terça-feira, 20 de junho de 2017

Política e polícia no radar


Bom dia, investidor!

O petróleo tentou ensaiar uma recuperação na madrugada desta terça-feira, mas voltou a operar com sinal negativo, atingindo novas mínimas neste ano. Investidores seguem céticos sobre os esforços liderados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para cortar a oferta e tentar apoiar os preços, em um cenário de desequilíbrio entre oferta e demanda.

Às 9h25 (de Brasília), o petróleo WTI para agosto, contrato mais líquido, recuava 1,82%, a US$ 43,61 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para agosto caía 1,83%, a US$ 46,05 o barril, na ICE.

Os preços do petróleo mantêm tendência de baixa há quase um mês, desde que a Opep e outros países, como a Rússia, decidiram estender um acordo que reduz em quase 2% a oferta global da commodity. O Brent recua 18,6% nos últimos seis meses.

A Polícia Federal prestou informações ao Supremo Tribunal Federal (STF) e solicitou a ampliação do prazo para concluir a investigação contra o presidente Michel Temer e o ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures.

A data limite para a conclusão da investigação era ontem - prazo mais curto pelo fato de o ex-assessor especial do presidente Temer, Rocha Loures, estar preso. Apesar de os autos terem sido devolvidos ao Supremo, ainda não é possível ter acesso à manifestação da PF no sistema de acompanhamento de processos.

Principal fiador da política econômica do governo, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, foi na manhã de ontem (19) à residência oficial da Câmara dos Deputados para discutir com o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a necessidade de aprovar as reformas. No encontro, Meirelles reforçou a Maia a importância das propostas para garantir um ambiente econômico positivo.

Desde o estouro da crise política, a reforma da Previdência está parada na Câmara dos Deputados, onde precisa ser aprovada em dois turnos pelo plenário. Ainda não há calendário de retomada dos trabalhos, mas o governo continua costurando nos bastidores apoio dos deputados à votação da medida, que é uma das principais bandeiras do governo do presidente Michel Temer e defendida como necessária para o ajuste das contas públicas.

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) julga hoje, 20, os recursos contra a decisão do ministro Edson Fachin de afastar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) do cargo e o pedido de prisão do tucano feito pela Procuradoria-Geral da República. A defesa de Aécio solicitou que o Supremo devolva a ele as funções parlamentares.

O Ministério do Trabalho divulgará nesta terça-feira, 20, os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do mês de maio. Em abril, o indicador registrou a criação de 59,8 mil postos de trabalho após a queda de mais de 63 mil empregos em março. A divulgação será feita pelo próprio ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, a partir das 15h30, no edifício-sede do Ministério em Brasília. 

Clique para ampliar

O gráfico diário do Ibovespa sinaliza um fundo duplo no diário.

Podemos perceber que as médias de 5 e 200 períodos estão justapostas.

O benchmark fechou levemente acima delas.

O caminho mais provável para hoje é uma abertura em leve baixa, seguida por recuperação e consolidação acima de 62.000.

O ponto alto, que confirmaria o W, seria o rompimento de 62.475.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário