segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Coreia no radar novamente


Bom dia investidor!

O petróleo opera misto nesta sessão de segunda-feira, à medida em que algumas refinarias voltaram a operar após a depressão tropical Harvey, na costa do Texas, que havia sido primeiro classificada como furacão e depois tempestade tropical, mas foi rebaixada.

Mesmo assim, sua passagem causou o fechamento de uma parte considerável da capacidade das refinarias nos Estados Unidos na última semana.

Às 10h (de Brasília), o petróleo WTI para outubro tinha alta de 0,27%, a US$ 47,42 o barril, na Nymex, enquanto o petróleo Brent para novembro tinha queda de 0,57%, a US$ 52,45 o barril, na ICE.

O cobre opera em alta nesta segunda-feira, beneficiado pelo dólar mais fraco. Além disso, os investidores monitoram as notícias geopolíticas, após o mais recente teste nuclear da Coreia do Norte.

Às 10h05 (de Brasília), o cobre para três meses subia 0,85%, a US$ 6.904,50 a onça-troy, na London Metal Exchange (LME). Às 8h15, o cobre para dezembro tinha alta de 0,95%, a US$ 3,1475 a libra-peso, no pregão eletrônico da Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

Entre outros metais básicos negociados na LME, o zinco caía 0,28%, a US$ 3.199 a tonelada, o alumínio recuava 0,44%, a US$ 2.131,50 a tonelada, o estanho tinha alta de 0,02%, a US$ 20.705 a tonelada, o níquel avançava 0,58%, a US$ 12.205 a tonelada, e o chumbo recuava 0,08%, a US$ 2.400 a tonelada.

As tensões diplomáticas mexeram com o mercado cambial. O dólar em geral está mais fraco hoje, o que torna o cobre mais barato para os detentores de outras divisas e impulsiona a demanda dos investidores.

Mais adiante, investidores continuarão a monitorar as novidades sobre a Coreia do Norte. Hoje, os integrantes do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas se reúnem para discutir o caso do país, após o teste nuclear de Pyongyang no domingo.

Na Europa, investidores também acompanharão a reunião do Banco Central Europeu (BCE), na quinta-feira, enquanto nos EUA o foco estará na discussão sobre a potencial paralisação do governo, caso o Congresso não aprove a elevação do teto da dívida, segundo a economista da Capital Economics.

Os economistas do mercado financeiro projetam um novo corte de 1 ponto porcentual da Selic (a taxa básica de juros) nesta semana, de 9,25% para 8,25% ao ano, indicou hoje a abertura dos dados do Relatório de Mercado Focus. Nas últimas semanas, eles já projetavam um corte nesta magnitude. O Comitê de Política Monetária (Copom) decide o novo patamar da Selic na quarta-feira.

A abertura dos dados mostra que a mediana da Selic em setembro está em 8,25% ao ano. Para outubro, a projeção é de corte de 0,75 ponto porcentual e, para dezembro, de corte de 0,25 ponto. Assim, a Selic encerraria o ano em 7,25% ao ano.

Os dados ainda mostram que a Selic cairia mais 0,25 ponto porcentual em fevereiro de 2018, para 7,00% ao ano. Depois, permaneceria assim até novembro do próximo ano, quando subiria 0,25 ponto porcentual, para 7,25% ao ano. Na sequência, a taxa básica subiria mais 0,25 ponto em dezembro, para 7,50%. 

O Ibovespa deverá ter uma sessão de giro reduzido, devido ao feriado norte-americano, uma vez que a presença dos estrangeiros responde por boa parte do volume no mercado doméstico.


Clique para ampliar

O viés é de leve baixa.

Somente a perda de 71.500, topo anterior, seria um gatilho de vendas mais consistente.

Pela distância da média móvel de 21 períodos, dificilmente teremos alta na sessão de hoje com baixa liquidez.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR



Nenhum comentário:

Postar um comentário