segunda-feira, 18 de setembro de 2017

JBS e Temer no radar


Bom dia investidor!

Os preços de moradias na China subiram em ritmo mais fraco em agosto do que no mês anterior, sinalizando uma desaceleração no setor imobiliário da segunda maior economia do mundo.

O valor médio de novas moradias em 70 cidades chinesas aumentou 0,2% em agosto ante julho, excluindo-se projetos de habitação subsidiados pelo governo, segundo cálculos do The Wall Street Journal baseados em dados do Escritório Nacional de Estatísticas do país. Em julho, o preço médio havia avançado 0,5% em relação a junho.

Na comparação anual, o preço médio das moradias também cresceu com menos força em agosto, ao registrar alta de 8,2%, ante ganho de 9,3% em julho. 

Os futuros de cobre operam em alta em Londres e Nova York, recuperando-se de um movimento de realização de lucros da semana passada e sustentados pelo desempenho positivo dos mercados acionários da Ásia nesta segunda-feira.

Por volta das 9h30 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,88%, a US$ 6.545,00 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em dezembro avançava 0,76%, a US$ 2,9715 por libra-peso.

Na última semana, o cobre da LME chegou a ser negociado por menos de US$ 6.500,00 por tonelada, pressionado por realização de lucros após meses de forte valorização e em reação a indicadores econômicos fracos da China e dos EUA.

Investidores dos mercados de metais básicos também ficarão atentos à decisão do Fed. Embora não haja expectativa de que ajuste juros nesta semana, o Fed poderá dar início à redução de seu gigantesco balanço patrimonial.

Entre outros metais na LME, os ganhos eram quase generalizados: o zinco subia 1,47% no horário indicado acima, a US$ 3.078,00 por tonelada; o alumínio tinha ligeira alta de 0,07%, a US$ 2.091,00 por tonelada; o estanho aumentava 0,63%, a US$ 20.685,00 por tonelada; o níquel se mantinha estável, a US$ 11.125,00 por tonelada; e o chumbo apresentava valorização de 0,87%, a US$ 2.387,00 por tonelada. 

Os contratos futuros de petróleo operam perto da estabilidade, em leve baixa na manhã desta segunda-feira, mas ainda próximos da máxima em cinco meses obtida na semana passada, quando dados recentes que indicaram um aperto na oferta deram impulso à commodity.

O petróleo WTI para novembro, contrato mais líquido, recuava 0,20%, a US$ 50,34 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para novembro tinha queda de 0,27%, a US$ 55,47 o barril, na ICE, às 9h30.

Com os filhos Wesley e Joesley Batista presos, o fundador do grupo JBS, José Batista Sobrinho, de 84 anos, vai voltar à presidência da companhia. O nome foi aprovado por unanimidade em reunião do conselho de administração na noite de sábado.

O argumento da família para esse movimento é que Batista Sobrinho, conhecido como Zé Mineiro, dará “estabilidade” à empresa, cumprindo o mandato de Wesley, que se encerra em 2019, no comando da JBS.

Os Batista estavam decididos a indicar para o cargo Wesley Filho, filho de Wesley. Com isso, entrariam em rota de colisão com o BNDES, dono de 21,3% das ações do grupo, que queria Gilberto Tomazoni, presidente de marcas globais da JBS, como presidente interino.

Donald Trump recebe hoje para um jantar em Nova York o presidente brasileiro, Michel Temer, e outros líderes latino-americanos. Um alto funcionário do governo americano disse ontem ao ‘Estado’ que a Casa Branca espera que eles saiam do encontro com um “dever de casa” de medidas específicas que possam adotar para pressionar a Venezuela a restaurar instituições democráticas.

Trump receberá os presidentes do Brasil, Michel Temer, da Colômbia, Juan Manuel Santos, do Panamá, Juan Carlos Varela, na véspera da abertura da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). A Argentina será representada pela vice-presidente, Gabriela Michetti. Convidado, o presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, cancelou sua participação em razão da crise política que enfrenta em seu país.

O general do Exército da ativa Antonio Hamilton Martins Mourão falou por três vezes na possibilidade de intervenção militar diante da crise enfrentada pelo País, caso a situação não seja resolvida pelas próprias instituições. A afirmação foi feita em palestra realizada na noite de sexta-feira, 15, na Loja Maçônica Grande Oriente, em Brasília, após o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciar pela segunda vez o presidente Michel Temer por participação em organização criminosa e obstrução de justiça. Janot deixou o cargo nesta segunda-feira.



O mercado mostrou força no pregão de sexta-feira, com um candle de força e volume acima da média.

O ponto chave portanto, será 75.330.

Caso consiga se manter acima desse patamar continuará a sua escalada, porém a perda do mesmo sinalizaria rompimento falso.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan

Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário