política dos Estados Unidos na região apoiando os preços. A ameaça do presidente dos EUA, Donald Trump, de encerrar o acordo nuclear de 2015 com o Irã, bem como as tensões entre o governo central do Iraque e a região semiautônoma curda geram preocupação entre investidores sobre possíveis problemas futuros na oferta da commodity.

Às 10h15 (de Brasília), o petróleo WTI para novembro operava em alta de 1,36%, a US$ 52,15 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para dezembro avançava 1,66%, a US$ 58,12 o barril, na ICE.

A Petrobras anunciou um novo reajuste para os combustíveis, com queda de 0,10 % no preço da gasolina nas refinarias e aumento de 1,40 % no preço do diesel. Os novos valores valem a partir desta terça, dia 17.


Clique para ampliar

O volume financeiro médio diário total no segmento Bovespa somou R$ 9,965 bilhões em setembro, 50,3% maior que em setembro de 2016. Na comparação com agosto deste ano, o aumento foi de 13,7%. Ainda de acordo com os dados operacionais do mês, no mercado à vista, o volume cresceu 50,6% para R$ 9,621 bilhões na comparação com setembro do ano passado e 13,8% ante agosto passado.

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, relacionou, em evento em São Paulo, a queda da inflação aos primeiros sinais de recuperação econômica, pois, segundo ele, a forte queda da inflação observada nos últimos 12 meses trouxe ganho de renda e estimulou o consumo.

"A primeira decisão [quando assumimos o Banco Central] foi não mudar a meta. Havia a percepção que era impossível de chegar na meta de 4,5%. Esperamos as expectativas de que inflação começarem a cair. E nós percebemos a queda de inflação. A queda da inflação foi relativamente forte. O último número é de inflação em 12 meses em 2,5%", disse, referindo-se à inflação acumulada em 12 meses até setembro.

Segundo afirmou, a expectativa do BC é de taxa de inflação um pouco acima de 3% (3,2% no cenário de mercado) este ano e acima de 4% (4,3% no cenário de mercado) no ano que vem, em linha com a meta de 4,5%. É um ganho de renda permanente, o que fez que o consumo se elevasse, começando a mostrar resultados positivos."



O gráfico diário do Ibovespa mostra força enquanto acima de 76.420.

Nas sessões da semana passada vale destacar as minimas e máximas sucessivamente maiores. No gráfico, variação e volume setorial na semana passada. Clique para ampliar.

Temos de ter atenção se houver quebra desse padrão ou fechamento abaixo da média móvel de 5 períodos, suporte de curtíssimo prazo.



Bons negócios!


Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário