terça-feira, 10 de outubro de 2017

Mercado em ponto decisivo



Bom dia investidor!

A Bolsa de Tóquio encerrou os negócios desta terça-feira no maior nível em mais de dois anos, em meio a expectativas de que a coalizão governista do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, consolide seus poder e mantenha o foco em políticas econômicas depois da eleição parlamentar marcada para o dia 22.

Após não operar ontem devido a um feriado nacional, o índice Nikkei subiu 0,64%, a 20.823,51 pontos, seu maior patamar desde 21 de julho de 2015 e apenas 45 pontos abaixo do que teria sido seu melhor fechamento em 21 anos.

A Alemanha teve superávit comercial de 21,6 bilhões de euros (US$ 25,4 bilhões) em agosto, maior que o saldo positivo de 19,3 bilhões de euros de julho, segundo dados com ajustes sazonais publicados hoje pela agência de estatísticas do país, a Destatis. 

As exportações alemãs subiram 3,1% em agosto ante julho, enquanto as importações avançaram 1,2%. Na comparação anual, as exportações tiveram alta de 7,2% em agosto, lideradas por um salto de 10,6% nos embarques para países da zona do euro, e as importações cresceram 8,5%.

Ainda em agosto, a Alemanha registrou superávit em conta corrente de 17,8 bilhões de euros, maior que o saldo positivo previsto pelo mercado, de 17 bilhões de euros, informou a Destatis. 

Os contratos futuros de petróleo operam com ganhos nesta terça-feira, após a Arábia Saudita anunciar planos para cortar suas exportações em novembro. Além disso, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) mostrou ontem uma posição otimista sobre o mercado, o que colabora para o movimento, amparado ainda pelo dólar em geral mais fraco.

Às 9h47 (de Brasília), o petróleo WTI para novembro subia 1,35%, a US$ 50,20 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para dezembro tinha alta de 1,04%, a US$ 56,37 o barril, na ICE.

A Arábia Saudita anunciou planos de cortar em novembro suas exportações mensais, em um esforço para acelerar a redução nos estoques globais. O Ministério do Petróleo saudita disse na segunda-feira que o reino exportará 7% menos petróleo por via marítima em novembro, na comparação com igual mês de 2016. A medida é parte dos esforços liderados pela Opep e que incluem países de fora do grupo, como a Rússia, para estabilizar os preços e conter a produção.

Os futuros de cobre operam em alta moderada em Londres e Nova York, favorecidos pela desvalorização do dólar ante outras moedas.

Por volta das 9h50 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,25%, a US$ 6.682,00 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em dezembro tinha alta de 0,19%, a US$ 3,0380 por libra-peso.

O índice DXY do dólar se enfraquece nos negócios da manhã, tornando o cobre mais atraente para investidores que utilizam outras divisas.

O recuo do dólar, no entanto, pode ser de curta duração, uma vez que é grande a expectativa de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) eleve juros por uma terceira vez este ano, possivelmente em dezembro.

No começo da tarde, às 13h (de Brasília), investidores dos mercados de metais deverão ficar atentos a um discurso do presidente regional da Catalunha, Carles Puigdemont, que poderá declarar a independência da região em relação à Espanha. No último dia 1º, os catalães aprovaram a secessão do território num plebiscito considerado ilegal pelo governo espanhol.

Entre outros metais na LME, o viés era majoritariamente negativo: o zinco recuava 0,88% no horário indicado acima, a US$ 3.223,00 por tonelada; o alumínio caía 0,44%, a US$ 2.161,50 por tonelada; o níquel diminuía 1,45%, a US$ 10.940,00 por tonelada; e o chumbo perdia 0,92%, a US$ 2.490,00 por tonelada. Exceção no mercado inglês, o pouco negociado estanho tinha alta marginal de 0,05%, a US$ 20.845,00 por tonelada. 


O Ibovespa buscou, no pregão no ontem, suporte no topo anterior, conforme previsto.

Hoje temos um repique e teste de um ponto decisivo: 75.420.

Se sustentar acima desse patamar poderá atrair compradores e voltar a subir, mirando teste de 78.000 no curto prazo.

Gráfico intraday de ontem e hoje até 11:30 = clique para ampliar.

Por outro lado, se não conseguir se manter acima de 76.420, a alta de hoje cedo será fogo de palha e teremos pressão vendedora.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan

Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário