quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Mercado na defensiva


Bom dia investidor!


O ministro da Defesa do Japão, Itsunori Onodera, afirmou que seu país poderia derrubar mísseis da Coreia do Norte, em favor dos Estados Unidos, se o regime de Kim Jong-un disparasse contra Guam, território americano no Pacífico e que contém bases militares do Exército dos EUA. (Fotos: Carlo Allegri/Reuters; KCNA/via Reuters)

Em sessão parlamentar nesta quinta-feira, o ministro afirmou que o ataque no território dos Estados Unidos seria uma emergência nacional japonesa porque ameaçaria a existência do Japão como uma nação.

O cobre opera próximo da estabilidade na manhã desta quinta-feira, de olho nos movimentos do câmbio. 

Às 9h35, o cobre para três meses caía 0,04%, a US$ 6.452,50 a tonelada, na London Metal Exchange (LME). O cobre para setembro recuava 0,05%, a US$ 2,9255 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

Ontem, os contratos em Londres e Nova York fecharam sem sinal único, beneficiados pelo dólar mais fraco e em reação a números da inflação na China. Nesta manhã, porém, o dólar se fortalece em geral, o que torna o metal mais caro para os detentores de outras divisas e reduz o apetite dos investidores.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o zinco caía 0,05%, a US$ 2.938,50 a tonelada, o alumínio subia 0,52%, a US$ 2.034,50 a tonelada, o estanho avançava 0,37%, a US$ 20.300 a tonelada, o níquel tinha alta de 0,46%, a US$ 10.805 a tonelada, e o chumbo subia 0,64%, a US$ 2.371 a tonelada. 

Os futuros de petróleo operam em alta nesta manhã, ampliando ganhos de cerca de 0,8% a 1,1% da sessão anterior, ainda em reação à última pesquisa do Departamento de Energia (DoE) norte-americano.

Ontem, o DoE estimou que o volume de petróleo bruto estocado nos EUA sofreu uma queda de 6,45 milhões de barris na última semana, redução bem maior do que previam os analistas.

Às 9h34 (de Brasília), o barril do petróleo tipo Brent para outubro subia 0,80% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 53,12, atingindo o maior nível em 11 semanas, enquanto o do WTI para setembro avançava 0,54% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 49,93.

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), manteve o sigilo da delação premiada de Silval Barbosa (PMDB), ex-governador de Mato Grosso, homologada ontem (9).

Um dos motivos da manutenção do sigilo é porque os conteúdos trazidos por Silval Barbosa poderão motivar novas operações da Polícia Federal no âmbito de investigações existentes ou eventualmente originadas a partir da delação do ex-governador.

Na semana passada, o ministro Fux havia dito que se trata de uma delação "monstruosa" e "a maior operação" depois da Lava Jato.

Ontem o Ibovespa segurou na média móvel de 5 períodos, deixando uma sombra inferior relevante, insistindo na compra intradiária. Clique no gráfico para ampliar.

A abertura deve ser baixista, seguindo o mercado futuro.

O sinal de anteontem tem força, indicando a correção como caminho mais provável para os preços.

O divisor de águas será a região entre 67.276 (topo anterior) e 67.290 (mínima de ontem).

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário