quarta-feira, 3 de maio de 2017

FED, metais, Previdência e Lava Jato no radar


Bom dia investidor!

Os preços do cobre têm recuo considerável nesta quarta-feira, com o aumento nos estoques monitorados pela London Metal Exchange (LME) coincidindo com crescentes temores sobre a demanda da China.

O cobre para três meses operava em baixa de 2,29%, a US$ 5.673 a tonelada, na LME, às 9h45 (de Brasília). Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para julho caía 2,50%, a US$ 2,5695 a libra-peso.

Dados divulgados após a abertura das negociações em Londres mostraram que os estoques de cobre nos depósitos globais da LME tiveram crescimento substancial. Esses números revelaram uma alta de 32% nos estoques do metal, segundo o analista Alastair Munro, da Marex Spectron.

O analista Matt France, da Marex Spectron, afirmou que os temores se refletiram nos preços do minério de ferro, que recuaram mais de 2%.

Entre outros metais básicos na LME, o alumínio recuava 0,44%, a US$ 1.923 a tonelada, o chumbo caía 1,87%, a US$ 2.201 a tonelada, o estanho teve baixa de 0,45%, a US$ 19.900 a tonelada, o zinco recuava 1,66%, a US$ 2.606,50 a tonelada, e o níquel caía 2,36%, a US$ 9.320 a tonelada.

As bolsas europeias operam em baixa nesta manhã, enquanto investidores digerem balanços corporativos e as últimas notícias sobre o Brexit, além de aguardarem a decisão de juros do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA).

Não há expectativa de que o Fed ajuste os juros dos EUA na tarde de hoje, mas é possível que o banco central americano sinalize um aumento para a próxima reunião de política monetária, marcada para junho. O anúncio do Fed será às 15h (de Brasília).

A produção industrial caiu 1,8% em março ante fevereiro, na série com ajuste sazonal, divulgou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Em relação a março de 2016, a produção subiu 1,1%. Nessa comparação, sem ajuste, as estimativas variavam de retração de 0,60% a avanço de 3,80%, com mediana positiva de 2,10%.

No ano, a indústria teve alta de 0,6%. No acumulado em 12 meses, a produção da indústria acumulou recuo de 3,8%. 

O ex-ministro da Casa Civil do governo Lula, José Dirceu, será denunciado criminalmente pela Operação Lava Jato por supostos crimes em negócios que transcendem a bilionária máquina de desvios e corrupção instalada na Petrobras, a partir de 2004, que teria garantido aos governos do PT a governabilidade e permanência do poder.

A força-tarefa da Lava Jato - composta por Ministério Público Federal, Polícia Federal e Receita Federal - tem investigações abertas contra Dirceu - que resultarão em acusações formais, em Curitiba e outros Estados -, em negócios nas áreas de energia, como obras de usinas, de transportes, como rodovias, ferrovias e aeroportos, defesa, tecnologia e em outras estatais.

Ontem, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que Dirceu - que está preso pela Lava Jato, em Curitiba, desde 3 de agosto de 2015, responda aos processos fora da cadeia, por entender não haver mais riscos de continuidade de prática de crimes.

No cenário local, as atenções estarão na reforma da Previdência, que pode ser votada nesta quarta-feira na comissão especial da Câmara.

O relator da proposta, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), fará antes uma última rodada de negociações para discutir mudanças de última hora, sendo que o principal ponto a ser resolvido diz respeito aos servidores públicos, que querem a exclusão da exigência de idade mínima de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres, que tenham direito ao benefício integral e à paridade.

Clique para ampliar

O gráfico diário do Ibovespa rompeu três resistências no mesmo pregão: 66.211, 66.554 e 66.600.

Seria natural uma sessão de correção nessa quarta-feira, devolvendo parte da alta, uma vez que nos tempos intradiários o benchmark está longe da média móvel exponencial de 21 períodos.

O caminho mais provável seria um abertura em baixa, seguida por uma reação, para depois cair novamente e fechar em queda moderada.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário