quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Mercado à espera do FED


Bom dia investidor!

Ontem o Ibovespa mostrou força e marcou fechamento recorde.

Enquanto acima de 76.420 a compra será dominante e poderá buscar 78.025 nos próximos pregões.

Se fraquejar e perder 76.420 como suporte, caso esse seja testado, terá como piso a região formada pela média móvel de 21, LTA, topo anterior (75.330) e mínima da semana em 75.180. Clique no gráfico para ampliar.

Os futuros de cobre operam em baixa em Londres e Nova York, em meio a um movimento de realização de lucros, à espera de novos sinais sobre a trajetória da política monetária dos EUA.

Por volta das 9h20 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) recuava 0,31%, a US$ 6.731,50 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em dezembro tinha baixa de 0,11%, a US$ 3,0570 por libra-peso.

Mais tarde, investidores dos mercados de metais ficarão atentos à ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), que será publicada às 15h (de Brasília). Nas últimas semanas, o Fed tem dado indicações de que poderá elevar juros por uma terceira vez este ano, possivelmente em dezembro.

Entre outros metais na LME, as perdas eram generalizadas: o zinco caía 1,50% no horário indicado acima, a US$ 3.242,50 por tonelada; o alumínio cedia 0,97%, a US$ 2.141,50 por tonelada; o níquel diminuía 0,82%, a US$ 10.950,00 por tonelada; o chumbo perdia 1,76%, a US$ 2.514,00 por tonelada, e o pouco negociado estanho recuava 0,58%, a US$ 20.710,00 por tonelada.

A produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) cresceu em quase 90 mil barris por dia (bpd) em setembro, dificultando os esforços do cartel de conter o excesso de oferta global da commodity.

No mês passado, a Opep produziu 32,75 milhões de bpd, 0,27% mais do que em agosto. O aumento foi impulsionado pelos resultados da Líbia, Nigéria, Iraque e Gabão, segundo relatório mensal da Opep divulgado nesta quarta-feira.

Desde o começo do ano, Opep e dez países que não pertencem ao cartel vêm buscando reduzir sua produção combinada em 1,8 milhão de bpd, como parte de um acordo que ficará em vigor até março de 2018. Os esforços de conter a oferta, porém, foram parcialmente prejudicados pelo avanço da produção na Líbia e Nigéria, dois integrantes da Opep que foram excluídos do pacto, uma vez que suas indústrias petrolíferas vinham sendo afetadas por conflitos locais.

As vendas do comércio varejista caíram 0,50% em agosto ante julho, na série com ajuste sazonal, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado veio abaixo da mediana das estimativas do mercado financeiro, positiva em 0,10%, e dentro do intervalo das previsões, de queda de 1,00% a alta de 0,90%. Na comparação com agosto de 2016, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 3,6% em agosto de 2017. Nesse confronto, as projeções iam de uma expansão de 2,70% a 6,14%, com mediana positiva em 4,30%.

As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 0,7% no ano e queda de 1,6% em 12 meses. 

A Petrobras anunciou um novo reajuste para os combustíveis, com aumento de 1.20 % no preço da gasolina nas refinarias e alta de 1.20 % no preço do diesel. Os novos valores valem a partir desta quinta, dia 12.

A Secretaria de Comunicação da Presidência negou que o presidente Michel Temer esteja com um cateterismo agendando para depois da provável e esperada derrubada da denúncia. Segundo informações do site Antagonista e da TV Globo, o presidente teria marcado o procedimento.

De acordo com o Planalto, o presidente, que completou 77 anos no mês passado, "goza de perfeita saúde" e "não tem nenhuma cirurgia marcada" até o momento. No fim do mês passado, Temer fez exames no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Interlocutores do presidente reiteraram que os exames foram "tranquilos" e sem nenhum problema.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan

Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR


Nenhum comentário:

Postar um comentário