terça-feira, 4 de julho de 2017

Liquidez reduzida


Bom dia investidor!

A Bolsa de Tóquio reverteu a tendência da abertura e encerrou o pregão em queda, pressionada por tensões geopolíticas. O índice Nikkei terminou em baixa de 0,12%, aos 20.032,35 pontos.

A sessão abriu em alta, impulsionada pela valorização do dólar ante o iene, porém o índice foi para o negativo e a moeda japonesa passou a subir após a Coreia do Norte anunciar o lançamento do primeiro míssil intercontinental, o que aumenta o temor de um conflito entre as principais nações asiáticas.

Apoiados pelos Estados Unidos, o Japão e a Coreia do Sul são alvos da retórica beligerante de Pyongyang, que, por sua vez, encontra respaldo na China.

Com o aumento da incerteza, os agentes migraram de papéis mais voláteis (como ações) para a segurança do iene. A moeda japonesa era negociada no final da madrugada em alta ante o dólar, que caía para 113,06 ienes.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação na cidade de São Paulo, avançou 0,05% em junho, após deflação de 0,05% em maio, segundo dados publicados há pouco pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

De janeiro a junho, o IPC-Fipe acumulou inflação de 0,99%. Em 12 meses até junho, a taxa foi de 2,47%.

Na última quadrissemana do mês, tiveram variação positiva os grupos Habitação (0,85% para 0,88%), Despesas Pessoas (0,06% para 0,25%), Saúde (ainda que tenha desacelerado de 0,16% para 0,04%) e Educação (desacelerou de 0,20% para 0,14%).

Para tentar derrubar a denúncia de corrupção passiva contra ele o mais rápido possível na Câmara dos Deputados, o presidente Michel Temer quer que sua defesa seja apresentada amanhã na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira deve entregar a defesa escrita, que será objeto de análise do relator do caso. Mas o presidente da CCJ, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), vai abrir espaço para que Mariz faça a sustentação oral da defesa diante dos membros da comissão.

Pacheco deve anunciar hoje o relator da denúncia. O responsável pela relatoria terá cinco sessões, após a manifestação da defesa, para apresentar seu parecer.

O advogado de defesa do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), Gamil Föppel, afirmou, ontem, que o peemedebista foi ‘injustamente enredado no bojo da “Operação Cui Bono” e que ‘deposita sua integridade física nas mãos da autoridade policial’. Ele foi preso pela Polícia Federal na Bahia por determinação do juiz federal Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara do Distrito Federal. A detenção é de caráter preventivo e tem como fundamento elementos reunidos a partir de informações fornecidas em depoimentos recentes do doleiro Lúcio Bolonha Funaro, do empresário Joesley Batista e do diretor jurídico do grupo J&F, Francisco de Assis e Silva, sendo os dois últimos, em acordo de colaboração premiada.

Os contratos futuros de cobre operam em queda na sessão desta terça-feira, pressionados pelo fortalecimento do dólar ante diversas divisas. O dia, no entanto, tem liquidez restrita, devido ao feriado do Dia da Independência nos Estados Unidos.

Há pouco, o cobre para três meses na London Metal Exchange (LME) caía 0,43%, para US$ 5.889,00 por tonelada. O metal com entrega para setembro recuava 0,65%, para US$ 2,6755 por libra-peso, na Comex, onde somente há negociação eletrônica hoje.

O índice DXY, uma medida do dólar contra uma cesta de moedas importantes, operava em alta de 0,07%, a 96,28 pontos, impulsionado pela busca por segurança por parte de investidores internacionais depois de a Coreia do Norte ter anunciado o lançamento do primeiro míssil intercontinental, o que aumenta o temor de um conflito entre as principais nações asiáticas. Há, no entanto, relatos divergentes sobre o disparo da arma.

Por sua vez, a valorização do dólar causa baixa dos contratos de cobre, lembra, em nota, o Commerzbank, uma vez que o metal fica mais caro para investidores de fora dos Estados Unidos.

Entre os demais metais básicos negociados na LME, a tonelada do alumínio caía 0,31%, para US$ 1.921,00; a do zinco cedia 0,84%, para US$ 2.784,00; a do chumbo perdia 0,94%, para US$ 2.309,00; a do estanho recuava 0,72%, para US$ 20.010,00; e a do níquel tombava 2,25%, para US$ 9.120,00.

O Ibovespa vem de uma franca trajetória ascendente.

Com a baixa liquidez dessa sessão devido ao feriado nos EUA, o spread deverá ser limitado.


Volume do IBOVESPA nos últimos dias e agora ao meio-dia.
Clique para ampliar

O mercado aponta um pregão de leve baixa, mas nada que mude a inclinação altista de curto prazo.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan

Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário