terça-feira, 5 de setembro de 2017

JBS de volta à pauta


Bom dia investidor!

Os contratos futuros de petróleo operam em alta na manhã desta terça-feira, em resposta à volta das operações em algumas refinarias dos Estados Unidos fechadas na semana passada por causa da passagem da tempestade Harvey. O mesmo motivo pressiona os preços da gasolina.

Às 9h43 (de Brasília), o petróleo WTI para outubro subia 1,40%, a US$ 47,95 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para novembro avançava 0,65%, a US$ 52,68 o barril, na ICE.

Os futuros de cobre operam em alta em Londres e Nova York, na esteira de dados positivos de atividade econômica da China, o maior consumidor mundial de metais básicos.

Por volta das 9h40 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,28%, a US$ 6.942,50 por tonelada, tocando novas máximas em três anos.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em dezembro tinha alta de 1,44%, a US$ 3,1630 por libra-peso.

Outro fator que beneficia o cobre é o índice DXY do dólar, que se enfraquece nos negócios da manhã, tornando-o mais barato para investidores que utilizam outras moedas. 

Pesquisa da IHS Markit com a Caixin Media, divulgada ontem à noite, mostrou que o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) de serviços da China subiu de 51,5 em julho para 52,7 em agosto. Já o PMI composto, que também considera a indústria, foi de 51,9 em julho para 52,4 no mês passado, atingindo o maior nível em seis meses. Os avanços acima da marca de 50,0 sugerem que a economia chinesa se expandiu em ritmo mais acentuado em agosto.

A produção industrial brasileira subiu 0,8% em julho ante junho, na série com ajuste sazonal, divulgou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em relação a julho de 2016, a produção subiu 2,5%. Nessa comparação, sem ajuste, as estimativas variavam de um aumento de 0,7% a 2,83%, com mediana positiva de 1,80%.

No ano, a indústria teve alta de 0,8%. No acumulado em 12 meses, a produção da indústria acumulou recuo de 1,1%. 

A venda da Moy Park, empresa de carne processada com sede na Irlanda, faz parte do programa de desinvestimento da JBS, mas nenhum acordo final para tal alienação foi celebrado até o momento, informa a JBS, em comunicado ao mercado, em resposta ao questionamento da B3 e Comissão de Valores Mobiliários (CVM) sobre a matéria do Estadão.

"No fato relevante, a companhia informou a intenção de alienar a participação acionária na Moy Park e, desse modo, confirma que vem envidando os seus esforços para realizar tal do negócio. Contudo, nenhum acordo final para realizar tal alienação foi celebrado até o momento", informou a JBS, no documento, referindo-se ao fato relevante do dia 20 de junho de 2017.

O presidente Michel Temer afirmou que recebeu com "serenidade" as declarações do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que colocou sob suspeita a delação de três colaboradores da JBS. Em conversa com jornalistas em Xiamen, na China, o peemedebista disse na manhã desta terça-feira, 5 (pelo horário local), que respeitará as decisões que forem tomadas pela Justiça, pela Câmara dos Deputados e pela Procuradoria-Geral acerca das investigações.


IBOV em alta e JBS aguardando fim do leilão, com expectativa de -10%. Clique para ampliar.

O Ibovespa deverá abrir em alta, precificando o assunto supra citado que remete à delação da JBS.

O desafio será sustentar a compra, pois temos considerável distância em relação à média móvel exponencial de 21 períodos.

Votação da TLP e possível homologação da delação de Funaro devem entrar no radar após a euforia do início do pregão à vista.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR
JBS na pauta novamente

Nenhum comentário:

Postar um comentário