quarta-feira, 31 de maio de 2017

Buy in may?


Bom dia investidor!

O índice dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial da China ficou estável em maio, em 51,2, de acordo com dados divulgados hoje pelo Escritório Nacional de Estatísticas do governo.

O índice permaneceu acima dos 50 pontos, o que significa que está em território de expansão; subindo pelo décimo mês consecutivo.

O subíndice de novas encomendas ficou em 52,3 em maio, o mesmo patamar do mês anterior. O subíndice de produção caiu de 53,8 para 53,4.

O índice dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços da China subiu para 54,5 em maio de 54 em abril, de acordo com dados divulgados hoje pelo Escritório Nacional de Estatísticas do governo.

O subíndice de novas encomendas para todo o setor subiu para 50,9 de 50,5. O PMI de serviços cobre números do varejo, aviação software e construção.

Os preços do petróleo caem com força nesta quarta-feira, em meio a um sentimento de ceticismo em relação à efetividade dos cortes da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e outros grandes produtores, cuja extensão foi anunciada na semana passada.

Na Intercontinental Exchange (ICE), o contrato para agosto do Brent operava em queda de 2,39%, a US$ 50,99 por barril, perto das 9h15 (de Brasília). Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o WTI para julho cedia 2,32%, a US$ 48,43 por barril.

A commodity tem mantido tendência de queda desde a reunião da Opep na semana passada, que manteve os cortes até março de 2018.

Renan Calheiros (PMDB-AL) deixou a reunião do PMDB como líder. Ameaçado de destituição, o peemedebista anunciou que a bancada vai apoiar o presidente Michel Temer e a reforma trabalhista, que está em tramitação no Senado. Entretanto, ele fez questão de esclarecer que a posição não é unânime.

Além disso, como líder, Renan deve se abster de falar pela bancada toda vez que sua posição divergir da maioria. "A bancada do PMDB definiu posição majoritária a favor da reforma trabalhista. Mas maioria não foi unanimidade. A bancada vai se reunir sempre que houver questão conflituosa e, tendo divergência, algum senador pode fazer o encaminhamento representando a posição majoritária", alegou.

Comportamento dos principais papéis em Maio. Clique para ampliar.

O mês de maio termina talvez contrariando uma regra de formação de topo, o famoso "sell in may and go away".

Talvez tenhamos tido o "buy in may", com a formação de um fundo de médio prazo.

As semanas seguintes dirão.

O mercado doméstico continua resiliente, mesmo com drivers negativos.

Isso é um bom sinal para a compra.

Conseguiu se sustentar acima da LTA e média móvel exponencial de 5 períodos.

Parece que temos uma correção lateral, feita no tempo.

Se houver rompimento de 64.170 vai ter correria.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR



terça-feira, 30 de maio de 2017

Política no radar



Bom dia investidor!

As bolsas asiáticas fecharam com tom negativo nesta terça-feira, com a liquidez ainda reduzida em meio a feriados na China, Hong Kong e Taiwan.

Em Tóquio, o índice japonês Nikkei ficou praticamente estável pelo segundo pregão consecutivo, com baixa marginal de 0,02%, a 19.677,85 pontos, mas o fortalecimento do iene ante o dólar durante a madrugada pesou em ações de exportadoras.

Os futuros de petróleo operam em baixa, revertendo leves ganhos da sessão anterior, ainda influenciados pela decisão de grandes produtores, na semana passada, sobre a manutenção de cortes na oferta.

O cobre recua na manhã desta terça-feira, em reação à queda nos preços do petróleo, ainda diante do desapontamento de investidores com o resultado da reunião da semana passada da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). Além disso, declarações vindas da China influem.

O cobre para três meses operava em baixa de 0,79%, a US$ 5.617,00 a tonelada, na London Metal Exchange (LME), às 9h10 (de Brasília). Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para julho recuava 0,58%, a US$ 2,5660 a libra-peso.

Às 9h08 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para agosto, que já é o contrato mais líquido na IntercontinentalExchange (ICE), recuava 0,72% a US$ 52,26 por barril, enquanto o Brent para julho, que vence amanhã, tinha queda de 0,76%, a US$ 51,89 por barril. Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o WTI para julho caía 0,32%, a US$ 49,64 por barril.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é aprovado por apenas 2% da população. É o que diz pesquisa da Ipsos realizada entre os dias 1º e 13 de maio. O líder, um dos favoritos para concorrer à Presidência da República em uma possível eleição indireta, é desaprovado por 50% dos entrevistados. Já 48% afirmam que não conhecem bem o seu trabalho para opinar.
FHC cogitado para eleição indireta. Foto Agência Brasil.
Clique para ampliar.

A popularidade de outros nomes cogitados para disputar a eventual eleição indireta também foi avaliada na pesquisa. A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, é aprovada por 30% da população e desaprovada por 24%. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tem 12% de aprovação e 70% de rejeição.

Dentre os entrevistados, 6% aprovam total ou parcialmente a atuação do atual ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Já 44% desaprovam o seu trabalho. O ministro do STF e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, é aprovado por apenas 3% dos entrevistados e rejeitado por 44% deles.

O levantamento tem o objetivo de monitorar a opinião pública sobre a atuação de políticos e figuras brasileiras populares. O nome melhor avaliado é o do juiz Sérgio Moro. Entre os entrevistados, 69% aprovam totalmente a atuação dele no País.

O nome de Lula (PT) também aparece na avaliação da Ipsos. O ex-presidente recebe 33% de aprovação e 63% de rejeição.

Ainda segundo a pesquisa, a gestão de Michel Temer alcançou, em maio, o maior índice de rejeição, 80%. O estudo também aponta que 93% dos entrevistados acreditam que o Brasil está no rumo errado.

Pouco antes de participar de jantar com empresários, em São Paulo, o presidente Michel Temer se reuniu por cerca de duas horas com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, na noite desta segunda-feira, 29, no Hotel Hyatt. O presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), e o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, também participaram do encontro.

O gráfico diário do Ibovespa apresentou ontem um candle de pequenas proporções e baixo volume, devidos aos feriados no exterior, o que reduziu a liquidez no front doméstico.

A LTA e média móvel exponencial de 5 períodos foram preservadas como suportes.

O caminho mais natural para a sessão dessa terça-feira seria uma abertura em campo negativo, seguida por recuperação intradiária.

Se o benchmark tiver forças para romper a máxima da semana anterior em 64.170, confirmará o momento de domínio comprador e terá a região de 64.700 como alvo imediato.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR



segunda-feira, 29 de maio de 2017

Semana decisiva para o Ibovespa



Bom dia investidor!

O crescimento do lucro do setor industrial da China, incluindo o de fábricas e mineradoras, desacelerou fortemente em abril, ao passo em que os preços de produtos industrializados atenuaram, de acordo com dados do governo divulgados hoje.

O lucro de grandes indústrias chinesas subiu 14,0% em abril ante o mesmo período do ano passado, desacelerando de um aumento anual de 23,8% em março, segundo o Escritório Nacional de Estatísticas.

A moderação dos portões de fábricas e a inflação das matérias-primas foram as principais razões para um crescimento mais lento dos lucros, segundo He Ping, economista do escritório.

O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da China subiu 6,4% em abril ante o mesmo mês de 2016. Em março, o crescimento anual havia sido de 7,6%.

Apesar da forte desaceleração, o crescimento dos lucros em abril ainda foi maior do que os de anos recentes, ainda segundo o governo.

No período de janeiro a abril, os lucros industriais avançaram 24,4% ante o mesmo período do ano passado, após crescer 28,3% no período de janeiro a março.

O lucro das estatais subiu 58,7% nos primeiros quatro meses do ano ante o mesmo período do ano passado, enquanto o lucro das empresas privadas subiram 14,3%.

O Ministério Público Federal (MPF) fez uma nova proposta para fechar o acordo de leniência com o grupo J&F, que controla a JBS, mas não quer abrir mão da cifra de R$ 11 bilhões. Houve um desconto na multa, mas muito pequeno, de cerca de R$ 170 milhões. A concessão que foi feita pelos procuradores diz respeito ao prazo de pagamento. Antes, a dívida deveria ser paga em 10 anos e agora poderá ser quitada em 13 anos. Ficou determinado ainda que o acordo será fechado exclusivamente com a holding J&F, que será responsável pelos pagamentos, eximindo as demais empresas do grupo do compromisso.

O presidente Michel Temer aproveitou o sábado, 27, para discutir a crise política com ministros do PSDB e com o ex-presidente da República, José Sarney, no Palácio do Jaburu, residência oficial. Temer também se encontrou, no fim do dia, com o ministro da secretaria-geral da Presidência da República, o peemedebista Moreira Franco.

O acordo sobre as regras do Programa de Regularização Tributária (PRT), anunciado hoje mais cedo pelo relator da matéria, deputado Newton Cardoso Jr. (PMDB-MG), foi fechado numa reunião na noite de sexta-feira com o presidente Michel Temer. Depois de uma rodada de negociações no Ministério da Fazenda que terminou sem acordo, o parlamentar foi ao Planalto para uma reunião com Temer, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e um grupo de assessores. A atuação do presidente foi decisiva para que o acordo fosse fechado. O deputado ressaltou também o apoio de Meirelles. "O acordo não foi o melhor nem o pior", disse o deputado. "Foi o possível."

Os economistas do mercado financeiro alteraram, para pior, suas projeções para a atividade em 2017 e 2018. Pelo Relatório de Mercado Focus, divulgado hoje, a mediana para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano passou de 0,50% para 0,49%. Há um mês, a perspectiva era de avanço de 0,46%.

Para 2018, o mercado também mudou a previsão de alta do PIB, de 2,50% para 2,48%. Quatro semanas atrás, a expectativa estava em 2,50%.

Na ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada em abril, os diretores do Banco Central afirmaram que os indicadores permanecem compatíveis com a estabilização da atividade econômica ao longo de 2017. Nas últimas semanas, no entanto, as notícias sobre a delação da JBS, que atingem o governo Michel Temer, elevaram o risco. Na visão de alguns analistas, a crise política pode prejudicar a recuperação da atividade.

No relatório Focus de hoje, as projeções para a produção industrial ficaram estáveis. O avanço projetado para 2017 seguiu em 1,30%. Há um mês, estava em 1,47%. No caso de 2018, a estimativa de crescimento da produção industrial permaneceu em 2,50%, mesmo porcentual de quatro semanas antes.

Já a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2017 permaneceu em 51,50% no Focus. Há um mês, estava em 51,40%. Para 2018, as expectativas no boletim Focus seguiram em 55,20%, ante 55,00% de um mês atrás.

O Ibovespa fechou a semana na máxima, adentrando a região da LTA. (clique para ampliar)

Hoje deve abrir em leve baixa, testando essa linha rompida como suporte, típico movimento de pull-back.

A briga entre ursos e touros será limitada pelos feriados em Londres e Nova York, mas será um sinal de como vamos operar essa semana.

O caminho mais provável, como vem embalado por uma sequência de ganhos, seria uma reação intradiária logo após a abertura, trabalhando a maior parte do pregão em campo positivo, ou seja, leve alta.

IBOVESPA longo prazo: clique para ampliar


Bons negócios!




Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Ibovespa em ponto decisivo


Bom dia investidor!

Bolsa de Tóquio fechou em baixa nesta sexta-feira, depois de acumular ganhos moderados nos dois pregões anteriores, à medida que uma forte queda nos preços do petróleo pesou em ações de empresas japonesas do setor e o iene se fortaleceu em relação ao dólar durante a madrugada, pressionando papéis de exportadoras.

O Nikkei caiu 0,64% e terminou a sessão a 19.686,84 pontos, afastando-se ainda mais da marca psicológica dos 20 mil pontos que foi atingida pela última vez em dezembro de 2015. Ao longo da semana, porém, o índice japonês teve valorização de 0,68%.

O Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) vai ampliar o controle sobre a moeda do país ao mudar a forma como estabelece a taxa de paridade do yuan em relação ao dólar, em sua última tentativa de evitar grandes oscilações cambiais em meio ao aumento de preocupações com a economia doméstica.

O PBoC pretende adicionar um "fator contracíclico" ao modelo que utiliza para definir a taxa de paridade diária, segundo comunicado do China Foreign Exchange Trade System, braço de negócios cambiais do BC chinês.

Os futuros de cobre operam em baixa nesta manhã, devolvendo ganhos da sessão anterior, quando chegaram a atingir os maiores níveis em três semanas.

Por volta das 9h10 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) recuava 0,3%, a US$ 5.710,00 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para julho tinha baixa de 0,64%, a US$ 2,5810 por libra-peso.

Ontem, o cobre foi impulsionado por relatos de crescentes tensões entre trabalhadores da mina indonésia de Grasberg, que é operada pela Freeport-McMoRan é uma das maiores do mundo.

Outros metais básicos na LME não mostravam direção única: o alumínio subia 0,2% no horário citado acima, a US$ 1.963,00 por tonelada, em meio a expectativas de cortes na produção da China, enquanto o zinco também ganhava 0,2%, a US$ 2.640,00 por tonelada, o chumbo avançava 0,6%, a US$ 2.106,00 por tonelada, o estanho caía 0,2%, a US$ 20.405,00 por tonelada, a o níquel diminuía 0,1%, a US$ 9.035,00 por tonelada.

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) já admite a possibilidade de eleição indireta para a eventual saída do presidente Michel Temer. Segundo ela, o partido vai lutar até a última hora por eleições diretas, mas já tem "convicção" de como agir caso o sucessor de Temer seja escolhido pelo Congresso Nacional. Embora ainda não tenha nenhum nome definido, Vanessa garante que o candidato apoiado pelo PCdoB teria que se comprometer ao "não avanço das reformas" previdenciária e trabalhista.

O núcleo político do governo avalia que o quebra-quebra na Esplanada dos Ministérios provocado por vândalos que participaram de protesto convocado pelas centrais sindicais “vai ajudar muito” na votação da reforma trabalhista. É sabido que o pano de fundo é o descontentamento com o fim do imposto sindical previsto na reforma. Até mesmo congressistas críticos a Temer, mas que não gostaram do que viram na quarta-feira, falam em dar o troco. Já quanto à reforma da Previdência, o governo não tem garantias de que será aprovada.


Displaying
Clique para ampliar

O Ibovespa novamente buscou uma região decisiva  na sessão de ontem.

Apoiado em 62.830, beliscou a LTA e cedeu, fechando colado na média móvel exponencial de 5 períodos.

Para a sessão dessa sexta-feira o caminho mais natural seria um abertura em leve baixa, seguida por recuperação moderada.

As movimentações do petróleo e bolsas norte-americanas deverão ter impacto relevante ao longo do dia, especialmente agora que o cenário interno está mais calmo.

Petróleo cede 1,21% nesse momento na Nymex e cai 1,18% na ICE, enquanto os futuros nos EUA desvalorizam cerca de 0,20%.

A magnitude da alta esperada para hoje no Brasil poderá ser proporcional a uma recuperação no exterior.


Bons negócios!




Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR


quinta-feira, 25 de maio de 2017

Brasília em chamas


Bom dia investidor!

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) votou hoje pela renovação do atual acordo que estipula cortes na produção da commodity por um período de nove meses, até março de 2018, durante reunião em Viena.

Originalmente, o acordo da Opep e um pacto similar da Rússia e de outros países venceriam no fim de junho.

Neste primeiro semestre, a Opep e produtores que não pertencem ao cartel vêm reduzindo sua produção em torno de 1,8 milhão de barris por dia, numa tentativa de sustentar os preços do petróleo.

Os preços do cobre e de outros metais industriais operam em leve baixa na manhã desta quinta-feira, devido a um movimento mais limitado de negociação no mercado de metais, previsto por analistas.

Perto das 9h (de Brasília) o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME), recuava 0,39%, a US$ 5.681.50 por tonelada. Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para julho recuava 0,21%, a 2,5785 por libra-peso.

Ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ouvidos reservadamente, consideram que a governabilidade do presidente Michel Temer, alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF), será levada em conta no julgamento da chapa Dilma Rousseff-Temer, marcado para dia 6 de junho. Para eles, o quadro político e econômico do País dará até lá um cenário sobre o futuro do governo.

A Procuradoria da República no Distrito Federal negou mais uma proposta do Grupo J&F para fechar o acordo de leniência. Na tarde desta quarta-feira, 24, em uma reunião com os procuradores, o empresário Wesley Batista e advogados da empresa propuseram uma multa R$ 4 bilhões.

Os procuradores da força-tarefa que investiga o grupo J&F, holding da JBS, pedem R$ 11,1 bilhões para o fechamento do acordo. A leniência é a delação premiada da pessoa jurídica. Como os proprietários do grupo e executivos já assinaram a delação, agora a empresa precisa da leniência para evitar punições pelos crimes praticados na obtenção de financiamentos e aportes de bancos públicos e fundos de pensão.

Clique para ampliar

Ontem o Ibovespa fez o movimento esperado, marcando mínimas e máximas mais altas que o pregão anterior.

Buscou a região da LTA e da média móvel exponencial de 5 períodos e obviamente recuou na primeira batida.

Fechou acima de 62.830 e isso é importante, sendo essa região suporte imediato no momento, pela inversão de polaridade.

O caminho natural para essa sessão seria alta desde a abertura dos negócios, com rompimento da máxima de ontem em 64.015 e fechamento acima da média móvel exponencial de 5 períodos e também em patamares superiores à LTA.

Bons negócios!



Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

quarta-feira, 24 de maio de 2017

China e política em pauta


Bom dia investidor!

O índice de confiança do consumidor da Alemanha subiu para 10,4 na pesquisa de junho do instituto GfK, de 10,2 na leitura de maio.

O GfK atribui a esperada melhora do índice a expectativas de crescimento robusto da economia alemã.

O instituto de pesquisa alemão utiliza dados do mês atual para estimar a confiança do mês seguinte.

Os contratos futuros de petróleo operam com volatilidade na manhã desta quarta-feira, com os investidores atentos à reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que ocorre amanhã, em Viena.

Por volta das 9h30, o petróleo WTI para julho recuava 0,10%, a US$ 51,42 por barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex). Já o petróleo tipo Brent para o mesmo mês subia 0,04%, a US$ 54,17 por barril, na Intercontinental Exchange (ICE).

Os preços do petróleo vêm oscilando entre perdas e ganhos desde março, dividido entre preocupações sobre os estoques e um maior otimismo em relação à demanda global. A reunião da Opep desta quinta-feira está no centro das atenções dos investidores, com a possibilidade de uma extensão no acordo do cartel de cortar a produção de petróleo para equilibrar a demanda global.

A Moody's rebaixou o rating da China de Aa3 para A1, além de mudar a perspectiva da nota de negativa para estável. A agência afirma que o rebaixamento reflete a expectativa de que a força financeira do país irá erodir gradualmente ao longo dos próximos anos, com a dívida na economia como um todo continuando a crescer, enquanto o crescimento potencial desacelera.

Em reação às incertezas políticas provocadas pelas denúncias contra o presidente Michel Temer, a equipe econômica traçou uma ofensiva para tirar o ‘carimbo’ da crise da reforma da Previdência e das demais medidas econômicas. A avaliação é que há ainda uma base política relevante para dar continuidade à agenda, mesmo que isso signifique atrasar um pouco mais a votação, como já indicou o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

A estratégia é manter as negociações para a aprovação das reformas da Previdência e trabalhista, mesmo sem uma definição de qual será o destino de Temer.

O agravamento da crise política fez PSDB e o DEM intensificarem as articulações de bastidores na tentativa de barrar a possibilidade de eleição direta para substituir o presidente Michel Temer.

Em conversas reservadas, dirigentes das duas siglas avaliam que, caso a coalizão de apoio a Temer não apresente uma alternativa de poder, o movimento por “diretas já” pode ganhar força, com “risco” de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltar ao Palácio do Planalto.

Nesta terça-feira, a base aliada conseguiu adiar a votação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara do relatório favorável à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) das eleições diretas para o caso de vacância da Presidência. O projeto, mais tarde, foi retirado da pauta.

O Ibovespa fez, na sessão de ontem, o movimento mais natural e esperado, ou seja, buscou primeiramente 62.500 e depois a região de 62.830, que deve ser rompida hoje logo na abertura. Clique no gráfico para ampliar.

Pela inversão de polaridade na análise técnica, será suporte imediato e deverá sustentar os preços.

Aqui o gráfico diário. Clique para ampliar.

O movimento mais provável para hoje será o teste da tríplice resistência formada pela média móvel exponencial de 5 períodos, LTA pontilhada em azul e máxima do repique em 63.490.

No 60 minutos podemos perceber a importância de 62.830, que deverá ser rompido nos primeiros negócios, sendo esse ponto relevante fundo de abril.

A divisor de águas é de fato 63.490, o qual será capaz de revelar se temos um repique ou reversão.

Bons negócios!



Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

terça-feira, 23 de maio de 2017

Ibovespa mostra figura interessante


Bom dia investidor!

Os contratos futuros de petróleo operam em baixa na manhã desta terça-feira, com o plano dos Estados Unidos de vender metade de suas reservas estratégicas de petróleo, o que compensou o otimismo dos investidores em relação à próxima reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que definirá se haverá uma extensão nos cortes na produção dos membros do cartel. Além disso, um movimento de realização de lucros também afeta os preços da commodity.

Às 9h15 (de Brasília), o petróleo WTI para julho caía 0,55%, a US$ 50,85 por barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex). Já o petróleo Brent para o mesmo mês recuava 0,54%, a US$ 53,58 por barril.

Os preços do petróleo subiram cerca de 9% nas duas últimas semanas, com os investidores apostando que a Opep e outros grandes produtores irão estender seus cortes na produção, previstos para expirar em junho. No entanto, a proposta de orçamento do presidente dos EUA, Donald Trump, ajudou a bloquear o rali, após a inclusão de um plano para vender metade das reservas de petróleo dos EUA no período de dez anos.

Os futuros de cobre operam em baixa, após relatório do Grupo Internacional de Estudo do Cobre (ICSG, pela sigla em inglês) mostrar que houve superávit do metal básico no primeiro bimestre do ano.

Por volta das 7h50 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) recuava 0,7%, a US$ 5.680,00 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para julho tinha baixa de 0,42%, a US$ 2,5845 por libra-peso, às 9h23 (de Brasília).

Apesar do superávit inicial do cobre, as projeções de analistas para o ano ainda são de um déficit de 147 mil toneladas.

Outros metais básicos na LME estavam sem direção única: o alumínio caía 0,23% no horário citado acima, a US$ 1.934,00 por tonelada, e o níquel diminuía 0,69%, a US$ 9.335,00 por tonelada, mas o zinco subia 0,30%, a US$ 2.655,00 por tonelada, o chumbo avançava 0,17%, a US$ 2.103,00 por tonelada, e o estanho ganhava 0,49%, a US$ 20.565,00 por tonelada.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi denunciado nesta segunda-feira pela sexta vez - a terceira na Operação Lava Jato. O Ministério Público Federal (MPF), em Curitiba, acusou o petista dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no inquérito que apura recebimento de propina da Odebrecht e OAS em troca de benfeitorias no Sítio Santa Bárbara, em Atibaia, interior de São Paulo.

Lula já é réu em cinco ações penais - duas delas na Lava Jato. Ontem, a força-tarefa acusou também o ex-presidente de estruturar, orientar e comandar esquema ilícito de pagamento de propina em benefício de partidos, políticos e funcionários públicos na Petrobras. A defesa do petista afirmou que a denúncia contém “acusações frívolas e com objetivo de perseguição política”.

A decisão de Temer de recuar no pedido de suspensão de seu inquérito no STF, após Cármen Lúcia adiar o julgamento da ação até receber a perícia da PF sobre a gravação de Joesley é um sinal de que a crise deverá se estender, pelo menos, até 6 de junho, quando o TSE julga a cassação da chapa DILMA-TEMER.

Aliados tentam segurar a onda, tocando a pauta no Congresso.

A agência de classificação de risco Standard & Poor's colocou na noite de ontem o rating BB do Brasil em revisão para possível rebaixamento. A agência cita a recente crise envolvendo o presidente Michel Temer e aponta as incertezas políticas caso ele saia e a fragilidade de sua base no Congresso caso ele permaneça. Enquanto isso, o presidente centra sua defesa na desqualificação da gravação de sua conversa com Joesley Batista.


O gráfico diário do Ibovespa mostra que ontem tivemos novo teste da região de 61.300, sendo que a mesma foi respeitada.

Isso significa que as expectativas para a semana são positivas,

Hoje devemos ter uma levemente negativa, com virada logo após os primeiros negócios e assim seguirmos durante toda a sessão.

Temos resistência imediata em 62.500 e depois 62.830, as quais devem ser rompidas entre hoje e amanhã.

A prova de fogo será adentrar no território demarcado pela LTA, ponto que marcou máxima do repique no pregão de sexta-feira.

Um desenho ainda mais interessante aparece no intraday, gráfico de 60 minutos.

Trata-se de um W, com a perna direita mais alta que a anterior, o que confere força ao padrão.

A figura é amparada por uma LTA.

Se houver rompimento de 61.800 teremos um pivot de alta capaz de jogar o benchmark no eixo do W, em 63.490 ao longo dos próximos dias.

Se o eixo for testado de fato e rompido, daí o mercado vira, mirando 68.790, uma vez que não tem resistência entre o eixo do W e o alvo.


A expectativa é altamente positiva, mas precisa materializar os primeiros passos.


Bons negócios!



Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Política no radar

Bom dia investidor!

Os futuros de petróleo operam em alta nesta manhã, ampliando ganhos de mais de 2% da sessão anterior, em meio à expectativa de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) irá estender os atuais cortes na produção para além deste primeiro semestre em reunião marcada para quinta-feira (25).

Na semana passada, a Arábia Saudita, líder informal da Opep, e a Rússia, maior produtor fora do grupo, defenderam que os cortes sejam prorrogados por nove meses, até março do ano que vem.

Às 9h18 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para julho subia 0,75% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 54,01 por barril, enquanto o WTI para o mesmo mês avançava 0,77% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 51,06 por barril. Já o WTI para junho, que vence no fim da sessão de hoje, tinha alta de 0,74%, a US$ 50,70 por barril. Tanto o Brent quanto o WTI estavam nos maiores níveis em mais de um mês.

Os futuros de cobre operam perto da estabilidade, depois de garantirem fortes ganhos no fim da semana passada.

Por volta das 9h20 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) estava cotado a US$ 5.690,00 por tonelada. Na sexta-feira, o metal subiu cerca de 2% no mercado inglês, em meio à fraqueza do dólar e o avanço do petróleo.

Nos negócios da manhã, o petróleo mantém o tom positivo recente, ajudando a sustentar o cobre. De modo geral, "o sentimento em torno do metal está melhorando", avaliou Nitesh Shah, estrategista de commodities da ETF Securities.

Clique para ampliar

No "open house" do Alvorada oferecido pelo presidente Michel Temer aos ministros e parlamentares da base aliada, Temer reiterou, de forma enérgica, que "vai ficar até o fim" e que "não vai ceder às pressões". Em sua fala, ele voltou a reconhecer que cometeu um equívoco sem os devidos rituais de segurança ao receber o empresário Joesley Batista.

"Mas este é o meu estilo", lembrou Temer, acrescentando que precisa mudar. Temer disse ser comum receber muitos dos parlamentares, depois das 22h. "Meu regime de trabalho é meia noite, uma hora, vocês sabem que eu recebo, e falo com todo mundo", observou.

O perito extrajudicial e judicial Marcelo Carneiro de Souza afirmou ontem ao Estado ter identificado “fragmentações” em 14 momentos na gravação, isto é, pequenos cortes de edição no áudio da conversa entre o presidente Michel Temer e o empresário Joesley Batista, dono da JBS.

O especialista, que disse ter feito um exame preliminar, não encontrou cortes entre o sexto e o 12º minutos, o intervalo de tempo em que se falou sobre o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB).

Os economistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para a Selic no fim de 2017 e de 2018. O Relatório de Mercado Focus trouxe hoje que a mediana das previsões para a Selic este ano seguiu em 8,50% ao ano. Há um mês, estava no mesmo patamar.

O relatório indicou ainda que a mediana das projeções dos economistas para a Selic no fim de 2018 permaneceu em 8,50% ao ano, mesmo valor para 2017 e igual ao projetado há um mês.

O Copom anunciou mês passado corte de 1 ponto porcentual da Selic, para 11,25% ao ano, como esperado pelo mercado. No início da semana passada, uma parcela do mercado financeiro passou a projetar corte maior, de 1,25 ponto porcentual, no encontro do fim de maio. Esta migração das apostas, no entanto, foi prejudicada pelo aumento do risco político, após as notícias sobre a delação de executivos da JBS.

A máxima de sexta-feira do Ibovespa tocou a LTA que guiou o mercado nos últimos meses.

O caminho mais natural para essa segunda-feira é algo parecido ao início da semana pós operação Carne Fraca, com abertura em terreno negativo, seguida por recuperação ao longo do dia, especialmente após a abertura do mercado norte-americano.

Bons negócios!




Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders


contato@TopTraders.Com.BR

sexta-feira, 19 de maio de 2017

O pregão depois do caos

Bom dia investidor!

Ontem tivemos um pregão marcado por problemas dos mais variados.

O áudio de Michel Temer foi apenas um deles.

Analistas despreparados, profissionais de back-office maldosos e desequilibrados, plataformas de gráficos, notícias e home brokers fora do ar.

Pela primeira vez, em 15 anos, perdi meu encanto pelo mercado financeiro.

O cisne negro visto ontem, na minha humilde opinião, jamais ocorrerá de novo, pois foi materializado por uma estúpida conjuntura de fatores que arrasou o capital de muitos investidores.

Ver Cemig abrir caindo quase 50% não é normal, assim como Banco do Brasil caindo 25%.

Clique para ampliar

Lamento não ter um caixa expressivo na ocasião, senão sairia comprando tudo que visse pela frente.

Fui bem claro no informe de ontem, que era o pregão da oportunidade.

Porém oportunidade para quem a corretora não bloqueou, para quem o profissional do risco que está do outro lado para lhe ajudar não zerou na mínima, para quem conseguiu fazer login no home broker.

Escrevo essa mensagem em solidariedade aos que passaram por esses mau-bocados.

Quem está fora do jogo, reúna forças, trabalhe e volte quando estiver pronto.

Para os que estão vivos, seguimos em frente.

Parabéns à JBS, que causou o estrago, comprou dólares na véspera e terá seus sócios preservados de todos os males.


quinta-feira, 18 de maio de 2017

Mercado abre a oportunidade do ano

Bom dia investidor!

Hoje o cenário ficará restrito e direto, produzido após a liquidez e lucidez voltarem ao mercado.

Quem poderia imaginar que qualquer driver seria capaz de gerar uma aversão ao risco tão forte, com ausência de compradores no livro de ofertas no índice futuro por quase 90 minutos.

O mercado futuro de Índice Bovespa opera a cerca de 4.000 pontos acima da mínima do dia.

Se fechar firme e longe da mínima seria um sinal de fundo, com violação falsa do forte suporte 59.715.

Mercado à vista mostra um candle inédito, que segurou em 61.300 e reagiu.

O volume chama muito a atenção.

Os estrangeiros ainda não aportaram com a força que podem fazê-lo.

Talvez em um momento com esse, onde o pessimismo está no auge, gera entrada de fora (estrangeiros), especialmente com o dólar esticado.

Quando o sangue escorre pelas ruas, é a hora de comprar.

Claro que o risco está no ar, porém a assimetria e risco retorno estão favoráveis.

Bons negócios!




Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Política norte-americana no radar


Bom dia investidor!

Os contratos futuros de petróleo operam em alta nesta quarta-feira, beneficiados pela perspectiva de queda dos estoques norte-americanos e pelo dólar mais fraco.

Às 9h20 (de Brasília), o Brent para julho negociado na Intercontinental Exchange (ICE) exibia ganho de 0,48%, a US$ 51,90 o barril. Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o WTI avançava 0,25%, a US$ 48,79 por barril.

Hoje, o Departamento de Energia (DoE) divulga o relatório semanal sobre os estoques e a produção norte-americana, que vem preocupando investidores por causa da velocidade com que se recupera. Para muitos, a produção do xisto norte-americano coloca em risco o reequilíbrio projetado pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) no acordo de cortes de produção.

Os contratos futuros de cobre operam em leve queda nesta quarta-feira, com investidores aguardando um importante dado do setor imobiliário na China.

Por volta das 9h30 (de Brasília), o contrato para três meses operava em queda de 0,54%, a US$ 5.590 por tonelada, na London Metal Exchange (LME). Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para julho cedia 0,29%, a US$ 2,5430 a libra-peso.

Após a mais recente leva de indicadores apontar para uma desaceleração da China, maior importador mundial do metal vermelho, investidores demonstram cautela antes da divulgação do índice de preços de moradia de abril no país.

Os demais metais operam majoritariamente em alta na LME. O alumínio caía 0,36%, a US$ 1.922 a tonelada; o chumbo avançava 0,48%, a US$ 2.100 a tonelada; o estanho ganhava 0,205, a US$ 19.945 a tonelada; o zinco tinha alta de 0,29%, a US$ 2.562 a tonelada; e o níquel exibia ganho de 0,82%, a US$ 9.240 a tonelada.

Otimista com as chances da reforma da Previdência, o mercado já projeta um câmbio mais valorizado. Mas essa é uma pauta para depois. Hoje, toda a preocupação está centrada nos EUA, onde uma nova acusação a Trump tende a agravar a crise em Washington. Depois de compartilhar informações com os russos, o presidente terá que explicar um suposto pedido ao FBI para encerrar a investigação de um ex-conselheiro da Casa Branca.

O Ibovespa vem de uma forte sequência de alta. (clique para ampliar)

Correções no meio do caminho são naturais, especialmente as intradiárias.

Hoje o caminho poderá ser parecido com o pregão da véspera: abertura em terrenos negativo com recuperação ao longo do dia.



Entretanto, se o fechamento for em baixa, teremos sinal de topo no diário e correção à vista.

Bons negócios!



Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders


contato@TopTraders.Com.BR

terça-feira, 16 de maio de 2017

Ibovespa rumo aos 70.000?

Bom dia investidor!


O índice de expectativas econômicas da Alemanha subiu para 20,6 em maio, de 19,5 em abril, segundo dados publicados hoje pelo instituto alemão ZEW.

Já o chamado índice para as condições atuais medido pelo ZEW aumentou para 83,9 em maio, de 80,1 em abril, superando a projeção do mercado, de 82.

Os preços futuros do petróleo operam em leve alta nesta terça-feira, beneficiados pela confiança de que membros e não membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) irão estender os cortes em vigor até o final de março do ano que vem.

Na Intercontinental Exchange (ICE), o contrato do Brent para julho subia 0,44%, a US$ 52,05 por barril, perto das 8h08 (de Brasília). Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o WTI para junho avançava 0,49%, a US$ 49,09 por barril.

Ontem, os contratos tiveram valorização robusta após a notícia de que a Arábia Saudita e a Rússia propuseram um pacto para que os cortes da Opep e de não membros fossem estendidos até o final de março de 2018, em uma nova tentativa de reequilibrar o mercado.

Os contratos futuros de cobre operam em queda nesta terça-feira, revertendo um rali de curta duração após dados mais fracos da China.

Por volta das 8h48 (de Brasília), o contrato de cobre para três meses operava em queda de 0,31%, a US$ 5.588,50 por tonelada na London Metal Exchange (LME). Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para julho recuava 0,30%, a US$ 2,5315 por libra-peso.

Após ter devolvido toda a valorização de 2017 nas últimas semanas, o cobre passou os últimos dias se recuperando em meio a uma melhora do sentimento dos investidores em relação à China.

Os demais metais operaram majoritariamente em queda na LME. O alumínio subia 0,05%, a US$ 1.909 a tonelada; o chumbo caía 1,4%, a US$ 2.102 a tonelada; o estanho recuava 0,03%, a US$ 19.855 a tonelada; o zinco cedia 1,56%, a US$ 2.533 a tonelada; e níquel apresentava baixa de 0,11%, a US$ 9.155 a tonelada. 

Os mercados domésticos abrem nesta terça-feira atentos ao presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, à espera de mais sinais que reforcem as apostas de que a Selic cairá 1,25 ponto porcentual na reunião do Copom daqui a duas semanas (dias 30 e 31), para 10% ao ano.

A Polícia Federal indiciou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por suposto envolvimento na venda da Medida Provisória 471, em um desdobramento da Operação Zelotes.

Além de Lula, a PF indiciou outras 12 pessoas, entre elas o empresário Carlos Alberto de Oliveira Andrade, da CAOA, e o ex-presidente da Mitsubishi, Paulo Ferraz, o ex-ministro Gilberto Carvalho e lobistas.

O grupo de lobistas alvos do inquérito já foi condenado em outro processo, mas Lula continuou sendo investigado nesse inquérito que teve desfecho agora com o indiciamento. Caso o Ministério Público Federal acate a sugestão da PF, Lula poderá se tornar réu no segundo processo sobre venda de MPs - o ex-presidente já é réu por suposta participação da compra da MP 627/2013.

O gráfico diário do Ibovespa aponta para 69.490.

Existe um consenso no mercado que o alvo seria 70.000, porém tecnicamente o mercado não mira esse alvo, uma vez que temos topo em 69.490 e quando chegar lá, caso isso ocorra de fato, já estará longe das médias.

Em todo caso a tendência é de alta e o caminho mais natural para a sessão dessa terça-feira é de mais um pregão positivo, de forma moderada, marcando o fim da temporada de balanços.

(clique para ampliar)

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Semana agitada pela frente

Bom dia investidor!


A Coreia do Sul, o Japão e os Estados Unidos condenaram o novo teste de mísseis realizado pela Coreia do Norte ontem.

Pyongyang lançou o míssil balístico que voou por meia hora e atingiu uma altitude inusualmente alta, antes de pousar no Mar do Japão, segundo militares sul-coreanos, japoneses e americanos. O lançamento, que segundo Tóquio pode ter sido de um novo tipo de míssil, é um desafio direto ao novo presidente da Coreia do Sul e ocorre no momento em que embarcações dos EUA, do Japão e de países europeus se reúnem para exercícios militares no Oceano Pacífico.

Os futuros de petróleo operam em forte alta nesta manhã, mantendo o tom visto durante a madrugada, em reação a uma proposta da Arábia Saudita e da Rússia de estender os atuais cortes na produção da commodity por nove meses.

Em comunicado conjunto, os ministro de Energia da Arábia Saudita, Khalid al-Falih, e da Rússia, Alexander Novak, defenderam hoje que os pactos da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e de outros produtores liderados pela Rússia sejam prorrogados até março de 2018.

Às 9h23 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para julho subia 2,93% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 52,33 por barril, enquanto o WTI para junho avançava 3,05% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 49,30 por barril.

Os futuros de cobre operam em alta na manhã desta segunda-feira, em meio à melhora do sentimento em relação à China, apesar de indicadores recentes que decepcionaram analistas.

Por volta das 9h25 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) avançava 0,59%, a US$ 5.602,00 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para julho tinha alta de 0,71%, a US$ 2,5420 por libra-peso, às 7h30 (de Brasília).

Os últimos números da China mostraram que a produção industrial e as vendas no varejo da segunda maior economia do mundo cresceram em ritmo mais fraco em abril. Os dados chineses, no entanto, foram ignorados pelos mercados de metais, segundo analistas da corretora Marex Spectron.

"Um pouco do cinismo em relação à China está chegando ao fim", explicou Nitesh Shah, estrategista de commodities da ETF Securities.

Shah citou recentes injeções líquidas de capital na China, que ajudaram a diminuir um pouco as pressões monetárias, assim como um acordo comercial anunciado na sexta-feira entre os governos chinês e dos EUA. Segundo Shah, o acordo ajudou a impulsionar o complexo de commodities de modo geral.

A China é o maior consumidor mundial de metais básicos.

Entre outros metais na LME, os ganhos eram generalizados: o alumínio subia 0,90% no horário citado acima, a US$ 1.902,00 por tonelada, enquanto o chumbo avançava 0,82%, a US$ 2.141,50 por tonelada, o estanho aumentava 0,28%, a US$ 19.880,00 por tonelada, o zinco ganhava 0,86%, a US$ 2.573,00 por tonelada, e o níquel tinha valorização de 0,53%, a US$ 9.080,00 por tonelada. 

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, afirmou que os juros reais estão em queda no Brasil e na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), os dirigentes consideraram o atual ritmo de corte adequado. Entretanto, avaliaram que "a conjuntura recomendava monitorar a evolução dos determinantes do grau de antecipação do ciclo", disse ele.

Ilan explicou que o grau de antecipação do ciclo desejado depende, por um lado, da evolução da conjuntura econômica e, por outro, das incertezas e dos fatores de risco que ainda pairam sobre a economia.

O gráfico diário do Ibovespa inicia a semana apontando para 69.490 como alvo, sendo esse ponto a máxima atingida em 2017.

A região deverá ser testada nos próximos dias e terá um forte desafio, mesmo porque já estaria distante das médias quando a região fosse testada, caso esse cenário de maior probabilidade seja concretizado.

(clique para ampliar)


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Lula x Moro

Bom dia investidor!

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta quinta-feira, reagindo ao rali do petróleo nos mercados internacionais, mas as ações chinesas continuaram pressionadas.

As cotações do petróleo saltaram mais de 3% ontem e mantiveram a tendência positiva na madrugada de hoje, graças a uma queda bem mais forte do que se previa nos estoques dos EUA na semana passada.

No Japão, o índice Nikkei subiu 0,31% em Tóquio, a 19.961,55 pontos.

Os preços do cobre subiram durante a madrugada e começaram o dia em alta robusta, beneficiados por uma redução dos estoques monitorados pela London Metal Exchange (LME).

Perto das 9h13 (horário de Brasília), o contrato para três meses do metal avermelhado subia 1,69%, a US$ 5.603 a tonelada, na LME. Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para julho subia 1,82%, a US$ 2,5400 a libra-peso.

Os movimentos aconteceram após a bolsa londrina anunciar números menores nos estoques graças a um grande volume de pedidos cancelados, o que tirou os estoques dos níveis mais altos desde outubro de 2016, segundo o ING

Após mais de um mês de votação, a Câmara dos Deputados concluiu nesta quarta-feira (10) a análise do projeto que cria um Regime de Recuperação Fiscal (RRF) para Estados em calamidade financeira.

O texto-base da proposta tinha sido aprovado em 18 de abril, mas ainda faltava votação de destaques com sugestões de mudanças nesse texto, o que só foi concluído ontem. O projeto já tinha passado pelo Senado, mas como foi alterado pelos deputados, voltou para nova análise dos senadores.

Frente a frente pela primeira vez, o juiz Sérgio Moro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tiveram ontem um encontro marcado por momentos de tensão.

Logo ao abrir a audiência, Moro tentou dirimir o nervosismo ao dizer que não tem desavenças com o petista e que não haveria a hipótese de ele sair dali preso. O petista chegou a se exaltar com a insistência de Moro em alguns temas, enquanto o magistrado foi alvo de manifestações de advogados para que não fizesse perguntas que fugissem do escopo da ação penal.

Uma delas foi em relação à declaração de Lula de que mandaria prender investigadores e membros da imprensa, feita em evento do PT na semana passada.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse há pouco que a expectativa do governo é que, cada vez mais, os parlamentares apoiem a Reforma da Previdência no Congresso.

"Evidentemente, se alguém chegar e falar que está te tirando um direito, ninguém vai querer. Agora, se disser que você irá se aposentar mais tarde com a certeza de que a aposentadoria será paga, você vai preferir isso. Só daqui a 20 anos a idade mínima chega a 65 anos", respondeu, em participação no programa Agora Brasil, na sede da Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

Segundo o ministro, a Reforma começa a fazer efeito no dia em que for aprovada e a estimativa de economia fiscal nos primeiros dez anos é de R$ 600 bilhões. "Um país quebrado não vai resolver o problema de ninguém, muito pelo contrário", avaliou.

Ele confirmou que os Estados terão certa autonomia para organizar a previdência de seus servidores. "Já os servidores públicos do governo federal estão nas regras gerais da Reforma. Esses trabalhadores podem buscar fundos próprios para ter benefícios adicionais. A Reforma busca equalizar para trazer tranquilidade a todos", completou.

Clique para ampliar

O gráfico diário do Ibovespa se apoiou na média móvel exponencial de 5 períodos, deixando para trás importantes resistências: 66.554, 66.600 e a cabeça de um pivot de alta acionado em 66.851.

O movimento mais natural para essa quinta-feira seria um abertura em campo negativo, com posterior recuperação e alta ao longo da sessão.

Não existe resistência relevante até 69.490, porém um movimento de realização de lucros até essa região é esperado nos próximos pregões, sendo oportunidade de posicionamento na ponta compradora.


Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
Diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR