terça-feira, 3 de outubro de 2017

Feriado na China e Aécio em destaque


Bom dia investidor!

As bolsas asiáticas encerraram os negócios desta terça-feira em alta, seguindo o tom positivo dos mercados de Nova York, que ontem fecharam em níveis recordes em reação a fortes dados da indústria manufatureira dos EUA. Já na China e na Coreia do Sul, as bolsas continuaram sem operar devido a um feriado que se estenderá até o fim da semana.

Hong Kong liderou os ganhos de hoje na Ásia, com valorização de 2,25%, a maior desde maio de 2016. O índice Hang Seng saltou para 28.173,21 pontos, impulsionado por ações de grandes bancos chineses e de montadoras, como Geely e Great Wall.

No fim de semana, o banco central chinês (PBoC) anunciou que irá reduzir o compulsório bancário entre 0,5 e 1 ponto porcentual a partir de 2018, em seu primeiro corte desde março de 2016, com o objetivo de incentivar empréstimos para pequenas empresas. 

Os preços do petróleo recuam nesta terça-feira, após altas recentes que levaram o Brent à máxima em dois anos perderem fôlego. Mesmo após uma sessão negativa ontem, os contratos não mostram uma reação, ao menos por ora.

Às 8h34 (de Brasília), o petróleo WTI para novembro caía 0,09%, a US$ 50,55 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para dezembro tinha baixa de 0,06%, a US$ 56,08 o barril, na ICE.

Os preços da commodity avançaram em setembro em reação a projeções que apontaram para uma oferta mais restrita. Posteriormente, porém, reverteram ganhos e caíram mais de 5% na semana passada.

Os futuros de cobre operam em leve alta em Londres e Nova York, com a liquidez reduzida por um feriado na China que se estenderá até o fim da semana, fator que mantém o metal dentro de sua faixa recente de preços.

Por volta das 8h35 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,35%, a US$ 6.514,50 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em dezembro tinha alta marginal de 0,07%, a US$ 2,9570 por libra-peso.

O feriado na China, principal consumidor mundial de metais básicos, compromete o volume de negócios com cobre e outros metais.

Mais adiante, investidores ficarão atentos ao Congresso do Partido Comunista da China - a partir do dia 18 -, que provavelmente determinará o tom da demanda pelo restante do ano.

Entre outros metais na LME, os ganhos eram generalizados: o zinco avançava 0,76% no horário indicado acima, a US$ 3.226,50 por tonelada; o alumínio subia 1%, a US$ 2.124,50 por tonelada; o estanho tinha ligeira alta de 0,07%, a US$ 20.700,00 por tonelada; o níquel saltava 2,53%, a US$ 10.725,00 por tonelada; e o chumbo aumentava 0,08%, a US$ 2.527,00 por tonelada. 

Em uma última tentativa de aprovar novas regras para as eleições de 2018, o deputado Vicente Cândido (PT-SP) enxugou o projeto da reforma política e apresentou um texto ao plenário da Câmara ontem, 2, de apenas 14 páginas. A última versão divulgada tinha 49 laudas.

Pelo acordo que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tenta costurar, o plenário vai tentar votar nesta terça-feira, 3, tanto o projeto que cria o fundo público que veio do Senado quanto essa versão mais enxuta do relatório do deputado petista.

A proposta de Maia é que os deputados votem o texto do Senado na íntegra, com a garantia de que o presidente Michel Temer vetará pontos que não agradou à Câmara, como a forma de distribuição do fundo entre os partidos e a permissão para que os recursos do Fundo Partidário sejam usados apenas nas eleições majoritárias.

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu encaminhar à presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, o pedido da defesa do senador Aécio Neves (PSDB-MG) para que o mandado de segurança impetrado pelo tucano seja redistribuído para outro relator.

O mandado de segurança foi originalmente distribuído para o ministro Edson Fachin, relator do caso J&F. Para a defesa de Aécio, Fachin não poderia ser o relator do mandado de segurança, porque se questiona no processo justamente o restabelecimento de medidas cautelares que haviam sido determinadas pelo próprio Fachin em maio deste ano.

Cabe agora à presidente do STF decidir se redistribui ou não o processo. Não há previsão de quando isso vai ocorrer.

IBOVESPA com o intradiário de ontem em destaque.
Clique para ampliar.


O gráfico diário do Ibovespa mostra o benchmark com as mínimas mais altas que a sessão anterior de forma sucessiva nos últimos três pregões.

Isso favorece a alta, mas nada empolgante, tanto que ontem fechou de maneira lateral.

As médias estão levemente inclinadas para cima e enquanto acima de 74.165 terá espaço para buscar 75.330.

Somente a perda de 73.125 seria um sinal evidente de queda, pois acionaria um pivot de baixa, mas antes teria de violar duas retrações de Fibonacci, duas médias que estão abaixo dos preços e também a LTA.


Bons negócios!


Wagner Caetano, para o Cartezyan

Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário