quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Política e commodities em pauta


Bom dia investidor!

Os pedidos de auxílio-desemprego recuaram 14 mil na semana até 9 de setembro nos Estados Unidos, a 284 mil, após ajustes sazonais, informou nesta quinta-feira o Departamento do Trabalho. Analistas ouvidos pelo Wall Street Journal previam alta, para 305 mil solicitações.

Os pedidos de auxílio-desemprego seguem em níveis historicamente baixos há anos no país, um sinal da saúde do mercado de trabalho. As inundações e a destruição no Texas, na Louisiana e na Flórida, como resultado dos furacões Harvey e Irma, podem causar significativas perdas de postos de trabalho, ao menos temporariamente.

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos subiu 0,4% em agosto ante julho, no cálculo com ajustes sazonais, segundo dados publicados hoje pelo Departamento do Trabalho. 

O núcleo do CPI, que exclui itens voláteis, como alimentos e energia, avançou 0,2% em agosto ante o mês anterior, vindo em linha com a projeção do mercado.

Na comparação anual, o CPI subiu 1,9% em agosto, ganhando força em relação ao aumento de 1,7% de julho, enquanto o núcleo mostrou ganho de 1,7%, repetindo a variação do mês anterior. 

Três agentes da Polícia Federal deixaram há pouco o apartamento do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, em Brasília carregando um malote e uma matriz de computador (CPU). Não há informação se durante a ação o ministro estava na residência, localizada na Asa Sul, área central da capital federal.

A busca e apreensão de documentos e objetos no local ocorreu nesta manhã no âmbito da Operação Malebolge, 12ª fase da Ararath, que investiga esquema de corrupção em Mato Grosso. Maggi é citado na delação premiada do ex-governador do Estado Silval Barbosa (PMDB).

Após avançar 0,15% em junho, a média móvel trimestral do Índice de Atividade do Banco Central (IBC-Br) teve alta de 0,23% em julho, na série com ajuste sazonal. Os dados do índice foram divulgados na manhã de hoje pelo Banco Central.

A média móvel do IBC-Br costuma ser usada como indicativo de tendências para o índice. Neste caso, o porcentual reflete a comparação entre o trimestre encerrado em julho e o trimestre encerrado em junho.

Na série com ajuste sazonal, a média móvel trimestral do IBC-Br vinha registrando avanços no início do ano: 0,14% em janeiro, 0,60% em fevereiro, 0,51% em março e 0,40% em abril. Em maio, porém, houve recuo de 0,17%, interrompendo a sequência positiva. Depois, em junho, a média móvel voltou para o terreno positivo, com alta de 0,15%. Agora, em julho, marcou +0,23%.

O petróleo opera com ganhos na manhã desta quinta-feira, ampliando os ganhos sólidos da sessão anterior. A redução dos estoques globais e uma projeção otimista para a demanda amparam o movimento.

O petróleo WTI para outubro avançava 2,14%, a US$ 49,61 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para novembro tinha alta de 1,36%, a US$ 55,50 o barril, na ICE, às 11h40 (de Brasília). Ontem, o WTI fechou no maior nível em cinco semanas e o Brent no maior patamar desde abril.

Na quarta-feira, a Agência Internacional de Energia (AIE) afirmou que os estoques globais da commodity recuaram pela primeira vez em quatro meses em agosto, com uma queda de 720 mil barris por dia. Ao mesmo tempo, a AIE elevou a projeção para o crescimento na demanda para 1,6 milhão de barris por dia para todo o ano.

Os futuros de cobre operam em baixa em Londres e Nova York nesta manhã, ampliando perdas de ontem, na esteira de indicadores mais fracos do que o esperado da China, o maior consumidor mundial de metais básicos.

Por volta das 11h30 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) caía 1,33%, a US$ 6.468,00 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em dezembro recuava 1,41%, a US$ 2,9390 por libra-peso.

Entre outros metais básicos na LME, as perdas eram quase generalizadas: o zinco caía 1,12% no horário indicado acima, a US$ 2.996,00 por tonelada; o alumínio recuava 1,07%, a US$ 2.086,00 por tonelada; o níquel cedia 1,84%, a US$ 11.230,00 por tonelada; e o chumbo perdia 0,8%, a US$ 2.280,00 por tonelada. Única exceção, o pouco negociado estanho subia 0,34%, a US$ 20.545,00 por tonelada. 

produção industrial e as vendas no varejo da China cresceram menos do que se previa na comparação anual de agosto e os últimos números sobre investimentos em ativos fixos também decepcionaram.

O gráfico diário do Ibovespa mantém a inclinação altista, sem correção mais forte no curto prazo.

Hoje opera de forma lateral, com leve alta nos bancos e na Petrobras e baixa nas ações ligadas a metais.

Somente a perda de 74.300, em fechamento, seria um sinal concreto de baixa para o curto prazo, uma vez que esse ponto marcou a mínima da estrela cadente.

Clique para ampliar

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan

Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário