quinta-feira, 13 de julho de 2017

Ibovespa mostra força


Bom dia investidor!

A Bolsa de Tóquio fechou praticamente estável nesta quinta-feira, em meio à valorização recente do iene frente ao dólar, mas sustentada até certo ponto por ações do setor aéreo.

O índice Nikkei, que reúne os papéis de empresas mais negociadas na capital do Japão, teve ganho apenas marginal de 0,01%, encerrando o pregão a 20.099,81 pontos.

Os futuros de cobre operam em alta em Londres e Nova York nesta manhã, com os metais básicos favorecidos por dados melhores do que o esperado da balança comercial chinesa.

Por volta das 9h20 (de Brasília), o cobre para entrega em três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,19%, a US$ 5.914,00 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para setembro também avançava 0,19%, a US$ 2,6890 por libra-peso.

As exportações da China aumentaram pelo quarto mês consecutivo em junho, à medida que a demanda externa por bens da segunda maior economia do mundo continuou a se fortalecer.

No mês passado, as exportações chinesas medidas em dólares tiveram expansão anual de 11,3%, depois de crescerem 8,7% em maio, segundo dados da Administração Geral de Alfândega do país. 

As importações da China, por sua vez, saltaram 17,2% em junho ante igual mês do ano passado, após exibirem alta de 14,8% em maio. Também neste caso, a projeção do mercado era de ganho menor, de 12,4%.

Já o superávit comercial da China aumentou para US$ 42,77 bilhões em junho, de US$ 40,81 bilhões em maio, mas ficou abaixo da previsão de analistas, que era de saldo positivo de US$ 44,2 bilhões. 

Os contratos futuros de petróleo operam em baixa nos negócios da manhã, mantendo a tendência da madrugada, num aparente movimento de realização de lucros, após acumularem ganhos desde o início da semana.

Ontem, o petróleo foi impulsionado por dados que mostraram redução bem mais acentuada do que se previa nos estoques dos EUA.

A produção da commodity, porém, continua elevada. Nos EUA, chegou a quase 9,4 milhões de barris por dia (bpd) na última semana, o maior nível em dois anos.

Além disso, relatório divulgado mais cedo pela Agência Internacional de Energia (AIE) mostrou que a oferta global de petróleo cresceu 720 mil bpd em junho, a 97,46 milhões de bpd, impulsionada por avanços na produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e de países que não integram o grupo, caso dos EUA.

Apenas a produção da Opep atingiu o maior nível do ano no mês passado, totalizando 32,6 milhões de bpd, de acordo com a AIE. O resultado, atribuído à Líbia, Nigéria e Arábia Saudita, dificulta os esforços do cartel de limitar a produção.

No fim do ano passado, a Opep e mais dez grandes produtores de fora do grupo, incluindo a Rússia, fecharam um acordo para reduzir a produção em cerca de 1,8 milhão de bpd ao longo do primeiro semestre. Em maio, o acordo foi renovado até março de 2018.

Às 9h22 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para setembro recuava 0,80% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 47,36 por barril, enquanto o WTI para agosto caía 0,75% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 45,15.

Por outro lado, a AIE elevou sua projeção de crescimento da demanda global por petróleo este ano. A entidade prevê agora que a demanda aumentará 1,5% em 2017, a 98 milhões de barris por dia, graças ao maior consumo dos mercados alemão e norte-americano ao longo do segundo trimestre. 

O presidente do Congresso, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), adiou para as 16h dessa quinta-feira a sessão destinada a votar o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o Orçamento de 2018.

A sessão havia sido marcada anteriormente para as 10h, mas a demora da sessão do Senado impediu que a Comissão Mista do Orçamento votasse as emendas do projeto.

Além da LDO, o Congresso também votará o projeto que remaneja R$ 102,4 milhões do Orçamento para a Polícia Federal retomar a emissão de passaportes.

Pela lei, a Câmara e o Senado só poderão entrar em recesso após a aprovação da LDO

O presidente Michel Temer não editará imediatamente a medida provisória (MP) para ajustar alguns temas da reforma trabalhista aprovada na terça-feira no Senado, como prometido pelo líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR). O presidente deve sancionar hoje, 13, sem vetos, a lei que dá mais força às negociações entre patrões e empregados. As alterações pedidas pelos senadores só serão adotadas posteriormente.

Clique para ampliar

O gráfico diário do Ibovespa mostra um movimento forte e convicto na ponta compradora.

A barreira de 64.170 foi rompida e abre espaço para novos vôos no curto prazo.

Podemos perceber três marobuzus seguidos.

Uma correção seria saudável e importante para a continuidade da escalada, mesmo que seja intradiária, uma vez que temos relativa distância em relação à média de 21.

Vale salientar que pela conjuntura atual, correções serão oportunidades de compra caso sejam materializadas.

Vamos ver se corrige no tempo ou no preço, isso se corrigir.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário