quinta-feira, 6 de abril de 2017

Placar da Previdência derruba o mercado


Bom dia investidor!

Bolsa de Tóquio fechou no menor nível em quatro meses nesta quinta-feira, em meio a preocupações com a direção da política monetária dos EUA.

O índice Nikkei teve queda de 1,4% hoje e encerrou o pregão a 18.597,06 pontos, patamar mais baixo desde 7 de dezembro.

Em ata de política monetária divulgada ontem, o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) surpreendeu ao indicar que poderá começar a reduzir seu balanço patrimonial de US$ 4,5 trilhões até o fim do ano, antes do que previam os analistas. No documento, o Fed também reiterou que deverá continuar elevando juros gradualmente.

O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços da China caiu de 52,6 em fevereiro para 52,2 em março, segundo pesquisa divulgada pela Caixin Media, em parceria com a IHS Markit.

Já o PMI composto do país, que engloba serviços e indústria, recuou de 52,6 em fevereiro para 52,1 em fevereiro. Leituras acima de 50,0 indicam expansão de atividade.

"Altas menores nos novos negócios obscureceram a perspectiva econômica e os investidores devem ficar atentos a sinais de um ponto de virada no segundo trimestre", disse Zhengsheng Zhong analista do CEBM Group. 

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, disse nesta quinta-feira que é muito cedo ainda para a instituição começar a reduzir sua agressiva política de estímulos monetários, apesar de sinais de recuperação na zona do euro, e rejeitou sugestões de que o BCE poderá voltar a elevar juros em breve.

Nos últimos dias, os principais dirigentes do BCE têm feito comentários conflitantes sobre se a instituição está preparada para começar a desfazer medidas de estímulos, como seu programa de compras de bônus soberanos (conhecido como relaxamento quantitativo, ou QE, pela sigla em inglês) e taxas de juros abaixo de zero.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, afirmou nesta quarta-feira, dia 5, ser possível concluir o julgamento da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer ainda no primeiro semestre. Gilmar chegou a ironizar frase do relator do processo, Herman Benjamin, que disse que nem Adão e Eva atrapalharão as sessões. "O tribunal vai conduzir bem esta matéria com todos Adões, Evas, serpentes e tudo mais", brincou o ministro.

Os mercados domésticos tendem a seguir na defensiva nesta quinta-feira, em meio à cautela externa e com investidores atentos aos riscos de a reforma da Previdência não ser aprovada, após a divulgação do placar feito pelo Estado mostrando que não há votos hoje para a reforma ser aprovada. Os números mais recentes apontam que 251 deputados são contra a proposta de reforma, enquanto 95 se dizem favoráveis.

Clique para ampliar

O mercado não conseguiu se sustentar 65.775 no pregão de ontem, perdendo 65.300 como suporte e fechando colado em 64.770.

Encerrou a sessão abaixo das médias móveis.

Mesmo que tenhamos uma abertura positiva ou lateral, o caminho mais natural seria queda ao longo do dia, mirando 63.740 ou mesmo a LTB vermelha, em um movimento técnico de pull back, entre hoje e amanhã.

Bons negócios!

Wagner Caetano, para o Cartezyan
diretor da TopTraders
contato@TopTraders.Com.BR

2 comentários:

  1. Boa Noite á todos!
    Como não há mais o programa Na Mira do Trader através da IMtv, como faço para seguir as dicas e analises do Wagner Caetano?

    Desde já agradeço
    Clecio

    ResponderExcluir