segunda-feira, 17 de abril de 2017

Mais uma semana curta e volátil


Bom dia investidor!

A economia chinesa cresceu 6,9% no primeiro trimestre de 2017 em relação ao mesmo período do ano passado, informou nesta segunda-feira (17) o Bureau Nacional de Estatísticas do país. 

O resultado é superior à meta anual de crescimento, de 6,5%, e à expansão registrada no último trimestre de 2016, de 6,8%. Também é o ritmo mais acelerado de crescimento registrado desde o terceiro trimestre de 2015.

Desde então, o governo chinês adotou políticas para estimular a economia, que parecem estar funcionando. Pequim tornou o crédito mais fácil e acelerou os gastos públicos. 

A produção industrial da China avançou em ritmo mais forte em março, segundo dados do Escritório Nacional de Estatísticas, em mais uma sinalização da recente firmeza na segunda maior economia do mundo.

No mês passado, a indústria chinesa produziu 7,6% mais do que em março de 2016. No primeiro bimestre, a produção havia crescido 6,3% na comparação anual.

Os dados de janeiro e fevereiro foram divulgados juntamente para evitar distorções sazonais relacionadas ao feriado de uma semana do ano novo lunar.

No confronto mensal, a produção industrial chinesa subiu 0,83% em março, após aumentar 0,60% em fevereiro.

Já as vendas no varejo da China tiveram expansão anual de 10,9% em março, também mostrando aceleração ante o ganho de 9,5% do primeiro bimestre e superando a projeção do mercado, de alta de 9,7%. Na comparação mensal, as vendas do setor varejista avançaram 0,84% em março, depois de crescerem 0,95% em fevereiro.

Também foram publicados dados sobre investimentos em ativos fixos em áreas não rurais da China, que tiveram alta de 9,2% no primeiro trimestre ante igual período do ano passado. No primeiro bimestre, o ganho anual havia sido um pouco menor, de 8,9%. O resultado trimestral do indicador, que serve de barômetro para o ritmo da atividade no setor de construção, também veio acima da previsão de analistas, que era de aumento de 8,7%. 

A Bolsa de Tóquio fechou em alta marginal nesta segunda-feira, interrompendo uma sequência de quatro pregões negativos, impulsionada por ações chamadas "defensivas", que se beneficiam da demanda no Japão.

O índice Nikkei subiu 0,11%, encerrando a sessão a 18.355,26 pontos.

O vice-ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Han Song Ryol, afirmou na sexta-feira que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é culpado por construir um "círculo vicioso" de tensões na Península Coreana, ao dizer que seus tuítes "agressivos" estão "causando problemas". Em entrevista exclusiva à Associated Press, a autoridade também advertiu para que os EUA não provoquem militarmente o regime norte-coreano. "Nós iremos para a guerra se eles escolherem isso", afirmou.

A Rússia, a Síria e o Irã advertiram os Estados Unidos contra qualquer novo ataque na Síria. O governo do presidente americano, Donald Trump, lançou um ataque com mísseis contra uma base militar do país, após o suposto uso de armas químicas pelo regime do líder sírio, Bashar al-Assad.

Os futuros de petróleo operam em baixa nesta manhã, novamente pressionados pelos últimos sinais de avanço na produção dos EUA.

Às 9h15 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para junho caía 0,84% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 55,42 por barril, enquanto o WTI para maio recuava 0,83% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 52,74 por barril.

Segundo Edward Bell, analista do banco Emirates NBD em Dubai, a recente revisão para cima nas projeções de produção dos EUA por grandes entidades, como a Agência Internacional de Energia (AIE), a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano, deve "estar pesando nos mercados".

O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), afirmou há pouco que a idade mínima de 65 anos para homens e mulheres "continua sendo o ponto mais alto da PEC". "Nós pretendemos que assim permaneça, como está na PEC", disse Oliveira Maia após reunir-se com o presidente Michel Temer e ministros no Palácio do Alvorada para apresentar pontos já modificados em seu relatório.

O presidente da comissão especial da reforma na Câmara, deputado Carlos Marun (PMDB-MS), também disse ser muito difícil alterar esse ponto. "Não vejo essa possibilidade, mulher luta por uma igualdade", afirmou. Apesar disso, interlocutores do Palácio do Planalto reconhecem que, se houver necessidade de flexibilizar a idade mínima das mulheres para vencer resistências (principalmente da bancada feminina), essa cartada será lançada diretamente no plenário.

Clique para ampliar

O Ibovespa fechou a semana anterior quase na mínima, com as médias inclinadas para a venda.

O movimento mais provável para hoje será uma abertura em campo positivo, com entrada de pressão vendedora ao longo do dia.

Abaixo de 62.935 terá suporte em 62.496.

Se perder esse patamar vai mirar a região destacada em verde na imagem.



Bons negócios!

Wagner Caetano, da TopTraders, para o Cartezyan

contato@TopTraders.Com.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário